Vocaloid


          A verdade é que eu não sei nada sobre Vocaloid. Até um tempo atrás, eu não tinha qualquer interesse, mas o que me despertou o interesse neles foram minhas amigas que fazem cosplay e gostam tanto dos personagens. Por esse motivo, lá foi a Hime  conhecer alguns Vocaloids e, quem sabe, até mesmo escolher uma para si. Acabou que gostei de alguns. Só que, o que eu sei sobre eles??? NADA!! Se me perguntam o que é  Vocaloid, eu não sei explicar de forma correta. Pensando em mim, totalmente leiga sobre o assunto, e as pessoas que sabem menos ainda que eu, fiz algumas pesquisas, o que me deu uma dor de cabeça terrível, mas vamos lá nos aprofundar e conhecer um pouquinho sobre o assunto.


            Vocaloid é um software desenvolvido pela YAMAHA desde o ano 2000, uma tecnologia que sintetiza a voz. Com esse software, você escolhe um cantor virtual e o faz cantar a música que quiser, apenas colocando a letra e a melodia. Com uma variedade de vozes e alguns personagens, você pode montar seu próprio show com um vocalista virtual e até mesmo fazer algumas mudanças na voz, conforme queira. Esse produto foi anunciado em 2003 com a primeira série, V1 (Vocaloid1), mas só caiu na praça em 2004, em inglês, com os Vocaloids Leon, Lola e Miriam, desenvolvidos pelo studio Zero-G. Logo depois, lançaram também em japonês os Vocaloids Meiko e Kaito,  desenvolvidos pela própria YAMAHA com a Crypton Future Media.


            A série Vocaloid2 foi anunciada em 2007, com uma tecnologia melhorada  e novas funções, mas não suportava o banco de vozes do seu antecessor. Os novos Vocaloids, em inglês, são Sweet Ann, Prima, Sonika, Big Ai, Tonio, Sonika e a Megurine Luka, que também tem em japonês. Em japonês: Hatsune Miku, Kagamine Rin, Kagamine Len, Kamui Gakupo, Megpoid, SF-A2 Miki, Kaai Yuki e Hiyama Kiyoteru. A YAMAHA parou a produção do Vocaloid1 e Vocaloid2 em 2011, interrompendo totalmente a venda  do V1 em 2014 e, em 2016, o V2.


            Em 2011, foi lançada a série Vocaloid3, com uma nova tecnologia, com capacidade de cantar outras línguas como coreano, chinês e espanhol. Com suas novas atualizações, também tem capacidade para suportar o banco de vozes do V2. Além disso, também foi incluído um novo software que da a capacidade de sintetizar vozes de forma mais natural. Os novos Vocaloids, em inglês: Oliver, Avanna, English Megpoid, e  Macne Nana. Em inglês e japonês:  Kaito V3, Hatsune Miku V3,  Yohioloid e Meiko V3. Em japonês: Mew, V3 Megpoid, VY1V3, Tone Rion, Cul, Yuzuki Yukari, Ia, V3 Lily, V3 Gackpoid, VY2V3, Mayu, Aoki Lapis Se, Mew Se, Zola Project, Kokone, Anon & Kanon, Vflower, Tohoku Zunk, Galaco Neo, Rana e Chika. Em chinês: Xin Hua, Yuezheng Ling e Luo Tianyi. Em espanhol: Bruno, Clara e  Maika. Em japonês e coreano: SeeU. Tem várias versões desses Vocaloids no próprio V3. Por sua vez, sem uma data específica, foi lançando o Vocaloid4, que, pelo que entendi, é uma fusão das 3 séries anteriores, com mais algumas funções de melhoria. Além dos Vocaloids que já existem em outras versões e até em outros idiomas, mas alguns outros Vocaloids novos.  Tecnicamente, Vocaloid é isso: um software que produz musica sintetizada para cantores virtuais ou para outros fins.
            Tudo é muito complexo sobre Vocaloid. Eu não fazia ideia do que realmente era. Tudo que eu conhecia era alguns personagens que acabaram por ficar muito famosos no mundo todo. Imagino que uma boa parte dos otakus conheçam a Miku Hatsune, pois ela é a personagem mais amada e famosa dos Vocaloids. Uma verdadeira idol virtual. Com uma série de versões de estilo, ela viralizou pelo mundo. Então, tem personagens cantores virtuais muito mais famosos que cantores reais, principalmente no Japão, imagino. Não disse isso antes, mas cada personagem  tem seu próprio provedor de voz e muitos são cantores conhecidos no Japão.

