Koe no Katachi (A voz do silencio)


        

    Sinceramente, nem sei como começar a escrever essa postagem, porque essa história é tão pesada, que exige muita responsabilidade. Talvez eu tenha cometido um erro ao ler o mangá antes de ver o filme, porque é tão resumido e, uma vez que você sabe que aquilo que passou na animação não é nada comparado aos detalhes deixados para trás, o filme acaba perdendo a força do impacto. Esse enredo balança toda a nossa estrutura emocional. Ansiedade, ira, temor, confusão, dor, empatia, medo e angústia. Somos envolvidos por todas essas emoções e dói muito. “Koe no Katachi” traz um teor muito polêmico, como o bullying, mais conhecido pelos japoneses como ijime. Já fiz uma postagem sobre esse assunto. É muito importante, então, se tiver um tempo, leia (clique aqui). Apesar do assunto principal ser realmente o bullying, ele nos faz ver muito além disso, nos induzindo a conhecer uma variedade de conflitos internos, não somente da vítima, mas também dos abusadores. Por isso, somos induzidos a olhar para dentro de nós mesmos e, com isso, avistamos as nossas falhas. No entanto, o que mais aprendi foi a respeito da compaixão e o perdão, que todos merecem uma nova chance e as pessoas podem mudar, sim, desde que queiram.


            O mangá foi lançando no Japão em 2013. Tem uma ilustração muito bonita e, como já havia dito, ele é muito mais detalhado e tem cenas realmente fortes, que nos fazem nos corroer por dentro de ira e angústia. Tem mais detalhes sobre o passado da protagonista e dos envolvimentos de cada personagem. Em 2017, a editora NewPOP trouxe-o para o Brasil. É claro que o tenho em minha coleção e é o meu tesouro. Em 2016, foi lançado o filme, com uma produção maravilhosa. Muitas pessoas que não conheciam o mangá ficaram totalmente impactados com esse enredo de fazer qualquer coração em pedaços. O nome original é “Koe no Katachi” (聲の形), que significa “A forma da voz”. No entanto, os americanos mudaram o título para “A silent voice”, que significa “Uma voz silenciosa”. Por sua vez, a editora NewPOP resolveu pôr o nome de “A Voz do silencio”. Eu achei que ficou muito bonito, mas eu prefiro o nome original mesmo.


       A história envolve um garotinho do primário que, por causa do tédio constante que sentia, estava sempre procurando algo para fazer e se divertir. Um dia, uma garota muito diferente entrou na escola. Ela era surda e se tornou sua vizinha de carteira. No começo, apenas a observava, evitando ao máximo o contato direto. No entanto, ao observar como a presença dela havia mudado o ritmo da sala, ele começou a ficar extremamente frustrado. Então, passou a intimidá-la. Dia após dia, ele e seus colegas tornavam a vida da garotinha impossível, fazendo coisas terríveis. Até que, um dia, ele acabou machucando-a fisicamente ao tirar brutalmente seu aparelho. Quando toda a responsabilidade de cometer bullying caiu em cima dele e, consequentemente, de sua mãe, seus amigos lhe viraram as costas e tudo que ele havia feito com a garota surda voltou para ele.


“Eu realmente odeio ficar entediado. O que eu queria saber era como não ficar mais entediado, mesmo assim, eu mal consigo vencer o tédio todos os dias.”
       Shoya Ishida, quando estava no primário, era um garoto extrovertido e tinha um alto espírito de liderança que atraía as pessoas, induzindo-as a andar no seu ritmo. Sua sede em decepar o tédio o levava a ir atrás das mais loucas aventuras, como até mesmo provocar uma briga, perturbar os animas ou saltar de cima de uma ponte. Porém, suas brincadeiras começaram a ficar mais sérias quando passou a intimidar Nishimiya, a garota surda. Após a bomba estourar em suas mãos, ele passou a sofrer bullying das pessoas que antes diziam ser suas amigas. Demorou para que ele pudesse reconhecer seus erros e a garota mudou de escola. Como se tivesse acorrentado pelos seus pecados do passado, isso o perseguia onde quer que fosse. O garotinho virou um rapaz que se fechou para o mundo, escolhendo ficar sozinho, sem se envolver com ninguém. Assim, Ishida se tornou um rapaz introvertido, vazio, antissocial e incapaz de encarar as pessoas. Quebrado, mergulhado em angústia e arrependimento, a única alternativa que ele encontrou para si foi o suicídio, por não aguentar mais viver assim. Essa seria sua punição final. Ele resolveu coisas pendentes em relação à sua família e, por último, resolveu encontrar a garota que ele fez sofrer, a fim de se redimir pelos seus erros, para que ele pudesse pôr fim nessa vida de agonia.


