Seduction

       

         Aquele momento em que você para e pensar “por que eu li esse maldito mangá?” A curiosidade pode nos levar a caminhos que não tem mais volta. Eu nem consigo me lembrar o que me levou a ler, entretanto, eu já sabia que eu não ia saber lidar com ele a partir do momento que percebi do que se tratava. Eu tentei parar, juro que tentei, mas eu não pude conter a vontade de saber onde tudo isso ia parar. O que senti enquanto lia isso? Raiva! Frustração!
            Esse é um Manhwa ( mangá coreano), um webcomic (Webtoon). São histórias em quadrinhos coloridos, publicados exclusivamente na internet. Esse foi dividido em 38 capítulos. Esses quadrinhos todos coloridos podem ser divertidos, mas algumas das vezes acho muito confuso. Principalmente esse, teve muitas coisas que eu não conseguia entender. Tem um conteúdo muito pesado e obscuro. Contém muitas cenas de sexo e problemas familiares sérios, então não é apropriado para menos de 18 anos.
            Esse enredo envolve uma família que vivia feliz. Era pelo menos o que eles acreditavam. Essa família se consistia em um casal e uma cunhada, irmã mais nova da esposa. Ela era uma criança quando eles se conheceram. Quando o casal ainda estava se conhecendo, essa criança estava sempre junto. Provavelmente o homem sempre se perguntava: por que  essa criança sempre tinha que estar junto?! Só que ele nunca perguntou. E agora, finalmente, ele se casou com a mulher que ama. Durante esses anos, sempre os três juntos, ele nem havia percebido que algo havia mudado.


            Aquela criança havia virado uma mulher linda e muito sexy, talvez ele nunca tivesse percebido, se não fosse por causa daquele maldito dia em que ele abriu a porta de entrada e viu um corpo nu e molhado. Foi naquele momento que ele percebeu que aquela criança que ele costumava carregar em seus ombros havia virado uma mulher. Só que isso poderia passar. Embora  houvesse um certo desconforto no ar, aquilo poderia ser esquecido. Poderia, se ele não tivesse cometido um pequeno engano ao confundir ela por sua esposa e apalpar os seios dela quando dormia em uma viagem de férias. Se ela não visse, então tudo bem, ele poderia esquecer do constrangimento daquela noite, entretanto, as coisa começaram ficar mais estranhas quando, cada dia mais, sua cunhada parecia estar mais sedutora. Aquilo era propositalmente ou era apenas sua mente que percebeu o que não deveria ter percebido, fazendo-o ver? E foi assim que o pesadelo começou.
(Atenção!! Daqui para frente poder conter spoiler.)



            Chang Sik  é o cara que só de pensar nele. Eu tenho vontade de jogá-lo de um prédio. Deixando minha raiva de lado, ele é um cara  gentil,  calmo e parece se adequar a qualquer tipo de ambiente.  Quando conheceu sua esposa, ele ficou encantado com ela, mesmo que ela não falasse muito e eles não tivessem tido momentos normais de casais por sempre estarem acompanhados de sua pequena cunhada. Ele aceitava a situação e nunca tentou  enxergar de fato a situação ali. No meu ponto de vista, ele só a via superficialmente, nunca tentou olhar mais a fundo.


            Ele parecia amar sua esposa, entretanto, o que realmente eles tinham? Ele a conhecia de verdade? No fundo, será que ele não sentia que havia algo errado? Então por que ele deixou passar? Aparentemente, talvez realmente não faltasse nada. Quem está de fora é muito fácil dizer o que pensa, mas só quem está lá dentro sabe realmente como é. Diante aquela garota linda, que está a seduzi-lo, não era imaginação, era mais real do que ele imaginava. Como se não bastasse um primeiro erro acidental, os erros continuaram acontecendo, até ao ponto de não serem mais acidentais, serem escolha. Ele se deixou levar pelo desejo.


            Só que o mesmo tanto de prazer que sentia cada vez  que  possuía sua cunhada, sua consciência que ainda existia o fazia sentir dor. Ele sentia dor ao ponto de achar que ia morrer. Mesmo assim, ele não conseguia parar aquilo. Foi assim que um homem que parecia ser bom e amar sua esposa se autodestruiu. Quanto eu via esse cara fazendo essas coisas e sofrendo por estar fazendo, eu ficava pesando: por que você está fazendo isso? A única coisa que você sente é prazer e logo depois vem a infelicidade arrasadora. Não havia felicidade e, pelo que eu via, nem satisfação. Ele ficou escravo dos seus próprios desejos e não suportava a culpa por trair a sua mulher.