            Confesso que existe uma dificuldade enorme para vir aqui e explicar algo que nem eu mesma entendo direito. Pode ter faltado muitas informações sobre o assunto.  Porém, o motivo para eu explicar sobre isso é que logo falarei sobre personagens dos Vocaloids, então, queria entender o que realmente eles são e não só vir falar sobre os personagens. Acredito que esse programa foi feito para que pudéssemos nos divertir e trabalhar com a música de modo virtual,  mas os personagens criados acabaram ficando muito famosos e queridos pelo mundo. Existem personagens que foram criados pelos próprio fãs, até mesmo games e outras coisas. Já usaram até mesmo esse software para recuperar a voz de um cantor famoso que faleceu. Achei muito interessante, pois embora esse programa seja algo para divertir, pode se usar em coisas muito mais sérias.
            Outra hora venho aqui falar sobre os personagens de modo mais individual. Não sei se entenderam bem. Eu, sinceramente, ainda tenho minhas dúvidas e ninguém que entenda o suficiente para respondê-las.


1 comentário

Os live-actions que mais gosto

         

         Ultimamente, tem saído um tsunami de live-actions no Japão, o que eu tenho amado, afinal, muitos títulos de mangás shoujo e josei maravilhosos estão ganhado vida. Entretanto, antes em que eu caia  nessa onda gigante, quero compartilhar com vocês  os que eu já assisti e gostei muito. Sempre comento isso aqui, que nem sempre a produção  dos filmes e doramas japoneses  são bons  como esperamos, mas entre esses sempre tem um que nos satisfaz. São desses live-actions que eu vim aqui compartilhar com vocês.  Podem assistir sem medo de se decepcionar.


            Ao Haru Ride: já falei do anime, comentei sobre o mangá e o live-action (clique aqui). Esse é muito amorzinho. Conta a história de uma estudante que um dia reencontra o seu primeiro amor do fundamental. Mesmo acreditando que tudo ficou no passado,  uma vez que ela o encontra, uma onda de sentimentos volta a invadir o seu coração. Entretanto, ele veio completamente mudado. Sem saber dos seus motivos, ela tenta não se afundar em seus sentimentos, mas não consegue ignorar o seu aspecto tão sombrio e sofrido. Um pequeno resumo da história. Para saber mais, leia a postagem. Eu simplesmente AMEIIIII o live, ficou perfeito. Claro que sempre esperamos mais, só que eu me senti bem próxima dos personagens. Eles seguiram com perfeição o mangá. SIM, vocês têm que assistir.


            Boku ga ita: já falei sobre o anime, mangá e o live-action (clique aqui). Essa história sempre me causa um dorzinha aguda no kokoro. Tanto que não consegui assistir ao anime de novo, mesmo amando tanto. Ele conta a história de Nana, que se apaixonou por um aluno popular da escola, entretanto, ele ainda tem sentimentos pela sua namorada falecida. Muita dor no coração, MUITA dor mesmo. São dois live-actions. Além dele ser maravilhoso, você consegue ver o final da história, que você não viu no anime e nunca saberá se não ler o mangá. É maravilhoso e sofrido, mas INDICO MIL VEZES. Assistam.


            Clover: encontrei esse live por acaso e já assisti duas vezes. Provavelmente, verei outras vezes, pois é maravilhoso. É bem adulto, claro que nada de pegação, mas sai daquela onda de pureza em que parece que os casais só vão ter relação sexual quando se casarem. Doramas coreanos que são assim. O povo de 30 anos namora e  namora, mas parece que nunca vai ser íntimo. Enfim, né. Esse conta a história de uma moça que está sempre sofrendo nas mãos de seu chefe superexigente. Um dia, ele a pede em namoro. Ela fica se perguntando: “como assim? O cara me trata como capacho, nunca demonstrou ter interesse em mim e de repente me pede em namoro??" Já falei dele com mais detalhes, leiam  (clique aqui). É muito bem feito. Amei tudo.


            High school debut: esse dorama não tem a melhor produção do mundo, mas não é ruim. Na verdade, já assisti 5 vezes e vou ver muitas outras vezes, pois é maravilhoso demais. Prometo risadas sem medidas. O mangá é um amorzinho, um dia venho falar dele aqui, com certeza. Esse conta a história de uma menina que decidiu arrumar um namorado a todo custo. Embora pesquise e tudo mais, não tem tido sucesso algum. Um dia, ela conhece um cara muito estiloso que aparenta entender de moda e pede para ele ser seu mestre. Embora ele diga não, depois dela grudar feito chiclete nele, acaba ajudando, mas exige que ela nunca se apaixone por ele. MUITO BOM. AMO.