       Shouko Nishimiya é uma garota que tem problemas auditivos desde pequena. Não foi explicado se ela nasceu assim ou se foi algo que se desenvolveu quando ainda era criança, no entanto, essa doença foi vista como um fardo pelo seu pai e sua família, que acabaram abandonando ela e sua mãe. Sinceramente, só de lembrar dessa parte, que só se vê no mangá, sinto vontade de dar um soco na cara daquele homem cretino. Então, com apoio da avó materna, a mãe dela, com muita garra, a criou junto de sua irmãzinha, que na época da separação ainda estava na barriga. Criar uma criança com tal deficiência não era fácil. Não por ser um fardo, mas pelas outras pessoas não fazerem um pouquinho de esforço para aceitá-la. Então, constantemente, a mãe teve que ver a filha sofrendo bullying por onde quer que passasse. Ela se tornou uma mãe rígida para forçá-la a ser forte e superar, por mais difícil e doloroso que fosse. 


Por causa da sua deficiência auditiva, Shouko pode ser lenta para entender as coisas, mas depois de sofrer tanta intimidação, ela passou a fingir bem-estar, sempre sorrindo, mesmo quando tudo estava quebrado dentro de si. Talvez para não ser um fardo, ela tentava ao máximo ser como as crianças normais, se esforçando para participar de tudo. Mesmo não conseguindo falar direito, participava do coral, leituras em voz alta, conversas e brincadeiras com seus colegas. Ela fazia isso não por achar que era como todos, mas porque ela queria ser como todos e ser aceita pelas pessoas. No entanto, seu esforço era em vão. Seus colegas passavam a ficar cansados, frustrados e começavam a tratá-la como um fardo a ser evitado. Shouko sorria como se não entendesse nada, como se nada daquilo tivesse ferindo-a. Isso não era arrogância, mas porque ela acreditava que tudo que estava passando e todos os conflitos que envolviam as pessoas ao seu redor eram sua culpa. Ela se odiava, mas ainda assim se esforçava para seguir em frente. Ela queria amigos, queria ser aceita e amada. Faltavam-lhe sinceridade e amor próprio, mas como tê-los quando a vida lhe ensinou que você não passa de um problema? Como dizer o que pensa ou sente, se já era odiada o suficiente?  Quantas vezes ela suportou tudo em silêncio, se esforçando para sorrir para não trazer sofrimento às suas pessoas queridas?


O passado foi doloroso para ambos e era difícil viver. Cada um com sua própria cruz a ser carregada. Quem iria desistir primeiro? Nishimiya estava se esforçando, não para se amar, não para se aceitar, mas pelo menos para viver pelas poucas pessoas que ainda se importavam com sua pequena existência. Essa garota, que sorria por fora, mas sangrava por dentro, desejou de todo o coração ser amiga de Ishida, mesmo quando ele fazia as coisas mais cruéis. Não importava o que ela fizesse, o ignorante rapaz não era capaz de aceitá-la. Ela chegou a odiá-lo. Depois de seis anos, Ishida, antes de pôr fim em sua vida, resolveu que tinha que ir até Shouko e pedir perdão pelo que lhe havia feito. Mais que ninguém, ele havia sentido na pele que tipo de estrago se pode causar na vida de uma pessoa através atos irresponsáveis. No entanto, no momento em que conseguiu trocar algumas palavras com ela, através dos sinais que havia se esforçado para aprender, foi quando ele entendeu o significado do gesto que várias vezes aquela garota que ele maltratou fazia, quando tentava se comunicar com ele. Sem pedidos de desculpas, tudo que ele conseguiu dizer, sem nem mesmo entender o porquê, foi “será que ainda podemos ser amigos?”.


            Yuzuru Nishimiya é a irmãzinha de Shouko. Apesar da sua pouca idade, ela é uma garota corajosa que está ao lado da sua irmã, pronta para protegê-la seja de quem for.  Quando era pequena, ao ver sua mãe querendo cortar o cabelo da sua irmã bem curto para ela parecer um garoto e a resistência de Shouko, a própria tomou a atitude de cortar seus próprios cabelos para se parecer um garoto, sendo mais presente para poder protegê-la.  Apesar de achar que sua mãe não se importa com ela, por sempre ser dura demais e não ir atrás dela quando foge de casa, além de sua atenção estar sempre sobre a sua irmã, o que mais acho interessante é que Yuzuru não sente inveja ou ciúmes de Shouko. Geralmente, crianças que não têm a atenção dos pais por causa do irmão, tendem a ter ciúmes. Pelo contrário, ela demonstrar amar muito sua irmã e temer mais do que tudo a ruína dela. Por isso, se pudesse, a protegeria do mundo todo com suas pequenas mãos. Ela com certeza vai para a lista de irmã nota 10, ano que vem. O seu hobby é a fotografia.  Yuzuru tende a tirar fotos de coisas mortas. Aparentemente, ela gosta disso, no entanto, mais tarde, revela porquê tira esse tipo de fotografia. A garotinha, que acha não ter o afeto de sua mãe, é muito apegada a sua avó, que sempre cuidou muito dela desde pequena, sendo a sua melhor amiga. No começo da história, ela odeia Ishida pelo que ele fez a sua irmã, então fingiu ser namorado de Shouko, mas depois de observar muito as intenções dele, passou a aceitá-lo.


