Mangás shoujos que já viraram live-action



           Parece que, de alguns anos para cá, virou moda fazerem live-actions dessas histórias ultra fofas. No começo, não foi lá essas coisas. Convenhamos que filmes japoneses não tinham qualidade alguma, pelo menos nada que me agradasse. Contudo, em meio a essa chuva de live-actions lançados, finalmente eles foram capazes de acertar na qualidade da produção. Todos são bons? Não! Nem todos atingem nossas expectativas de pessoas que amam um bom mangá shoujo, mas é sempre interessante ver essas histórias ganhando vida. Hoje, juntei 12 live-actions que já assisti e que já passaram por aqui para indicá-los a vocês.


            O primeiro é “AI wo utau yori ore ni oborero” (clique aqui). Eu simplesmente amo essa história. Já devo ter falado dela muitas vezes aqui no blog. O mangá é fantástico, eu adoro. O filme, confesso que não foi dos melhores e a produção não é muito boa. No entanto, meu caro, eu amei os atores que fizeram os personagens e adorei o desenvolvimento, embora não goste do final. Mesmo assim, indico, porque é maravilhoso. Amo.  

   
            O segundo é “Ao Haru ride” (clique aqui). Esse shoujo conquistou muitos corações e, quando saiu o live-action, todos esperavam que fosse o melhor do ano. Para mim, foi maravilhoso. Eu, que na época não tinha expectativa nenhuma em relação a qualidade, adorei o que fizeram. Achei que os atores se encaixaram bem nos personagens, apesar de, até hoje, não ficar muito satisfeita com o que fez o Kou. Ainda assim, achei que desenvolveram em tão pouco tempo muito bem a história, então vale muito a pena.



            O terceiro é “Boku no hatsukoi Kimi ni sasagu” (clique aqui). Demorei muito para ler o mangá, porque eu sabia que seria o tipo de história que destruiria o meu coração. O live-action é antigo e a qualidade é péssima, mas eu gostei de como desenvolveram a história tão bem e tão profundamente. Eu chorei às pitangueiras vendo ele. Eu indico muito que assistam. Vale a pena, mas preparem o psicológico e as emoções.



            O quarto é “Tonari no Kaibutsu-kun” (clique aqui). Demorei a assistir, mas fiquei muito satisfeita em como esse live-action ficou bom. Não tem a melhor da produções, mas tem qualidade. Os atores se encaixaram tão perfeitamente bem nos personagens que, para mim, eram os personagens, de fato. Adorei o desenvolvimento tão bem-feito em pouco tempo. Eu amei de verdade e até pretendo assistir novamente, porque é muito divertido. Por isso, claramente eu indico, com toda a certeza.



            O quinto é “Honey” (clique aqui). Não tínhamos muitos capítulos do mangá disponíveis, mas eu já tinha amado desde o primeiro capítulo. Fiquei tão surpresa em como o live-action supriu muito bem as minhas expectativas. A produção é boa e o desenvolvimento é ótimo. Mais que isso, é tão fofo esse filme que, se você gosta de uma fofa história de amor, tem que assistir. É muito amorzinho.



            O sexto é “Daytime Shooting star” (clique aqui). Encontrei o mangá por causa do live-action, que nem fora lançado ainda. Apaixonei-me pela história. Tenho certeza que vocês também irão, porque não tem como não. O live-action tem uma qualidade muito boa de produção e os atores se encaixaram tão bem nos personagens, que é como se vocês realmente vissem seus personagens queridos tendo vida. Então, muito indicando. Vocês precisam ver.


            O sétimo é “Marmalade boy” (clique aqui). Confesso que minhas expectativas estavam bem baixas sobre ele, mas a produção estava muito bem-feita e até que o desenvolvimento foi satisfatório, diante de tão pouco tempo. Quem já viu o anime, não ficaria tão facilmente satisfeito com tudo isso, mas quem gosta mesmo ficou feliz em vê-lo em live-action, ainda mais uma história tão antiga.