            Ai wo utau yori ore ni oborero!: poderia ser muito melhor, pois teve um final ruim. Mesmo assim, é o live de um mangá que amo e nem tudo foi tão perdido assim. Na verdade, é um live-action muito fofo, provavelmente as lolitas devem gostar dele, pois vamos ver muitas nele. Esse conta a história de um garoto que é a princesa de sua escola masculina e que está apaixonado pelo príncipe da escola feminina ao lado. É muito amorzinho esse  live. Já falei deles aqui, então leiam para conhecer (clique aqui).


            Kamikaze girls: NOSSA, NOSSA... esse filme é velho, mas é muito bom. Primeiro porque a minha cantora maravilhosa, Anna Tsuchiya, atuou nele. Já falei dela (clique aqui). Segundo, envolve lolitas também e, terceiro, é muito bom, de verdade. Claro que produção não é das melhores, mas eu já vi 3 vezes e devo continuar assistindo ainda. Esse conta a história de duas moças totalmente opostas, uma lolita e uma delinquente, que faz parte de uma gangue de motociclistas, que acabam ficando amigas. É um amorzinho.

Melhor cena meu coração quase expludiu

            Kinkyori Renai: esse live-action poderia ser melhor, mas não foi ruim. Na verdade, eu amei, embora eu quisesse que tivessem aprofundado mais na história que é maravilhosa. Eu amo de paixão esse estilo. Essa história se trata de amor proibido entre aluna e professor. É simplesmente de tirar o coração do peito por vários motivos, principalmente porque o professor é de tirar o folego, O.M.G. Estou apaixonada. Acho que nunca me cansarei de assisti mil vezes essa história. Assistam. Foi muito bom, embora acredite que o mangá deve ser muito melhor.


            Nana: eu simplesmente amo Nana. Quem me acompanha no Instagram, sabe que eu estava revendo o anime. Como sofro vendo, por muitos motivos. É uma história linda, dolorosa e maravilhosa. O live-action é antigo, mas foi muito bem feito. Fiquei realmente surpresa de como eles foram bem fieis. Embora as músicas sejam diferentes, eu amei ainda assim. INDICO com certeza que vejam, vale muito a pena. A história desse é sobre duas garotas chamadas Nana que, como se os seus destinos tivessem ligados, acabaram por se encontrar de forma surpreendente. Começam a dividir o apartamento, começando uma linda e profunda amizade. Com isso, elas passam por muitas situações, algumas boas outras dolorosas. É maravilhoso. Em breve vou dar mais detalhes sobre.


            How to date na otaku girl: outro live-action antigo, porém é maravilhoso. Conta a história de uma Fujoshi (gosta de LoveBOY), que está sempre tendo problemas para arrumar um namorado, devido ao seu hobby. Um dia, o estagiário universitário da sua empresa acaba a pedindo em namoro e, antes de responder, ela revela sobre seu hobby. Ele não fazia ideia exatamente do que se tratava e, agora, ele tem que lidar com uma namorada otaku que gosta de romance entre homens. Já falei dele aqui, leiam mais detalhadamente na postagem (clique aqui). MUITO BOM. ASSISTAM.


            Usagi drop: esse é muito amorzinho. Achei muito bem feito. É como se eu estivesse lendo o mangá ou vendo o anime. Falei recentemente dele (clique aqui). Esse conta a história de um homem solteiro que acaba por ficar responsável por uma menina de 6 anos, filha ilegítima do seu falecido avô. Agora, sua vida toda tem que mudar por ela. É muito bom, então assistam. Está disponível na Netflix.

            Esses foram os live-actions que eu gostei. Já assisti alguns outros que foram bem lamentáveis e com certeza falarei deles um dia. Essa semana saiu uma postagem de um live de terror que achei muito bom, “Corpse Party” (clique aqui), está liberado na Netflix e indico também. Ano que vem, vamos ter uma boa onda de live-actions aqui, então fiquem aguardando. E vocês? Quais gostaram? E quais não gostaram?
0 comentário

Corpse Party ( J-Live-action)

           

            Como estamos em outubro, esse mês pede por terror, não é mesmo? É automático! Fora o horário de verão, que só falta nos deixar loucos, eu adoro essa época do ano. Encontrei esse live-action japonês na Netflix e fui assistir totalmente sem expectativa, afinal, poderia ser tão ruim quanto como o último que assisti, o “Kotodama” (clique aqui).  Porém, fiquei surpresa, pois achei muito bom. A produção foi até boa e os atores escolhidos se encaixaram muito bem aos personagens. Embora tenha algumas mudanças comparado ao anime, não houve nenhuma alteração que  comprometesse a originalidade. 