            Tomohiro Nagatsuka é um estudante do ensino médio que está sempre sozinho. Provavelmente por causa da sua aparência e jeito, passou a ser rejeitado pelos colegas. No entanto, Nagatsuka não se deixa se abater com isso, tendo confiança em si mesmo, apesar de dizer algumas mentirinhas para rebater as críticas alheias. Um dia, quando um cara tentava levar sua bicicleta, acabou sendo salvo pelo Ishida. A partir dali, uma amizade começou. Depois de muito tempo sem se relacionar com ninguém, Ishida passou a confiar muito em Nagatsuka, sendo seu primeiro amigo depois do ocorrido no primário.  Mesmo que Nagatsuka não conhecesse o suficiente o seu novo amigo, ele confiava naquele cara que ele havia conhecido e passou a protegê-lo com a alma, mantendo os falsos amigos longe e ajudando-o a se aproximar da Shouko.


Naoka Ueno era a menina mais próxima de Ishida no primário. Foi a primeira a negar sua participação no bullying e testemunhar as ações maldosas do garoto. No entanto, ela está longe de ser inocente, já que ela foi a primeira a ficar frustrada com a independência de Nishimiya e passar a excluí-la, juntamente das demais meninas. Ela também começou o bullying contra Sahara, por ele demonstrar interesse em ajudar Nishimiya. Foi a primeira a apoiar as brincadeiras maldosas de Ishida. Naoka é uma garota bonita e popular. É extremamente sincera, ao ponto de ser rude e insensível. Além disso, pode ser muito explosiva, ao ponto de recorrer à violência. Mesmo depois de seis anos, ela nunca reconheceu seus erros do passado e ainda acredita que a culpa de fazer o caos e separar os amigos no primário foi da Nishimiya. Ela a odeia. Ueno acusa a Shouko de usar a sua deficiência para ser vítima e digna de pena, mas isso é o que ela quer acreditar para usar como justificativa para odiar a garota, que nunca fez nada de mal a ela. É claro que ela não é obrigada a gostar de quem não gosta, mas não precisa usar a garota como bode expiatório para isso. Ela não precisa gostar, mas deveria ter respeitado-a, desde o princípio. A Shouko não estragou a amizade de ninguém, afinal, o que ela queria mesmo era ser amiga deles.  O que estragou a amizade deles foi a covardia e a fraca cumplicidade que eles tinham. Talvez, por um momento de medo, não se comprometer, tudo bem. Mas o que eles fizeram depois? Cadê esta amizade que eles tinham, quando começaram a intimidar Ishida e fazer a vida dele um inferno? Culpar os outros pelos nossos erros é algo que faz parte dos seres humanos, isso é um fato. Porém, a culpa de tudo dar errado não foi da garota com problemas de audição, que estava querendo ser aceita, mas das escolhas que eles fizeram. Então, sim, eu odeio pessoas que culpam os outros pelos seus próprios erros. Ela desistiu da amizade dela, ninguém a obrigou a isso. Se alguém estragou o que eles tinham, foram eles mesmo. Naoka é apaixonada por Ishida desde o primário, mas ele nunca correspondeu, ou melhor, nem sequer percebeu. Ainda hoje, seus sentimentos não mudaram, o que a faz ter mais raiva ainda de Nishimiya, que roubou a atenção e devoção de seu crush.


Miyoko Sahara é colega do primário de Nishimiya, Ishida, Naoka e Kawai. No primário, era uma garota tímida, na dela, e sempre mostrou curiosidade para aprender língua de sinais, a fim de ajudar a adaptação de Nishimiya na sala de aula. No entanto, essa aproximação a fez virar alvo de bullying das meninas, que ficaram intrigadas por ela ela querer ajudar uma garota que elas estavam querendo excluir. Não suportando os ataques, a garota desistiu de ir à escola, sendo transferida, sem nem dizer adeus. Depois de seis anos, a garota acaba mudando bastante, criando um pouco mais de autoconfiança, por causa de sua estatura, com a qual poderia se tornar uma modelo. Ela até acabou virando amiga de Naoka, que no passado a intimidou, por causa de seus interesses pela moda. Sahara é uma garota muito gentil. Quando Ishida foi atrás dela para que pudesse reencontrar a Nishimiya, passou a ficar muito próxima da garota, virando, finalmente, amigas de verdade.


            Miki Kawai estudou no primário com os demais personagens. Ela era líder da sala, o que a fazia responsável. Miki é muito bonita e sabe disso, embora esconda sua beleza atrás de seus óculos e suas tranças. Apesar de seu jeito gentil, educada e simpática, uma vez que se sente ameaçada, pode mostrar um lado bem diferente, usando seu lado meigo para se vitimizar e se fazer de inocente, não hesitando em  entregar de bandeja quem quer que for. Miki é o tipo que diz “não faça isso, isso é errado” enquanto ela mesma está colocando a mão na massa ou rindo pelas costas da pessoa intimidada. Embora não reconheça, ela foi uma das pessoas que intimidaram Nishimiya e também entregou o Ishida na hora H.  Depois de seis anos, ela não mudou. Continua acreditando que só faz o bem às pessoas, não reconhecendo que também errou. Ela é apaixonada por Satoshi e vive se fazendo de frágil e santa na presença dele.