            O oitavo é “Ookami Shoujo to kuro ouji” (clique aqui). Apesar das inúmeras críticas das pessoas sobre a história, eu gosto muito dela. Fiquei muito feliz em ver o live-action, que por sinal estava com uma produção muito boa e os atores se encaixaram muito bem. O desenvolvimento foi muito satisfatório. Então, é um live-action que compensa ver.


            O nono é “Heroine Shikkaku” (clique aqui). Tenho milhares de razões para não gostar desse mangá, então posso dizer que é um caso de amor é ódio. O live-action foi muito bem produzido e os atores se encaixaram perfeitamente bem. O desenvolvimento foi irritantemente bem-feito. Estou dizendo isso por que é ruim ser bem-feito? Não! De jeito algum, mas é que essa história me irrita, então é desse jeito. Vale a pena assistir.


            O décimo é “Orange” (clique aqui). Quem conhece esse mangá sabe o quão profundo ele é. É uma história que exige que você esteja bem emocionalmente e psicologicamente. Eu fiquei muito feliz que o live-action foi feito com muito carinho e uma ótima qualidade, porque esse, em especial, merecia passar todos os seus sentimentos verdadeiramente. Foi lindo. Eu não mudaria nada. O desenvolvimento foi muito bem-feito. Então, por favor, preparem o coração e assistam. Vale muito a pena.


            O décimo primeiro é “Ore monogatari” (clique aqui). Eu sempre rolo de rir toda vez que leio esse mangá. Gostei do anime, mas adorei o live-action. Eles conseguiram achar atores perfeitos para os personagens e realmente deram vida para história de um jeito fantástico. Eu amei demais. A produção foi ótima e o desenvolvimento também foi muito bem-feito. Indicado!!!


            O décimo segundo é “Kinkyori Renai” (clique aqui). Eu era simplesmente apaixonada pelo mangá, que quando encontrei nem havia sido traduzido em português. É o tipo de história de amor proibido que amo. Quando saiu o live-action, eu fui à loucura, ainda mais porque quem faz o professor é um dos atores mais lindos do Japão.  A qualidade não é boa e o desenvolvimento é ruim, mas só de ver a interação dos dois personagens principais eu me sinto nas nuvens.
            Por hoje, esse são os que indico. Tem vários mangás que viraram live-action, mas esses são os que mais gostei, embora faltem alguns. Numa próxima vez, falarei desses outros. Espero que gostem. Caso queiram, podem me indicar algum live-action que gostaram.

0 comentário

Persona (K-drama)



          Há algum tempo, eu vi esse dorama disponível e achei curioso, por ser com a cantora e atriz IU. Confesso que tinha deixado para vê-lo mais para frente, porém houve algumas mudanças no cronograma, então resolvi o assistí-lo. “Persona” foi produzido pela própria Netflix, que o lançou em 2019, com 4 episódios, cada um de 25 a 27 minutos de duração. Cada episódio conta uma história totalmente diferente, sendo assim, IU representa personagens diversificadas. Vou ser muito direta sobre esse dorama: achei MUITO RUIM. Talvez eu não tenha entendido o fundamento lógico das histórias. Achei tão nada a ver que sinto que perdi 2 horas da minha vida à toa. Alguém me diga para que esse dorama, no fim das contas? Tudo indica que sairá uma segunda temporada nesse ano, com novas histórias. Espero que seja melhor do que essas aí.


            A primeira história tem como título “Jogo do amor”. Envolve uma jovem que parece ter um amor um tanto estranho pelo seu pai. Não suportando o ver com a sua nova namorada, ela resolve tentar algo para estragar a relação deles. Porém, como não parece ter dado certo, ela decide disputar diretamente com essa mulher na quadra de tênis, apostando que, se ela ganhasse, a mulher deixaria seu pai. Caso ela perca, ela terá que o deixar em paz. Apesar de ser apenas um jogo de tênis, existe muito mais por trás disso. E agora, quem ganhará?


            A segunda história, com o título de “Conquistadora”, envolve uma mulher misteriosa e sedutora que está em um encontro com seu suposto namorado. Depois de  passar dez dias sumida e sem dar qualquer explicações, sem muitas delongas, ela diz que estava em uma viagem com dois amigos. Obviamente, ele fica incomodado e tenta entender como ela age como se isso fosse a coisa mais comum do mundo. Ela parece entediada com essa conversa e não mostra qualquer interesse em explicar ou continuar falando ou, pior, não parece ter qualquer interesse nele. E agora? Como isso se desenvolverá?