            Eu não fazia ideia que Corpse Party é dividido em várias séries, então acreditava que ele seguiria a mesma história do mangá que eu tenho, o “Corpse Party: musume”. Ele é MUITO icchi, por isso que, depois que li o primeiro volume, perdi o interesse. Ele conta uma história diferente e tem alguns personagens parecidos com a da primeira série, “Corpse Party: blood covered”, que é o mesmo da história do live-action. Também tem “ Corpse Party: another child”, que, pelo que analisei, tem uma história diferente e personagens bem diferentes das duas primeiras séries; e “Corpse Panty: book of shadows”, esse conta a história da menina de óculos que aparece nas duas primeiras séries. Ela não aparece no live-action.


            A primeira série tem um ova com 4 episódios. Eu não ia assistir, mas não resisti. Para ver se o live-action havia sido fiel, já que não li o mangá,  eu precisei ver por mim mesma. Não foi perda de tempo, pois é um anime muito bom, que compensa muito assistir. Primeiramente, "Corpse Party" era apenas um game de terror, mais tarde acabou virando mangá, com várias séries. Quem gosta de terror com certeza vai amar  acompanhar todas essas histórias, então fica minha dica de três estrelas para vocês. Um combo bem legal de  mangá, games, anime e filme.
            A história do live-action envolve alguns estudantes que, em uma noite de tempestade, estavam fazendo os preparativos para o seu último festival de cultura antes da graduação. A representante de sala da a ideia de fazerem um encanto chamado “Sachiko para sempre”, para que eles pudessem ficar conectados para sempre, mesmo depois da graduação. Nisso, a professora e a irmãzinha de um dos alunos, que chegaram no momento, acabam participando do ritual. Após concluírem, algo inesperado acontece: um terremoto. Quando se dão conta, estão em um lugar desconhecido, uma escola velha. Depois de explorar o local, se dão conta que estão em um dimensão diferente, em uma escola primária que foi demolida após um assassinato terrível. Agora, eles tem que lutar contra o sobrenatural para conseguir voltar para seu mundo com vida.


            Naomi Nakashima é uma vívida amiga de infância de Satoshi. Embora o trate a trancos e barrancos, a verdade é que ela se importa e gosta muito dele. Para ser mais direta, ela é apaixonada por ele. Quando estava nesse pesadelo, ela acabou se machucando, torcendo o pé, o que dificultou muito sua locomoção. Ficou muito chocada quando viu vários corpos destroçados diante de si e foi ajudada por sua amiga. O que me deixa um tanto de olhos revirados é como alguém que está em um lugar assustador daquele consegue dormir tão calmamente. Sim, a mocinha, enquanto sua amiga fazia o curativo, caiu no sono. Como assim??? Quem consegue dormir naquela situação???


            Satoshi Mochida é o medroso do grupo, porém o galã da história, já que é o crush das garotas da sala. Ele tem sua irmãzinha, Yuka, que acabou caindo junto deles nesse pesadelo. Embora seja um medroso, até que foi prestativo. Mas me diga quem deixa a irmãzinha ir sozinha ao banheiro ou a qualquer lugar sozinha em um lugar daquele???? Pelo amor! Eu fico impressionada como alguém pode achar que existe um lugar seguro quando estão envolvidos com o sobrenatural. Pelo menos verificasse o banheiro. Quem garante quem não tem um fantasma? Não!! Ele deixou a menina ir sozinha, claro que coisa boa não deu. Depois de se perder da irmãzinha, encontrou sua amiga de infância, Naomi, aterrorizada em um canto. Satoshi mostrou ter sentimentos por Naomi também .


            Ayumi Shinozaki, representante da sala, gosta de histórias de terror, mas na prática ela ficou bem aterrorizada. Acompanhada pelo Yoshiki, eles estão em busca de como voltar para o mundo real. Descobre que, uma vez que ajudem as três crianças mortas a se livrarem dos seus ressentimentos com os papeizinhos do ritual, podem voltar. Então, vão atrás para solucionar tudo para voltarem. Entretanto, Ayumi, que também gosta (revira o olho) do Satoshi, acaba sendo dominada pela inveja  da relação da Naomi com ele e acaba sumindo com o papelzinho da sua colega, entregando um papel falso para ela. Dizem que quem ri por último, ri melhor, mas a única pessoa que riu aqui fui eu mesma. Sei que não devo rir da desgraça alheia, só que não sou santa.