            Satoshi Mashiba é um colega de sala de Ishida e Nagatsuka. No começo, ele sempre aparecia com um X na cara, o que representava que era alguém que Ishida não fazia questão de conhecer. No entanto, o rapaz estava muito interessado em ser amigo de Ishida e aos poucos conseguiu sua brecha. Satoshi é um rapaz bonito, gentil e odeia injustiça.  Ele foi vítima de bullying, por isso odeia pessoas que o cometem. Até o momento, ele não fazia ideia do passado de seu amigo. Será que ele é capaz de acreditar que as pessoas podem mudar? Apesar de sua feição gentil e bondosa, a verdade é que a mágoa deixada dos tempos em que sofria bullying não foi apagada. Existe muita escuridão no coração dele. Ao conviver com Ishida, ele foi capaz de reconhecer que não era certo desejar a ruína, nem mesmo daqueles que um dia o maltrataram.
            Os melhores amigos do primário de Ishida apareceram de relance algumas vezes, após os seis anos. Pareciam arrependidos dos erros do passado, mas Ishida não estava pronto para encará-los ainda. A mãe de Ishida e Shouko mostraram ser mulheres de garra, então já sabemos quem vai aparecer ano que vem no “Especial dia das mães”.
            Espero que vocês tenham sentido um pouco do impacto que é esse enredo maravilhoso. Aconselho a ver o filme primeiro e, com toda certeza, em seguida, ler o mangá, porque lá tem coisas que vocês não verão no filme, inclusive um final além do final que vemos na animação. Então, sim, INDICADÍSSIMO!!!!


Gênero:     Drama, Romance, Slice of life

Autor: Yoshitoki Oima
Mangá:  7 Volume  
Filme:    1

0 comentário

Especial de dia dos pais


            Nesse fim de semana é dia dos pais. É claro que essa data tão querida não poderia passar despercebida por aqui de jeito algum, então, vamos para o segundo Especial de dia dos pais do Watashi no sekai! Em 2016, saiu o primeiro Especial de dia dos pais. Para ser sincera, todos os bons pais mais nítidos em minha mente foram mencionados naquela postagem, que ficou muito linda, então leia (clique aqui). Por essa razão, ficou difícil juntar pais para essa postagem, afinal, é meio raro pais marcarem presença. Quando eles não são pais ruins, não são muito participativos, o que não nos deixa conhecer e saber se são bons pais ou não. No Japão, o dia dos pais é em junho. Já até saiu uma postagem aqui, então leiam para conhecer (clique aqui). Então, vamos lá.


            O melhor pai dos últimos tempos é o meu crush (clique aqui) da vida, Vegeta, do anime “Dragon Ball” (clique aqui). Quem poderia imaginar que esse homem tão orgulhoso, que era o mal em pessoa, seria um esposo dedicado e um pai presente? Em “Dragon Ball Super”, ele nos provou o quão maravilhoso ele é quando deixou um torneio de artes marciais, sendo que é viciado em luta, para ficar ao lado da sua esposa, que estava para dar à luz a qualquer momento. Tudo para ser um dos primeiros a ver o rostinho da sua preciosa filha. Ao pegar a sua filha no colo, deu para sentir toda a emoção da parte dele. Com esse ato, ele só pode me deixar mais apaixonada, mas eu sempre soube que, debaixo daquela máscara de homem orgulhoso e mau, havia alguém maravilhoso.


            Como falamos de “Death note”  (clique aqui) recentemente, não posso deixar de citar o Senhor Soichiro Yagami, pai de Light, o Kira. Apesar dele ser um homem que está sempre envolvido em seu trabalho e não poder dar atenção a sua família, ainda assim, dava para ver o quanto seus filhos eram importantes para ele. Como pai, ele sempre olhou para o melhor de seus filhos, e talvez esse afeto paternal tenha feito-o mentir para si mesmo, por não aceitar que havia, de fato, algo suspeito em seu filho. Em varias versões, ele ficou louco quando a acusação caiu sobre seu filho. Ainda que o mundo não acreditasse na inocência de seu filho, ele queria acreditar que a criança que ele viu nascer não seria capaz de tal coisa, acreditava na inocência dele. No entanto, se realmente seu filho fosse tal monstro assassino, ainda que ele não tenha tido oportunidade na história original, acredito que ele, com suas próprias mãos, como um pai e como um homem que luta pela justiça, o mataria. Não por não amá-lo, mas por amar muito. Depois, o seguiria sem hesitar, afinal, Senhor Yagami é esse tipo de pessoa. Eu o acho um pai incrível, por lutar por seus filhos até o fim. Sorte a dele ter morrido acreditando que seu filho era inocente, porque assim ele pode morrer em paz.