            A terceira, com o título “Sera que beijar é crime?”, envolve uma adolescente que está muito preocupada com sua amiga que não a atende, não importa o quanto ela tente contatá-la. Com isso, ela decide ir atrás dela, mas não importa o quanto ela bata na porta, ninguém atente. Então, resolve entrar e dá de cara com um homem, que diz ser o pai da amiga. Ele a expulsa e diz que a amiga está bem, mas ela não acredita e fica ali, esperando ele sair para encontrar a amiga. O que aconteceu? Como isso se desenvolverá?


            A quarta, com o título “Walkingat Night”, envolve duas pessoas que estão passeando numa rua, à noite, enquanto a moça fala sobre a morte de sua irmã e como não gostaria de morrer. É revelado que, na verdade, ela já está morta e veio ver seu namorado. Ele, ao perceber em que situação está, fica furioso por ela tê-lo deixado sem explicações. Eles passam o tempo conversado sobre coisas que ele muito provavelmente lembrará depois, inclusive o motivo que a levou a tirar sua própria vida.
            Para mim, foi muito decepcionante. Eu assisti um após o outro, esperando que algum realmente valesse a pena. Todos, apesar de serem episódios curtos, foram tão chatos, que a impressão era que tinham uma hora. Não sei se vou ter coragem de perder meu tempo vendo a segunda temporada. Veremos.

0 comentário

Koi Suru Piano



Aparentemente, deve ter no mínimo 10 anos que esse mangá foi lançado. É de apenas um volume, com poucos capítulos. Tem uma ilustração boa e uma história interessante. Contudo, não achei muito bem desenvolvida, por isso, talvez, não seja aquele enredo que te faz querer mais. Então, foi um pouco decepcionante. Acredito que o teor seja bom, mas não foi capaz de alcançar meu coração.
A história gira em torno de uma garota muito competitiva que, apesar de, no passado, ter sido ligada à música, apenas lembranças e um sentimento de saudade foram deixados em seu coração. Ainda que ela tenha apego à música, não se atreve a se envolver mais. Prefere tentar outras coisas, como alguns esportes. Um dia, um garoto misterioso que havia acabado de ser transferido para sua escola lhe dá umas partituras. Sem entender o porquê disso, ela vai até ele para devolver e descobre que esse menino era o seu amigo, com quem tocava piano. Ao conversarem, ele deixa claro que mudou para a escola pelo desejo de tocarem um dueto juntos mais uma vez. Contudo, ela não está disposta a voltar. E agora? O que acontecerá?


Nakaba é uma garota alegre, amigável e competitiva. Ela perdeu o gosto pelo piano, por não ter paciência para seguir as regras e não poder tocar do seu próprio jeito. Não suportando as broncas, ela decidiu nunca mais se envolver com música. Não é que ela não goste, pelo contrário, ela vira e mexe está cantarolando uma música do passado. Quando esse amigo voltou com a ideia de ela tornar a tocar, não pensou nem uma vez. Já sabia que sua resposta era não. Porém, era curioso o porquê ele insistia tanto nisso e por que, mesmo não querendo, isso continuava ressoando em seu coração e mente. O que ela fará?


Haru é um garoto bonito e inteligente. Desde criança se dedica ao piano, que tanto ama e tem um talento incomparável. Não pôde mais ver sua amiga após se mudar para um pouco mais longe, mas nunca a esqueceu. Naquele tempo, era uma criança tímida e meiga, mas agora realmente se tornou um homem que sabe o que quer. Ele já sabia que Nakaba havia desistido do piano, e isso foi decepcionante para ele. Um dia, a viu na rua, por acaso, cantarolando a música que eles tocavam juntos quando crianças, e isso o levou a não desistir dela e querer fazê-la recuperar o amor pelo piano, pois somente assim eles poderiam se encontrar novamente, no futuro.