            Yoshiki Kishinuma é um garoto que intitularam de delinquente, mas o acho mil vez melhor que Satoshi. Gosto é gosto. Ele gosta claramente de Ayumi, mesmo irritado por ela não enxergá-lo por causa de seu amor por Satoshi. Talvez ele apenas não seja o tipo dela. Kawaisou (coitado), Yoshiki. Ele continuava preocupado, a protegendo e se ferrado por causa dela. Que lindo!!!  No final, ele foi um verdadeiro herói para ela e se lascou, maravilha!!


            Seiko Shinohara é uma menina bem alegre, que ama sua amiga Naomi. Não só como amiga, muito mais que isso. Ela sabia dos sentimentos da amiga e apoiava, mesmo que fosse doloroso. Estava disposta apenas a continuar ao lado dela, o que já era suficiente. Ajudou a amiga, se preocupou com ela e, no fim das contas, sua amiga feriu seus sentimentos, o que a fez sair por aí sozinha. Já sabemos que quem sai por aí sozinha, geralmente, nunca acaba bem, não é mesmo???


            Mayu Suzumoto é uma garota meiguinha, que ama seus amigos. Está sempre junto de Sakutaro, que ela chama carinhosamente de irmão. Perdida, sozinha nesse pesadelo, acaba conhecendo os fantasmas de duas crianças, com as quais ela fica conversando alegremente, como se não fosse estranho. Quando Ayumi e Yoshiki a encontram, tentam afastá-la dos fantasmas.  Ela diz que não pode deixá-los sozinhos e que eles são bonzinhos. É verdade, eles mostram ser muito bonzinhos quando fizeram aquela coisa medonha com ela. Kawaisou, Mayu...


            Sakutaro Morishige é um rapaz  que tem uma feição intelectual. Não tenho certeza sobre sua verdadeira personalidade, entretanto, ele aparentou ser bem insano.  Não ficou aterrorizado diante dos cadáveres, mas sim excitado. Antes de perder a cabeça completamente, está muito preocupado com a Mayu, a quem ele parece ser bem preocupado. No anime, ele diz que é por causa dela que ele é capaz de ser uma pessoa melhor. Sem ela, Sakutaro perde o controle de si.  Ele se tornou bem assustador.


            Yuka Mochida, irmãzinha de Satoshi, é uma fofinha. Gosta muito de seu irmão e, em uma situação tensa como aquela, se encontra apertada para fazer o número 1.  Depois de se perder do seu irmão, ela se encontra desesperada pela escola quando se depara com Sakitaro totalmente louco. Com medo, se esconde dele e conhece uma garotinha de cabelos pretos e vestido vermelho, que a ajuda a fugir. Entretanto, ela acaba caindo na mão do pior fantasma possível. Pobre Yuka, sofreu muito nas mãos daquele fantasma.


            A sensei Yui foi a primeira a se ferrar. Quando a vi ali, no meio daqueles adolescentes, pensei: essa vai ser a primeira. Nessa história tem três crianças, duas delas foram mortas pelo fantasma da garotinha chamada Sachiko e a outra a própria. O zelador da escola, que foi obrigado a ajudar como fantasma, anda pela escola com um martelo, matando quem encontra em sua frente. A Sachiko é a fantasma rancorosa, que fez toda essa situação. Quase no final, conhecemos toda a  história dessa garotinha assustadora.

            É um filme muito bom. Não sei se posso dizer que me fez muito medo, sou estranha sobre isso. Só que, se analisar que eu ando me assustando facilmente, posso dizer que fez efeito sim. Então, tudo muito indicado: anime, mangás e o live-action. Aproveite que, quem tem Netflix, pode assistir com ótima qualidade.

Gênero:  terror,  suspense, horror, Sobrenatural
Filme:   1
Anime:   4 Episodio
Ova:   1 episodio
Mangá:   10 Volumes
Outras series mangás:   cada um com 3 volumes
Onde Assistir:  


Netflix
0 comentário

Chou Yo Hana Yo

          
  