            O Rei II do anime “Akatsuki no Yona” (clique aqui), pai da princesa Yona. Apesar de não ser um bom rei para seu país, ele era um pai incrível e dedicado, que fazia de tudo para manter a sua querida filha segura de todo mal. Acredito que ele sabia o que o destino traria para Yona. Por essa razão, tentou ter um reinado pacifista, deixando sua filha longe de tudo relacionado à violência e armas. Rei II sempre mimou muito a jovem princesa para que não se atraísse por nada que não fosse bom para uma dama. No entanto, esse pensamento acabou causando alguns sofrimentos inesperados em sua filha, afinal, o destino nem sempre é algo que pode ser mudado tão facilmente. Talvez se ela fosse alguém mais forte e não fosse ignorante sobre o mundo, tivesse sofrido menos em sua jornada. Mesmo assim, pais nunca querem que seus filhos passem por um caminho difícil e ruim, por isso, ele fez de tudo para que ela não caísse nesse destino de sofrimento. Antes do seu próprio povo, ele estava priorizando sua amada filha, então ele apenas estava sendo um pai que ama sua filha sem medidas.


            Ainda não deu tempo de assistir “Boruto”, que é o anime focado na nova geração ninja. Boruto é filho de Naruto, protagonista de “Naruto Shippuden”. Não posso dizer exatamente que tipo de pai o meu admirado herói é, mas diante de alguns spoilers que andei vendo por aí, noto que Naruto, por ser Hokage, não tem tanto tempo para a família quanto gostaria, o que causa uma rebeldia em seu filho. No entanto, segundo o que tenho visto, Naruto tem se esforçado muito para conseguir ser participativo e fazer seus filhos e esposa feliz. Em breve, devo falar dessa nova geração de pais.
            Não havia muito pais, mas acredito que esses são suficientes. E aí? Vocês lembram de algum pai de anime que vale a pena ser mencionado?  Nesse dia dos pais, não esqueça de dar muito amor ao seu pai, ok? E se você é pai, me diga que tipo de pai você é, comparado com personagens de anime!

1 comentário

Playlist: melhores raps de “Nanatsu no Taizai”


Depois de cair de amores por “Nanatsu no Taizai” (clique aqui), encontrei muitos raps incríveis, inspirados nos personagens, que simplesmente conquistaram um lugar especial na minha playlist. Por isso, vim aqui compartilhar com vocês o melhor do melhor do rap desse anime maravilhoso.  Nessa procura, acabei conhecendo vários rappers muito bons que eu nem sabia que existiam. Eu sempre curti rap, embora não goste de nada que seja pesado ou com letras tensas, mas isso vale para qualquer estilo musical. Algumas pessoas estranham quando eu falo que gosto de rap. E você? Acha estranho? Então, vamos lá.


Rap do Meliodas (“Nanatsu no Taizai”) - EU SOU O CAPITÃO | NERD HITS

“Não sabem a minha força, pelo menos ainda. Meu nome é Meliodas, o pecado da ira. Vou lutar até que eu não possa mais. Eu sou o capitão dos Sete Pecados Capitais.”

       Vamos começar com o capitão dos Sete Pecados Capitais, Meliodas. Escutei vários raps dele, mas esse foi o que teve mais impacto em mim. Fiquei toda arrepiada, porque eles descreveram o Capitão de forma tão poderosa, que é impossível não sentir na pele.  Para mim, esse foi o que chegou mais perto, com precisão, do que nosso Meliodas é. Então, sim, virou o meu favorito. Já perdi as contas de quantas vezes eu ouvi.  Esse é do canal 7 Minutoz (clique aqui). Tem muitos outros raps de outros animes e são muitos bons. Então, dê uma passada para conhecer.

Clique na imagem para ir ao vídeo, não foi possível por aqui.
Rap do Ban (“Nanatsu no Taizai”) - O PECADO DA GANÂNCIA | NERD HITS

“Falei que não ia morrer, mas, no mundo sem ela, eu até queria às vezes. Minha ganância não afeta meu amor por você, Elaine. Eu mataria todos os demônios e todos os deuses. Você é uma cicatriz. Por que fez isso por mim? Meu corpo regenera, mas minha alma não.”

Havia vários raps do meu amado Ban. Confesso que foi difícil escolher. Fiquei entre esse do 7 Minutoz e o do Tauz, dê uma conferida também, porque está incrível (clique aqui). Acho que a minha parte favorita dele é “eu quero ter tudo, não importa a circunstância, porque eu represento o pecado da ganância...”. O motivo de eu escolher a do 7 Minutoz é porque fizeram um resumo muito legal da história de vida do Ban, fazendo menção à triste infância dele, das pessoas que ele conheceu e a importância delas na sua vida e, claro, descrevendo bem o nosso Ban, o imortal.

Clique na imagem para ir ao vídeo, não foi possível por aqui.
Rap do King (“Nanatsu no Taizai”) - REI DAS FADAS | NERD HITS

Esse rap descreve de forma tão incrível os sentimentos do nosso Rei das fadas, que eu simplesmente me apaixonei, nenhum outro rap pode ser comparado a esse. Quando o escuto, automaticamente vejo-o em minha cabeça. A forma que a voz entoa a melodia... tudo se encaixa tão bem com o personagem, que é como se ele realmente tivesse escrito cada palavra! Esse é mais um do canal 7 Minutoz.