No começo, eles não se deram muito bem. Embora Nakaba tivesse feliz em rever seu antigo amigo, não gostou dada dele a forçar a voltar a tocar. Mesmo depois de ser convencida, ficavam sempre brigando, pois Haru era muito exigente e sempre fazia o que ela odeia: chamando a sua atenção e corrigindo os seus erros.  Em meio a muitos conflitos, eles conseguiram finalmente ensaiar uma canção. No meio disso, algo além da amizade pode ter se desenvolvido também, mas existe algo que pode magoar muito Nakaba. O que poderia ser?
Esse mangá é curto e bem fácil de ler. Porém, como eu já disse lá em cima, não me pegou nem um pouco. Fiquem à vontade para conhecer. Já leram esse mangá antes?


Gênero:   Shoujo, romance,
Autor:  Mika  Matsuno
Mangá:   1 volume
0 comentário

Umi ga Kikoeru


Nesse ano, a Netflix disponibilizou vários filmes animados do Studio Ghibli, e todo mundo ficou muito animado com isso, porque existem muitos filmes maravilhosos que são clássicos e que, às vezes, são difíceis de achar. Esse não era um título que eu conhecia ou já tinha ouvido falar, mesmo assim, fui assistir. Como posso dizer? Não é nada incrível, apenas uma história cotidiana normal. Na Netflix, você o encontrará com o nome “Eu posso ouvir o oceano”. Foi uma adaptação feita de uma light novel lançada em 1993. Depois, em 1995, lançaram “I can Hear the sea II: Beacause There is love", que deve ter nos dado uma continuidade do final, que não foi muito bem concluído. Claro que isso é uma especulação, já que não faço ideia se é isso mesmo. O filme foi lançado em 1993. Apesar de notarmos que é antigo, a produção é muito boa. Adoro como o Studio Ghibli, desde aquela época, produzia filmes incríveis e de boa qualidade, mesmo que tecnologia não fosse lá essas coisas.
A história gira em torno de um adolescente que mora em uma cidade remota e tem uma boa amizade de muitos anos. Eles sempre estiveram firmes e fortes para encarar qualquer coisa. Contudo, essa amizade é abalada quando uma garota da capital é transferida para a escola deles. Logo de cara, ele percebe que seu amigo está interessado nela, embora ele não admitisse. Apesar de que nele próprio não havia interesse, ele fica impressionado quando vê quão inteligente e boa nos esportes ela é. Essa garota entediada e louca para fugir dessa cidade apronta muito com ele, colocando em risco a amizade deles, por causa de seu egoísmo. E agora? Como isso se desenvolverá? O que ela fez? O que ele fará a respeito?

Taku Morisaki é um garoto muito racional e gosta de seguir regras. Mesmo assim, não é o tipo que abaixa a cabeça para qualquer injustiça. Trabalha de meio período para ter seu próprio dinheiro e é muito esforçado. Ele tem uma amizade firme por longo tempo com Yutaka. Eles sempre ajudaram muito um ao outro em tudo. Teku nunca esteve interessado em uma garota. Quando essa transferida novata veio falar com ele, de alguma forma, acabou caindo na lábia dela e lhe emprestou dinheiro. Logo depois, descobriu que não era para o que ela disse, mas porque iria para Tokyo. Foi com ela, porque achou perigoso uma garota viajar sozinha. Nessa viagem, ele pode ver muito dela, coisas boas e ruins. Logo ele viu que se envolveu com alguém bem problemático, mas nem imaginava que isso geraria muitas situações ruins.


Rikako Muto é uma garota bonita, mimada, egoísta e inteligente. Após seus pais se divorciarem, ela foi obrigada a ir para uma cidade pacata, mas não conseguia se conformar com isso. Ela amava muito seu pai e queria viver com ele. Na escola, não fez questão de fazer amizade alguma, estava sempre sendo rude e indiferente, o que fazia todas as garotas não gostarem dela, enquanto os garotos continuava de olho nela, por ser bonita. Com seu charme e inteligência, conseguiu dinheiro para voltar para Tokyo. Mentiu para Tenku, na viagem da escola, que havia perdido seu dinheiro e conseguiu arrancar o dinheiro do garoto. Como Tenku descobriu e foi com ela na viagem, a garota aproveitou para usá-lo para fazer ciúmes no seu ex., o que só mostrou quão patética ela era. Não podia parar por aí: ela espalhou para a escola que havia viajado com ele, sem se importar com o que poderia acontecer.