           Conheci esse mangá há uns 3 ou 4 anos e acompanhava o lançamento dele pelo site Ridisu. De um tempo para cá, finalmente chegou ao fim. Esse josei é mais uma obra da mangaká Yoshihara Yiki, já falei de uma das obras dela aqui, “Aisuru hito”, (clique aqui). Por ela ter um estilo único de abordar de forma cômica o romance adulto, mesmo sem ler quem era a autora, percebi enquanto eu lia. Dessa vez, eu tenho que dar os parabéns, pois mesmo ela ainda usado seu jeito cômico, que é a sua marca, ela foi muito mais cautelosa. Diferentemente da outra obra, ela soube balancear bem todos os sentimentos, sem exagerar demais na comédia ou estragando o romance. 
            Então, de todas as obras que conheço, até agora, essa foi a melhor. Outra coisa também é que ela melhorou muito a sua técnica de ilustração. Pode-se notar semelhanças com antigamente, é claro, mas está muito mais bonito agora. Foi por isso que, só de olhar a capa, não notei de cara que era obra dela. Esse mangá é muito gostoso de ler, pois encontramos um pouco de tudo, principalmente muitos momentos de completa descontração. Eu amo histórias em que o cara, como mordomo, serve fielmente seu mestre, mas ela pegou essa lealdade e encaixou em muitas situações que tornou isso muito engraçado. É como se ela dissesse "olha só como sua vida seria se  você tivesse um mordomo e ele virasse seu namorado". Muito engraçado e intenso ao mesmo tempo.

            A história gira em torno de uma menina que é filha de uma família rica de comerciantes, entretanto, eles vieram à falência, perdendo seus empregados, sua casa, tudo. Agora, vivem de forma humilde como cidadãos japoneses comuns, lutando para, ao menos, se manterem com sua pequena loja de udon, que conseguiram através de empréstimos. A garotinha, que agora é uma adulta, está indo à luta, atrás de um bom emprego para ajudar sua família. Quando chega em uma entrevista de uma grande empresa, ela fica chocada quando o entrevistador pergunta de forma descarada se ela era virgem. Totalmente constrangida, ela diz sim.


            Outro dia, recebe a notícia de que conseguiu o emprego. Quando chega lá, descobre que o cara que fez a pergunta constrangedora é o seu novo chefe, extremamente severo e às vezes gentil, um homem estranho. Entre muitos acontecimentos, ela acaba por descobrir que, na verdade, ele era seu antigo servo pessoal. Embora ele quisesse esconder por um tempo sua verdadeira identidade, sua fidelidade de servo não permitiu. O seu servo, que é também seu chefe, ainda a tinha como sua mestre. Agora, ela tem que lidar com ele como um chefe muito severo e um servo muito eficiente. Estaria bom se o relacionamento deles ficasse somente nisso, entretanto, a jovem acabou por vê-lo além de chefe e servo, criando sentimentos por ele. Para ele também não parecia ser diferente. Atrás daquele comportamento de servo, dava a entender que ela era muito mais que disso para ele. Porém, para ele, como servo leal, será que ela conseguirá ultrapassar essa barreira e os fazer ser um casal normal?



            Kuze Chouko é uma jovem muito delicada que, embora hoje seja pobre, carrega ainda a sua estatura dentro de si, ainda pode ser bem nobre. É uma moça alegre, atrapalhada, porém muito esforçada e tem dificuldade para mentir. Ao começar a trabalhar na empresa, ela cometeu muitos erros que fizeram seu chefe muitas vezes ser muito severo com ela. Entretanto, em outros momentos, ele era gentil, o que a fez acabar gostando dele. Descobrir que ele era seu servo e que mesmo depois de ter saído de sua casa, ele nunca a esqueceu, a fez muito feliz. Muitas vezes, eles brigavam  e ela o acusava por assédio. No fundo, ela gostava, esse era meu ponto de vista. Essa é uma heroína bem legal,  gosto dela. Não fez nada irritante, não hesitou no que queria, lutou firme por tudo, bem, ela era muito amada, no fim das contas. Quem deu trabalho mesmo foi o senhor chefe e servo e amante.  


            Doumoto Masayuki é um homem muito inteligente, prestativo e bonito. Trabalha em uma grande empresa e é muito respeitado, até mesmo o presidente da empresa o respeita e confia muito nele. Ele é um verdadeiro otaku, o que deixa bem claro, mas eu acho que o seu fetiche é ser servo. Nesses anos todos, ele tem feito muito dinheiro e procurou a família que serviu por um longo tempo. Seu objetivo de vida é comprar as terras onde ficava a mansão da família Kuze e voltar a servir sua Dama. Não importa o que ele tem que fazer para conseguir isso, ele está disposto. Doumoto acreditava que não importava o que, entretanto, quando sua Dama estava tão perto dele, ele acabou recusando um casamento com a sobrinha do presidente.