            Sae Mi, outra pessoa que pensei o quanto queria derrubá-la de uma prédio. Não consigo definir de quem mais tenho raiva e desprezo. Ela é de fato atraente, não consigo dizer sua qualidade e características, porque tudo que consigo ver é o quanto ela foi descarada.  A verdade é que ela sempre foi apaixonada pelo seu cunhado, desde quando o viu quando ainda era apenas uma criança. Ela que induzia sua irmã a ir vê-lo e, se não fosse por causa dela, talvez hoje eles nem fosse casados. No começo, ela apenas estava se contendo, pois ela sabia muito bem que ele só tinha olhos para sua irmã. Entretanto, depois que ela viu ele a apalpando enquanto dormia, aquilo despertou o desejo de tentar.


            Ela o provocou de todas as formas possíveis, só que ele não dava tanta bandeira. Isso a frustrou um pouco, entretanto, um dia, ele cometeu um deslize e ela se deixou levar por um segundo. Depois, seu corpo se paralisou e ela não conseguiu evitar. Saber que aquele momento só aconteceu porque foi confundida pela sua irmã foi tão mais doloroso do que o sexo violento em sua primeira vez naquele momento. Poderia ter sido algo maravilhoso, mas ela ficou em cacos, tanto pela culpa quanto por saber que, na verdade, não era com ela que ele estava fazendo. Sae Mi poderia ter parado depois daquilo, mas ela não se contentou, ela queria ser abraçada sendo ela mesma, então não permitiu que aquele pesadelo fosse esquecido. 


“Eu estava arrependida? Não. Eu sou apenas infeliz e triste.”
            E foi aí que sua autodestruição também começou. Não importava quantas vezes eles fizessem, não havia felicidade ali, só havia prazer e peso na consciência porque, até então, ela tinha uma. Mesmo que ela soubesse que o que estava fazendo era tão errado, Sae Mi continuava indo atrás e se destruindo. Se ela soubesse o que sua irmã fez por ela, será que ela seria capaz de fazer algo como isso? Ela poderia ter tido uma vida normal, ao lado de um garoto que a amava, respeitava e a tratava como se fosse preciosa. Eu, sinceramente, não consigo engolir nem um dos dois. Ambos são tão cretinos e culpados. Eu não sei se entendo o motivo dela ter continuado. O motivo dos dois terem continuado, talvez seja como eu, quando comecei a ler esse mangá e percebi que não devia o ler, mas eu não resisti a curiosidade de saber onde isso ia dar. Talvez eles tivessem curiosos para saber onde toda essa loucura iria os levar.

            Jung Yoo mi, essa mulher é lamentável, não só por ter sido traída pelas duas pessoas que ela mais amava, mas por toda sua história de vida, por tudo que ela teve que passar muito antes de tudo isso e tudo que ela teve que suportar durante tudo isso. Ela é uma pessoa um tanto vazia, ela fechou dentro de si vários sentimentos para poder sobreviver a essa vida maldita. Quando era adolescente, tinha que cuidar de sua mãe doente e de sua irmãzinha. Sua mãe não podia trabalhar e por ela ser de menor, também não poderia fazer muita coisa. Então, não estavam conseguindo pagar o aluguel e o locatário estava querendo por elas para fora. Ela pensou em muitas soluções possíveis para isso e chegou a uma conclusão: quitar sua divida e mais alguns meses pagando com a única coisa que ela teria de valor, e foi assim que ela perdeu tudo, sua virgindade e dignidade para um velho nojento de 70 anos.

            Fez isso em momento de desespero, para poder proteger sua família, em especial a sua irmã menor. Depois disso, ela selou tudo dentro de si, gravou apenas a dor que sentiu aquele dia para continuar lutando para nunca mais ter que passar por tal situação.  Quando conheceu seu esposo, ela não tinha qualquer intenção com aquele homem. Se não fosse sua irmã insistir tanto em vê-lo, ela nunca teria tido qualquer coisa a ver com ele, mas também nunca teria descoberto que nem tudo é dor. Foi com ele que ela aprendeu que a vida pode ser prazerosa também. Entretanto, ela nunca permitiu ninguém olhar o que ela tinha dentro de si, quanta dor ela carregava, o quanto seus dias eram vazios. Mesmo tendo uma família “feliz”, Jung Yoo mi nunca era ela mesma.