Yutaka Matsuno é um adolescente muito centrado, estudioso e maduro. Sempre prezou muito por sua amizade. Quando conheceu Rikako, não quis admitir que estava interessado nela, mas estava na cara dele que estava, e seu amigo percebeu. Apesar dele se fazer presente na vida dela, a convidar para sair e tudo mais, a garota não parecia se abrir para ele de jeito algum. Então, quando descobriu que os dois haviam viajado juntos e dividido um quarto de hotel, se sentiu muito traído por seu amigo. Sem se importar com os detalhes, ele simplesmente agiu por impulso e raiva.
Esse filme não é lá essas coisas, como eu havia dito. É algo do cotidiano, muito normal, sem nada em particular para me impressionar. Então, não é algo que eu vou dizer: “assistam, é incrível”. Assistam, se tiverem vontade. Lembrando que está disponível na Netflix “Meu vizinho Totoro” (clique aqui). Já falei dele aqui. É muito fofinho e do mesmo estúdio.
Gênero:   Romance, slice of life 
Autor:  Saeko Himura
Ilustrador:  Katsuya Kondoo
Novel:  1 volume 
Filme:  1
8 comentários

Photoshoot - Ash - Banana Fish


Ainda não fiz um shoot de fato com o cosplay do Ash, porém eu tinha algumas fotinhas aleatórias que não podia deixar passar. Assim que as coisas se acalmarem por aqui quero fazer um superShoot dele porque é o amor da minha vida. Então, deixarei dessa vez fotos tiradas no especial de aniversário e em algumas gravações do CMV junto do Eiji. Quem não sabe quem é Ash e Eiji, ou os personagens do anime Banana Fish (clique aqui). Essas fotos foram tiradas por Kohana e Izabela Cames. 














Espero que gostem. Então, por hoje é isso, mas em breve tem muitos shoots bons, então fiquem de olho.

0 comentário

Playlist chinesa - Parte 2


Como já venho dizendo há um tempo, eu ando totalmente na vibe de músicas chinesas. Raramente você me verá ouvindo outro tipo. Então, dessa vez, baseado no que encontrei de novas canções, trouxe a parte dois da playlist de músicas chinesas que eu tenho gostado. Há muitas músicas, mas não é tão fácil achar separadamente, então, dessa vez, escolhi poucas, mas são as que mais tenho gostado nesses últimos dias. Vamos lá.
“Grain in Ear”, cantada por Mang Chung. Não consegui achar a letra, infelizmente, mas o nome é “Grão no ouvido”. Fico pensando o que quer dizer, pois talvez não seja exatamente isso. O que eu mais gosto nessa canção é a melodia muito diversificada, cheia de instrumentos inesperados. Além disso, adorei a voz da cantora e a sensação que ela me passa quando escuto, por isso queria muito saber o que diz. O MV dela é simplesmente maravilhoso.



Hawthorn Love” (山楂树の恋), cantada por Cheng Jiajia (程佳佳). Essa é uma canção muito fofinha, que fala sobre sentimentos de amor de ter encontrado aquela pessoa que enche sua vida de luz. Eu gostei da letra, embora tenha visto em uma completa bagunça. É uma música muito fofinha e está na maioria das playlists chinesas de 2020 que você procurar no Youtube


Heart is Waterless” (心如止水), cantada por Ice Paper. Ainda quero conhecer mais canções desse mesmo cantor. Eu gostei muito do estilo, pois é do jeito que eu gosto: calmo e tem uma batida animadinha, ao mesmo tempo. Não entendi bem a letra, mas parece falar de um relacionamento que já terminou e como ele está lidando com isso.


Away”, cantada por G.E.M. Eu gosto de como essa canção é cantada e a melodia também me atraiu muito. A letra fala de algo que eu já passei, que é gostar de alguém que não gosta de você, mas ele continua te iludindo com o jeito dele ser, e você não consegue se livrar dos sentimentos que tem por ele.