            Tudo porque ele queria apenas servir e estar ao lado de uma única mulher. Ele dizia que só servi-la era suficiente e, no começo, até negou seus sentimentos por não passar de um servo. Entretanto, estava sempre livrado-a de qualquer homem. Às vezes, ele era cruel para ensinar lições como chefe, mas era um verdadeiro grude como servo e estava sempre cuidando de tudo. Quando, finalmente, ele resolve admitir seus sentimentos, ele passou a ser um verdadeiro assediador. Ver ele sendo assim, sempre tocando-a, me lembrou muito meu esposo. O que mais gostei é que aprendi a respeitar esse lado assediador do meu esposo por causa do Doumoto. Ele dizia que era porque ele amava tanto, que sentia só vontade de tocá-la a todo momento. Eu pensei "nossa, como sou amada e nem tinha notado".
            Tem outros personagens que vão aparecendo no decorrer da história. Não falarei deles, pois não há muito a ser dito sem revelar coisas que vocês devem descobrir no decorrer. Essa história é muito divertida  e tudo acontece de modo desenrolado, o que torna tudo muito agradável. Você "racha" de rir muitas vezes e, além disso, tem algumas cenas quentes. Eu gostaria que tivesse tido foco também no casal secundário, achei uma pena não terem focado neles. Então, superindicado. Leiam e depois me contem o que acharam. 

Gênero:   Romance,  comedia,  Josei
Autor: YOshihara Yuki

Mangá: 7 Volumes

Onde ler: 
0 comentário

Koisuru tenshi angelique: kokoro no mezameru toki

           

          Já disse muitas vezes, mas vou repetir: eu AMO harém reverso. Assisti a esse anime há muito tempo, na época em que eu estava vendo animes desse gênero sem parar. Óbvio que, por já fazer tanto tempo e que assisti a muitos no processo, não lembrava nada dele. Como deu vontade de ver novamente, lá fui eu. A produção dele não é muito boa. Tem uma história bem interessantes e personagens cativantes. Se eu for apontar algo que não gostei seria o final irritante. Outra coisa triste também é que na segunda temporada os 6 últimos episódios tive que ver com legenda em inglês, pois todos estão bugados e não encontrei nem para download. Imagina: eu não sei inglês, como assisti?? Bom, tentei ir pelo japonês, que entendo um pouco. Mesmo assim, não sei o suficiente, foi tortuoso. Irei falar primeiro da primeira temporada, já que a segunda segue um rumo diferente. Dividirei.
            A história envolve uma moça comum, que mora em algum mundo do universo Shinchou. Um dia, muitas moças foram convocadas para irem para a Terra Sagrada. A jovem, se sentindo inapropriada diante de tantas moças aparentemente melhores que ela, tenta se retirar antes das entrevistas e acaba conhecendo um rapaz de cabelos prateados. Ao se desentender com ele, a moça foge, entrando em um lugar estranho em que a porta se abre e a puxa para dentro. Ao ver que não havia saída, aparecem 3 portas com letras antigas que, por algum motivo desconhecido, ela consegue ler. Numa está escrito "presente", mostrando algo que ela tinha acabado de vivenciar: o encontro com rapaz de cabelos prateados. O "passado" revelou  uma memória dolorosa que ela queria esquecer: a primeira vez que seu coração foi quebrado e o amor passou a ser algo a se evitar.


            Na última porta estava escrito "futuro" e abriu sozinha. Lá havia um anjo que tinha exatamente a mesma aparência da moça. Então, luzes começam a se reunir e a rainha do universo de Seijuu revela que ela é a legendaria Etoile, escolhida para salvar o seu universo. Então, as luzes se localizam no pulso na moça, formando um bracelete. Embora ela tenha ficado muito confusa e não quisesse aceitar sua missão por achar não ser capaz, depois de algumas eventualidades, ela mesma decide encarar essa realidade. Agora, ela está diante da verdade, em que um universo paralelo ao que ela vive está quase desaparecendo e ela é a única que poderia salvá-lo, levando a Sacrea dos guardiões  do universo Shinchou para o universo Seijuu com o intuito de salvá-los.  


            Angelique, mais conhecida como Ange, é uma moça um tanto insegura consigo mesma, porém tem um coração muito grande e está pronta para ser prestativa para qualquer situação. Ela é órfã, sempre teve que se cuidar sozinha, se apaixonou uma vez, entretanto, levou um fora antes mesmo de se declarar, o que a deixou com uma marca profunda no coração. Agora, ela tem problemas sérios em aceitar o amor e tem muito medo de se apaixonar. Apesar de ser uma moça comum, foi escolhida como a lengedária Etoile e fará o possível para cumprir sua missão. Entretanto, como será agora que está diante de tantos rapazes diferentes? Será que ela conseguirá abrir seu coração mais uma vez para o amor?