Clique na imagem, não foi possível por o vídeo aqui.

Rap da Diane (“Nanatsu no Taizai”) | FELÍCIA ROCK

“A inocência é o meu pecado. Com minhas fortes mãos, eu guardo a nação, construindo o meu legado. Aos meus amigos, minha devoção sublime é o meu amor que carrego em mim, num gigante coração.”
Esse rap ficou tão fofo! Falou de forma tão meiga quem é a nossa gigante favorita!  Esse foi o rap que descreveu com mais precisão a nossa Diane, expressando na melodia e na voz a inocência dela. Quem cantou foi a nova rapper que conheci há pouco tempo, Felícia Rock (clique aqui). Eu gosto muito da voz dela e a maioria de seus raps são incríveis! O mais legal é que ela faz sempre sobre as personagens femininas, que geralmente são esquecidas pelos outros rappers.

Clique na imagem para ir ao vídeo, não foi possível por o vídeo. 

Rap
do Gowther - A História da Marionete (“Nanatsu no Taizai”) | LEX ft. THELFOS

            “Sem saber o que fazer, vejo tudo ruir. O vazio a preencher, sinto por não sentir. Eu tento compreender, difícil é para mim. Não entendo o porquê de tudo ser assim.”

            Sem dúvida, esse é um dos mais lindos raps, que expressa de forma profunda o Gowther. Eu sempre fico arrepiada quanto escuto, porque, na realidade desse personagem, tudo envolve emoção. Então, de todos os outros Sete Pecados, acho que esse nos toca muito, porque acredito que muitas pessoas que já tiveram suas emoções bloqueadas devem sentir uma afinidade com a situação dele. Eu já tive a minha, então me toca muito. Quem fez foi o rapper Lexclash (clique aqui). Visite o canal dele e conheça seu trabalho.

 Clique na imagem para ir ao vídeo.


Rap da Merlin - (“Nanatsu no Taizai”) (+18) | FELÍCIA ROCK
            Se existe algo que gosto, é de mulher poderosa, e Merlin com certeza está nessa lista. Esse rap, com sua melodia e letra, expressou muito bem quem é a nossa poderosa Merlin, o pecado da gula. Porém, nem se compara com o outro rap que falarei abaixo. Foi feito pela Felícia Rock.

 Clique na imagem para ir ao vídeo.
Clique na Imagem  para ir ao vídeo. 

Rap do Escanor (“Nanatsu no Taizai”) - ORGULHOSO COMO UM LEÃO | NERD HITS

            Escolhi esse, do 7 Minutoz, do Escanor, um dos personagens mais poderosos dos Sete Pecados Capitais, por falar com mais detalhes sobre a sua origem e sobre a sua caminhada. Achei incrível, mas não senti, através da música, o quão estrondosa e poderosa é a presença do Escanor.

Clique na imagem para ir ao vídeo.
Rap da Merlin e Escanor - (“Nanatsu no Taizai”) | FELÍCIA ROCK ft. TAKERU

            Sabe o que é ouvir um rap de boca aberta e ficar toda arrepiada? Esse rap expressa de forma poderosa, fazendo jus a esses dois incríveis personagens, Escanor e Merlin. A voz que fez a parte do Escanor se encaixou muito bem, expressando à altura a presença poderosa do personagem. A parte que mais causa impacto é “... não é você quem decide o vencedor, jamais se esqueça disso. Aquele que decide as coisas sou eu!”. Essa é parte de suas falas originais do anime. Já a feita pelos rappers é “sim, sou tão forte quanto o sol. Não, não me compare com ninguém. Orgulhoso pelo que sei, para os inimigos sou o terror, o que está acima de todos, O orgulho, Escanor!”. Acho que a voz do Takeru expressou de forma poderosa quem ele é, então gostei. Já da nossa diva Merlin, a parte que mais gosto é “quer saber o seu destino quando isso acabar? O meu tubo de ensaio será seu lar, te farei minha cobaia. Vou te dissecar, só que alguém tão fraco assim não vai me saciar...”. Gosto porque nos faz ver o motivo dela ser o pecado da gula, nos mostrando o motivo dela causar medo em todos. Para mim, esse é o melhor do melhor, e foi na semana passada que lançaram. Eu sinto uma afinidade da parte da Felícia com a Merlin, me pergunto se é a sua favorita de “Nanatsu”.

Clique na imagem para ir ao vídeo. 

Rap da Elizabeth - (“Nanatsu no Taizai”) | FELÍCIA ROCK

“Preciso me conectar com a minha existência sem fim. Estou prestes a rever a deusa que habita em mim.”
            Eu simplesmente achei incrível esse rap. De todos que ouvi, é o mais potente, mostrando que a nossa princesa ingênua não é tão frágil quanto demonstra. Claro que é mais um trabalho da Felícia Rock. Fico toda arrepiada quando escuto. A primeira parte gruda na cabeça e não sai de jeito nenhum!

Clique na imagem.