Miss Similar”, cantada por G.E.M. Essa canção é muito boa. Eu a adorei e não consigo parar de ouvir. Já te disse que será o tema das minhas férias. Ela me deixa animada quando escuto. Gosto da melodia e acho que o que mais adoro é essa pitada de Rap. Quem me conhece, sabe que amo. Eu gostei mais da versão cover que a Priscilla Abby fez. Gostei mais na voz dela do que na da própria cantora. Vou compartilhar as duas, aí vocês me dizem qual gostam mais.


I miss you, I Love you”, cantada por Ahan e Pankov. Pensa em uma música fofa! A forma que é cantada é muito adorável e a melodia deixa mais fofinha ainda. A letra é extremamente fofa. “Eu só quero que você sinta minha falta 365 dias no ano.”


Wild Wolf” (野狼), cantada por Jason (姚智). Essa é uma música que me faz lembrar muito dessas no estilo K-pop, mas eu gostei do estilo dessa, por essa razão, coloquei na lista. Gosto do ritmo e da voz do cantor.

Handsome to Break up” (帥到分手), cantada por Zhou Tanghao NICKTHEREAL e PK. Esse dueto é muito bonito, para mim. É só uma pena que eu não consegui achar a letra para saber o que ela diz. A melodia também é muito boa.
Essas são as canções da minha playlist desse mês. Tinha mais algumas, mas resolvi deixar para a próxima playlist. Espero que vocês gostem. Não sei se prestaram atenção que a maioria é bem agitada, o que é um milagre, já que costumo gostar de músicas tristes. Fases e fases. As desse mês, são essas.

1 comentário

Love Alarm ( K-drama)



Quando esse dorama foi lançado, vi muitas pessoas falarem dele. Eu não pensei muito sobre ele e confesso que a única razão de assistí-lo foi por ser um conteúdo curto.  Contudo, de fato, é um dorama muito bom e me deixou bem intrigada. “Love Alarm” foi lançado em 2019, pela Netflix. Tem uma produção maravilhosa, uma história muito interessante e um elenco formidável. Acredito que teremos uma próxima temporada, porque não é possível um dorama terminar como esse terminou e não haver chances de podermos decepar a curiosidade. Não sei dizer se vocês serão capazes de encontrar em outro lugar para assistir, já que é um conteúdo próprio da Netflix, mas nunca se sabe.
A história gira em torno de um aplicativo de celular que tem a capacidade de te avisar caso exista alguém, em um raio de 10m, que te ame. A princípio isso é recebido muito bem, inclusive pelos mais jovens. Contudo, esse aplicativo também pode partir corações, já que não importa o quanto você goste de pessoa, não quer dizer que será mútuo. Talvez o seu aplicativo nunca toque, o que pode causar um sentimento de solidão e de nunca ser amado. Em meio a essa loucura, existe uma jovem que já sofre demais para ligar para algo como o amor. Então, não fez questão de baixar tal aplicativo. Porém, tudo muda quando um novo estudante, muito popular, a beija. O amor que veio depois daquele beijo os fizeram confirmar os seus sentimentos através desse aplicativo. Tudo poderia ser às mil maravilhas, mas o que acontecerá se, um dia, ele parar de tocar? Se a decepção de não ser amada vier, como lidará com isso? Como esse novo amor se desenvolverá diante de tal medo?

            Kim JoJo é uma estudante do ensino médio que, desde pequena, passou por muitas dificuldades. Com um passado difícil de superar, ela tem tentado viver, depois de se tornar órfã e ser obrigada a viver com a tia e a prima, que sempre a trataram com indiferença. Mesmo passando por dias difíceis, ela tem lutado muito para que pudesse manter o sorriso no rosto, sem deixar que as diversidades a derrubem. No começo da história, ela aparentemente tem um relacionamento com um bom amigo. Logo de cara, você vê que é meio forçado. Ela não conseguiu dizer não, talvez com medo de ser odiada. Todavia, era muito explícito que ela não sentia nada por ele. Apesar de levar uma vida solitária, sem contar para ninguém sobre seus problemas pessoais, ela ainda tinha duas amigas que com quem podia contar, na escola. Quem poderia dizer que isso seria abalado totalmente após encontrar o amor?