            Rainha do universo Shinchou. O seu nome não é revelado e sua aia (dama) e seus 9 guardiões vivem na Terra Sagrada. Ela é encarregada de manter, com seu poder,  a harmonia entre a Sacrea, o que faz todos os mundos viverem em paz. A Sacrea  é como um poder elemental, cada um é governado por um guardião. Enquanto as nove Sacrea estiverem em harmonia, o universo vive em completa paz. Só a rainha, que se dedica dia após dia, é capaz de mantê-los em harmonia.
            A aia da rainha, Rosália, é a pessoa que acompanha a rainha antes mesmo dela começar a exercer seu papel. Então, por muitos séculos, ela tem sido o apoio dela, cuidando de coisas das quais a rainha não pode se comprometer.


            Julious é o sábio guardião da Sacrea da luz que o traz orgulho. É um homem loiro, muito bonito e sério. É o líder de todos os guardiões e quem coloca ordem entre eles. Pode ser bem sério. Por levar seu cargo muito a sério, muitas vezes demostra ser um pouco severo.


            Clavis é o sábio guardião da Sacrea da escuridão que traz paz. É um homem de lindos cabelos negros, culto e sério. Parece ser severo, mas na verdade é um verdadeiro romântico. Demorou para confiar na Ange, então não queria liberar o Sacrea para ela. Logo que ela provou seu valor, ele passou a aceitá-la. Ele tem um passado e já se apaixonou por alguém impossível de amar.


            Randy é o sábio guardião da Sacrea do vento que carrega a coragem. É um rapaz muito animado e pronto para qualquer coisa. Está sempre praticando arco e flecha.  Por ter quase a mesma idade de Ange, se deu muito bem com ela.


            Lumiale é o sábio guardião da Sacrea da água que traz nobreza. É um dos guardiões mais nobres e delicados. É muito sereno e está sempre tocando sua harpa. É muito quieto e na dele, está sempre rodeado de um ou outro guardião. Passa uma sensação bem serena. Gosto bastante dele.


            Oscar é o sábio guardião da Sacrea do fogo que dá força. É um homem galante, forte, muito bonito e bem gentil. Ele foi a pessoa que incentivou a Ange a não desistir de sua missão. Também houve uma vez em que acreditei que ele gostasse dela, quando sentiu ciúmes ao ver um homem a abraçado. É bem claro que ele se importa com ela, mas seus sentimentos são difíceis de entender.


            Marcel é o sábio guardião da Sacrea da vegetação que traz abundância. É um dos mais novos e se deu bem desde o começo com a Ange. É muito gentil e gosta muito de todos. Está sempre sendo um bom companheiro de Ange e se preocupa muito com ela.


            Zephel é o sábio guardião da Sacrea do aço que traz habilidade. Dono de lindos cabelos arrepiados e prateados, ele é um tanto temperamental e arrogante. Embora esteja sempre destratando a Ange, não é porque ele quer, mas sim por causa da sua timidez diante dela. Ele não consegue ser sincero com o que sente por Ange, por isso a trata com indiferença. De todos, foi único que teve coragem de se declarar e se mostrou extremamente ciumento.



            Olivie é o sábio guardião da Sacrea do sonho que traz beleza. Ele é um tanto excêntrico e tem um estilo bem extravagante, entretanto, é uma pessoa muito amável. Olivie disse que Ange não tinha bom gosto com roupas, então tratou logo de tentar fazê-la se vestir melhor.


            Luva é o sábio guardião da terra que dá sabedoria. Ele é um homem gentil, estudioso e observador. Se revelou muito tímido diante da Ange, mas a forma sociável dela o fez logo se sentir muito à vontade. Luva se apaixonou por Ange. Embora alguns dos guardiões percebessem, ele nunca disse nada a ela sobre seus sentimentos. Não gosto muito da voz que dubla esse personagem, mas gosto muito dele.

            Gosto muito de todos os guardiões. Queria que tivesse mais envolvimento deles com a personagem, mas tudo foi muito rápido. Alguns outros personagens do outro universo apareceram, mas vou deixar para falar deles na postagem da segunda temporada. Resolvi dividir em duas postagens, porque na segunda aparecem muitos outros novos personagens e acontecem coisas novas. Então, deixarei os outros para a próxima. Eu gostei muito, embora seja um anime que deixa algumas pontas soltas e eu queria tivesse se aprofundado mais nos sentimentos dos personagens. Porém, diante da  missão, foi meio complicando, então entendo um pouco. E aí? Já assistiram? O que acharam?

Gênero:   Fantasia, Romance, Harém reverso
Autor: Michiru Shimada


Anime: Primeira temporada 13  episódios   + segunda temporada 13  episódios  + 1 Ova


0 comentário