Rap
do Hawk - Deus de “Nanatsu no Taizai” | LexClash

            Até o nosso porquinho favorito ganhou seu rap, afinal, ele é o deus da sobras. Ficou muito fofo. Foi feito pelo Lexclash.

Clique na imagem

Rap Ban e Elaine - (“Nanatsu no Taizai”) - (LAÇO IMORTAL) | FELÍCIA ROCK feat. TCPUNTERS

“Eu só queria poder te encontrar e nos teus braços outra vez descansar. Foi doloroso eu ter que partir, mas de nós dois jamais vou desistir. Diga que nunca irá me abandonar! Diga que um dia voltará para me buscar! Ainda que meus olhos eu não possa abrir, nunca se esqueça que eu estou aqui, sempre por ti, nem mesmo a morte acaba com o nosso amor transcendental.”

            Sabe o que é um amor tão suave quanto o vento? É o amor de Ban e Elaine. Esse rap descreveu de forma doce os sentimentos de ambos e sua história cativou o meu coração. Essa música simplesmente virou a minha “ichiban” da lista, perdi as contas de quantas vezes a escuto por dia. Ela é tão linda e emocionante, que chega a estremecer meu coração apaixonado. Então, quero dizer que esse dueto foi simplesmente maravilhoso. Eu pude sentir os sentimentos de ambos os personagens através dessa canção. A letra já até sei de cor. É mais um trabalho de Felícia Rock, em parceria com TCPUNTERS (clique aqui).

Clique na imagem.

Rap Ban e Elaine - (“Nanatsu no Taizai”) - SENTIMENTO IMORTAL  - TCPUNTERS Rap Ship #11

“Tudo que eu queria, por ela eu deixei de lado. Logo, tanto eu quanto ela já havíamos mudado. E aquele abraço foi só um gesto, mas fez o tempo parar. Não importava quanto tempo, eu só queria com ela ficar.”
            Ficou muito difícil escolher só um. Esse casal inspirou muitas pessoas, então existem muitos raps, um mais lindo que outro. Como eles são o meu casal favorito, eu tinha que compartilhar mais um que eu amo, que foi feito pelo TCPUNTERS. Ele tem vários projetos de Rap Ship, então dê uma passada no canal dele e verifique seu trabalho maravilhoso. Esse fala muito dos sentimentos do Ban pela nossa fadinha querida.

Clique na imagem.
Rap King e Diane – (“Nanatsu no Taizai”) - LEMBRANÇAS - TCPUNTERS Rap Ship #13

            Esse é do nosso casalzinho amorzinho, Diane e King. Achei muito amorzinho esse rap que foi feito para eles, também pelo TC PUNTERS.

            Não gostei muito do feito para Elizabeth e Meliodas, mas, se um dia aparecer algum, com certeza trarei aqui no blog. Essa é a minha lista dos raps que mais gostei. E vocês? Curtem raps inspirados em personagens??

0 comentário

Shiratori Reiko (J-Drama)


      

      Quando vi o trailer desse dorama, fiquei bem animada e confesso tive altas expectativas sobre esse enredo, que parecia muito intrigante. No entanto, devo dizer que, no fim das contas, fiquei em um caso de amor e ódio, mais ódio, é claro. Pela primeira vez na minha vida, fiquei com um supremo ódio da cara do protagonista masculino e, cá entre nós, a protagonista, em alguns momentos, irrita com o excesso de confiança e orgulho dela. Mesmo sendo assim, ela conseguiu me arrancar lágrimas, por culpa do idiota que ela gosta. Antes, eu não fazia ideia de que o dorama e o live-action, lançados em 2016, se tratam de remake. Só depois de pesquisar um pouco, vi que ele é baseado em um mangá, que foi lançado em 1988, o qual não encontrei para ler. Então, não sei dizer como é a ilustração e se a história original se encaixa bem com o que assisti ou se tem suas diferenças.


            Em 1990, lançaram um ova de 44 minutos. Encontrei, mas não estava legendado, então tive que entender as coisas por cima, já que o meu japonês ainda é pobre. Vi vários casos que tiveram no dorama, embora o desenvolvimento fosse diferente. Gostei. Em 1993, teve seu primeiro dorama e em 1995 saiu um live-action. Não encontrei nada a respeito de ambos, então não faço ideia de qualquer detalhe, infelizmente. Agora, o remake teve uma ótima produção e o bacana é que cada episódio tem apenas 25 minutos, então dá para terminar muito rápido. Vamos lá, se cada episódio fosse de 40 minutos, eu ia querer me jogar de um prédio, porque esse dorama é extremamente irritante. Pensei um monte de vezes em desistir.
A trama envolve uma jovem dama rica que, quando pequena, sofria bullying de seus coleguinhas da escola. Ela acabou sendo salva por um garoto, pelo qual acabou se apaixonando. Contudo, a garotinha não conseguia ser sincera com seus sentimentos, sempre rejeitando-o e fazendo-o ficar distante. Quando ele chega à maioridade e resolve fazer faculdade em Tokyo, a jovem dama recebe uma proposta de casamento que seus pais insistem que ela tem que aceitar. No entanto, a garota vai para Tokyo perseguir o seu amor, pois não aceita a ideia de casar com outro homem que não seja o seu grande e primeiro amor. E agora? Depois de adulta, ela conseguirá vencer seu orgulho e laçar o coração do seu amado?