            Hwang Sun Oh é um adolescente muito bonito e conhecido por ser filho de um político. Apesar de parecer viver uma vida que todos sonham, a realidade é que ele está constantemente sufocado por uma família que só liga para a imagem, mas não nutre qualquer relação de afeto um pelo outro. Para um adolescente, como isso pode ser difícil? Dentro da sua casa, existe uma única pessoa que o faz se sentir confortável naquela prisão de luxo, o seu bom amigo, que é filho da governanta da casa. Ambos são muito apegados, mas após ele voltar, depois de um bom tempo, ele pega seu bom amigo fascinado por uma garota, e isso despertou sua curiosidade. Para ser sincera, ainda não entendi por que ele queria tanto se aproximar dessa garota, se era por ele realmente ter se atraído à primeira vista ou se só queria afastá-la de seu amigo. Ele acabou se apaixonando, no processo. Não me ficou claro isso. Se para alguém ficou, me diga, por favor.

Oh fazia muitos corações dispararem. Seu love alarm não parava de tocar um segundo. Porém, naquele momento, havia apenas uma que ele realmente queria tocar. Era essa garota que, apesar de parecer alguém que tem uma vida tranquila por estar sempre com um rosto sereno, na verdade carregava muitas coisas difíceis. Ambos tinham situações difíceis, de forma diferente. Apenas quando estavam juntos podiam esquecer de tudo isso. Foi assim que o amor começou, muito depois de um primeiro toque. Contudo, esse é apenas o começo de tudo, pois muitas coisas viriam para abalá-los. Eles conseguirão resistir a tudo e manter seus alarmes tocando sempre um pelo outro?

Lee Hye Yeong é um adolescente muito gentil que mora, desde criança, com sua mãe, governanta da casa de Sun Oh. Eles são muito apegados um ao outro, desde que ele salvou Sun Oh de ser envenenado por sua própria mãe. Ambos estão sempre juntos, não importa o que aconteça. Contudo, após seu amigo passar um tempo longe, ele se apaixonou por JoJo, e a perseguia como um stalker. Para ser sincera, no começo, achei que ele fosse mesmo. Era muito estranha a forma que ele a perseguia. Quando Sun Oh voltou, ele negou gostar da garota. Talvez com intenção de desviar a atenção de seu amigo. Porém, acabou que seu melhor amigo conquistou o coração de sua amada. Não foi fácil, mas ele desistiu por sentir que sempre tinha que dar tudo para ele. Ele realmente será capaz de lidar com essa situação ou continuará fingido para sempre como se sente sobre isso?
Esse dorama terminou de uma forma que dá vontade de xingar muito no twitter. Deixando a brincadeira de lado, espero que não demorem para lançar logo. Quero muito saber quem é que criou o “Love Alarm”, se é uma das duas pessoas que eu havia imaginado e como termina esse triângulo amoroso. Claro que eu torço para Sun Oh, porque ele é tão doce e fofo, que dá vontade de pôr no potinho e proteger. Achei muita idiotice da JoJo o que ela fez. Eu entendo, mas ainda acho idiotice. INDICADO!!!
 Gênero:   Romance, Vida escolar

Dorama:  8 episodio 

0 comentário

Hana to Takane ( J-drama)


            É engraçado quando você encontra doramas japoneses com teores interessantes sem nem fazer ideia. Nunca havia ouvido falar dessa história, e muito por acaso resolvi assistir. Como posso dizer? Amei! É engraçado, dinâmico e tem partes bem fofas. O mangá foi lançado em 2014 e ainda se encontra em andamento. A ilustração é muito bonita e gosto como a história se desenvolve. Vocês podem encontrar esse mangá para ler no site Toshi wa Yume. A adaptação em dorama foi lançada em 2019. Tem uma qualidade maravilhosa, e olha que eu digo que nem sempre as produções dos doramas e live-actions japoneses são boas. Essa é uma daquelas que posso dar nota 10 sem medo de errar. Ele é de curta duração, com apenas 24 minutos, e tem 8 episódios. Para algo tão bom, é muito pouco, mas é bem satisfatório. Comparando a história original com a adaptação, obviamente é muito pouco tempo para encaixar detalhadamente a história. Mesmo assim, o dorama usou as partes mais importantes e você nem sente falta do que foi deixado de lado. O mangá vai mais além, então, se você quiser saber mais, vai ter que ler o mangá.