            “Quando olho para passado, sempre houve uma razão. É por isso que a vida era fácil. Uma razão para se afastar dele... uma razão para não aceitar esse modo de vida... sempre havia uma razão. É por isso que a vida era fácil. Eu sabia onde estavam os problemas e por isso  tinha que corrigi-los... mas... se algo acontecer para a vida que você pensou que era fácil...?”
            De certa forma, mesmo casada com um homem bom, nada havia mudado de fato dentro dela. Faltava algo, talvez alguém que tivesse realmente disposto a conhecer ela de verdade. Foi aí que ela conheceu aquele homem, que tinha os mesmos gostos. Sim, ela se sentiu bem na companhia dele, e talvez algo entre eles tivesse realmente acontecendo. Só que aquele beijo roubado a acordou a fez lembrar daquele dia em que tudo dentro dela parou, e ela não deixou ir além daquilo. De alguma forma, aquele dia serviu para despertá-la e lembrar que tinha uma marido maravilhoso e como ela devia dar uma chance de tentar ser melhor em deixá-lo entrar de verdade em sua vida, afinal, não era tarde para começar. Era o que ela pensava, então tentou, tentou todos os dias.


            “Naquela noite... eu... pela primeira vez... ao ponto onde eu queria morrer. Eu sentia solidão.”
            Já nadou contra corrente? Você dar o melhor de você, se entregar de corpo e alma por algo, mas não importa o quanto você continue fazendo, não é suficiente e aí você termina em um completo vazio. Quando ela se juntou a seu esposo, foi pelo bem de sua irmã. Sempre foi pelo bem de alguém que ela estava fazendo algo, nunca por ela mesma. Pela primeira vez, ela decidiu fazer algo por ela, amar seu esposo, estar com ele por vontade própria. Eu desejei inúmeras vezes que ela descobrisse logo, pois não suportava mais vê-la tentando tanto enquanto eles faziam aquelas coisas nas costas dela. E então, ela viu sua vida fácil se destruindo em pedaços. Ela mal havia encontrado uma razão para viver por si mesma, depois de sofrer tanto. Agora ela que estava lutando, se deparou com a situação mais destruidora que uma mulher que ama pode passar, mas ainda pior, vocês devem entender bem o porquê. Sem dizer qualquer coisa, ela apenas quis sair dali. Foi quando ela se deu conta o quão sozinha ela era, não tinha amigos, não tinha ninguém para contar em uma noite tenebrosa como essa.


            “Minha vida se foi. Eu tinha morrido...agora, a única coisa que resta é tirar um pouco do peso de meus amados então agora eu tenho que viver olhando para frente. E nunca enfrentar uns aos outros novamente, como mortos...”
            Ela tentou amortecer  aquela dor trazendo outras dores. Dia pós dias, até que aquilo não levava a lugar nenhum. Então, sem dizer nem uma palavra, ela tentou mais uma vez. Ela disse que, pelas pessoas que ela amava, ela nunca mais ia olhar para trás, ia apenas seguir em frente, como se estivesse morta. Quando terminei esse mangá, me veio em mente um versículo Bíblico que fala que o adultério leva a morte. Ele com certeza não estava falando da morte física, acho que esse mangá deu um verdadeiro exemplo disso, afinal, como os personagens mesmo disseram, no final eles estavam mortos.
            Eu acho que o conteúdo não é ruim. Eu acho que escrevi demais, pois tinha que por tudo para fora. Quando digo que não devo ler esse tipo de coisa, estou falando sério. Eu entro na história, então isso não me faz nem um pouco bem. Só que, por outro lado, esse é um mangá bem intenso e é de fato bom, não há dúvidas para mim. Contudo, irei tomar mais cuidado na próxima. Não quero mais ler nada desse estilo nunca mais, pois não gosto do gosto amargo que ele me deixou nem dessa sensação horrível. Se sabem lidar com esse tipo de coisa, boa leitura. 

Gênero:  Drama, Ecchi, psicológico e  Slice of life

Autor: Ewha
Mangá: 38 capítulos 


Onde ler: 

0 comentário

Postar um comentário