            Reiko Shiratori é uma jovem dama linda que tem alta confiança em si mesma e um nível altíssimo de orgulho. Apesar de aparentar ser intocável e fútil, na verdade, é uma garota de coração enorme, que pensa mais nos outros do que em si própria. No entanto, ela demonstra esse cuidado de um jeito um tanto peculiar. Ela é uma verdadeira dama. Está sempre se vangloriando por ser a melhor em tudo. Mesmo sendo mimada, uma vez que decide botar a mão na massa, ela não hesita nem por um segundo. Quando seu pais cortaram todo os seus beneficios, a jovem foi trabalhar em um restaurante humilde, sem sequer reclamar. Na verdade, trabalhava com grande animação. Apesar dela ser irritante, por ser tão confiante, ao ponto de não notar a sua inconveniência, ela me conquistou pelo seu coração sincero e por permanecer com seus sentimentos imutáveis. Não importa o que o homem que ela gosta fizesse, ela continuava gostando dele genuinamente, o que me deixou irritada algumas vezes, porque queria que ela fosse um pouco mais dura com ele.


            Tetsuya Matsumoto é um rapaz muito popular entre as meninas. É amigável e tem um bom coração. Contudo, ele é facilmente influenciado por sua carência e falta de confiança, fazendo-o, na minha opinião, um cretino que acaba seguindo o primeiro rabo de saia que o faz se sentir mais amado e sem complicações. Esse rapaz, apesar de vir de uma família humilde, desde pequeno disse gostar da Reiko, mas sempre foi rejeitado por ela e nunca percebeu que a rejeição dela era só a sua personalidade extremamente orgulhosa falando. No entanto, a jovem dama sempre confiou em seus próprios sentimentos e nos dele. Por isso, mesmo quando o via com outras garotas, acreditava que, no fim, ele só gostava dela. Agora, na faculdade, a Reiko tem demonstrado seus sentimentos da maneira dela. Todo mundo vê que ela gosta dele, menos ele. Uma vez que alguém lhe deu um empurrão para enxergar isso, ele foi observá-la como um expectador.

  Várias vezes ela provou o quanto gosta dele, mas, ainda assim, ele continuava se sentindo inseguro, confiando apenas no que os olhos viam e não na garota que estava sempre o seguindo e confiando cegamente nele. Então, o babaca acabou largando-a, sem sequer dar uma satisfação, e foi morar com uma ex. namorada. Foi aí que meu ódio começou. Uma vez, talvez possa ser perdoada, mas ele fez mais uma vez, e aí eu tive certeza que eu odiava de verdade esse protagonista. Achei extremamente humilhantes as coisas que ele fez para Reiko. Mesmo assim, a coitada confiava nele e o aceitava de volta na boa, quando ele voltava. QUE ÓDIO!!!


            Ayame Kakutsubata é uma jovem dama que é rival da Reiko. Na sociedade, as duas estão sempre tendo uma luta por território. Uma vez que descobriu que a Reiko era afim de Tetsuya, passou a persegui-lo e dizer que gostava dele, tudo para provocar sua arqui-inimiga. No fim, ela viu que não havia lugar para ela, então simplesmente cansou. No entanto, ambas continuavam sempre dando choque quando se encontravam. No fim das contas, Ayame ajudou muito a Reiko nos momentos de força, dando um ar de amizade extremamente valiosa entre as duas, apesar de ainda deixar claro serem eternas rivais na sociedade.


            Ryunosuke Yoshimoto é um jovem mestre, pretendente a noivo de Reiko. Ele é extremamente cavalheiro. Apesar de não conhecer a fundo a jovem, é apaixonadíssimo por ela e tem feito de tudo para conquistá-la. Ele sempre diz como gosta de tudo dela, apreciando até mesmo as rejeições. Sinceramente, mesmo ele não sendo um deus grego e sendo excêntrico, preferia ele a esse idiota do Tetsuya. Ryunosuke parecia apreciá-la mais que ele, então gosto muito dele. É mais fiel aos seus sentimentos, mesmos sendo rejeitado constantemente, de forma, às vezes, muito cruel.
            Aparecem muitos outros personagens. Não são irrelevantes, mas não há a necessidade de falar muito deles. Eu, sinceramente, não gostei desse dorama e não assistiria novamente. Terminei esse dorama só porque queria ver como seria o fim da Reiko, mas, pela minha raiva daquele Tetsuya, eu teria parado de ver, já que ele foi o babaca da história. Então, fica à critério de vocês se vale a pena ou não. Eu não achei ruim, só não gostei.


Gênero:    Comedia Romantica

Autor: Yumiko  Suzuki
Mangá:  7 Volume  
Dorama 2016:    10 episódios 
Ova:   1episódios 
Filme:   2  Volume
0 comentário