            A história gira em torno de uma adolescente que teve que substituir sua irmã mais velha em um encontro de casamento arranjado, que o presidente da empresa de seu pai havia arrumando com seu neto. Apesar de ela não querer ir, aceitou para não prejudicar seu pai. Contudo, a arrogância e a indiferença desse rapaz a tiraram do sério, então ela não aguentou e jogou todo o seu disfarce na cara dele, dizendo que não tem um pingo de interesse nas riquezas que ele tinha. Achando que nunca mais o veria, ela se surpreende quando o jovem está a esperando na entrada da sua escola, em frente a um carro de luxo e com um enorme buquê de rosas. Apesar de surpresa, isso não era nada para mexer com seu coração de donzela. O jovem rico, percebendo que nada do que fazia mexia com essa garota, se sentia empenhando em perseguí-la até que ela se rendesse aos seus encantos. E agora? Como esse arranjo de casamento terminará? Qual dos dois se renderá primeiro? Seria possível o amor nascer disso tudo?


            Hana Nonomura é uma adolescente de 16 anos que está no ensino médio. É uma garota de personalidade forte, perspicaz e gosta de coisas simples. Sua família é humilde e ela nunca se importou muito com riquezas, por isso não é facilmente impressionada por essas coisas. É uma estudante normal, de beleza mediana, que acaba conquistando as pessoas com seu jeito confiante e pé no chão. Gosta de coisas práticas, como passar tempo com seus amigos e família. Quando ela conheceu Takane, seu parceiro do encontro de casamento arranjado, ela ficou pressionada com sua beleza, mas tudo isso foi por água abaixo quando ele abriu a boca e mostrou seu jeito arrogante e mimado. Ela não conseguiu se segurar e o pôs no lugar dele. Todavia, o que ela não esperava era que esse encontro mudaria para sempre a sua vida.


            Takane Saibara é um homem de negócios de 27 anos. Sendo um dos netos queridos de um poderoso empresário, ele está sempre dando duro para suprir as expectativas da família, afinal, foi ensinado, desde criança, a olhar para o alto. Com isso, ele criou uma personalidade arrogante e mimada, pois sempre viveu em meio a muito dinheiro. Com isso, as pessoas ao seu redor estavam de olho em sua fortuna, não por ele ser quem é. Por isso, ele manteve distância e não importava quantos encontros seu avô arrumava, ele continuava indiferente, porque sabia que aquela pessoa só estava interessada no status dele. Dessa forma, nunca esteve num relacionamento, nem sequer havia desenvolvido sentimentos românticos por uma mulher antes. Foi a primeira vez que uma pessoa foi tão verdadeira diante dele e, de alguma forma, aquela garota insolente o encantou. Só que ele não poderia admitir que havia se apaixonado por ela naquele momento, até porque era muito provável que ele nem saiba, já que nunca teve tal experiência.


            Porém, ele queria encantá-la, fazê-la olhar para ele e, assim, todos os dias, estava lhe dando presentes extravagantes e a levando para lugares caros, mas não importava o que ele fizesse, parecia que seu dinheiro não era capaz de tocar essa garota. Ela continuava mexendo com seus sentimentos. No desenvolvimento, ele aprende muitas coisas com ela e com o seu convívio, assim como ela passa a ficar mais ciente sobre o mundo dele que, se ela pensasse bem, não era para ela. Mesmo não sendo capaz de admitir, essa adolescente já não conseguia mais imaginar sua vida pacata sem esse homem mais velho.  Poderia o amor estar começando a se desenvolver? Quem se renderá primeiro?


            Nicola Luciano é um herdeiro de uma empresa de moda italiana. É um dos poucos amigos de Takane. Ele é muito bonito, cativante e alegre. Na verdade, é um verdadeiro playboy e vive rodeado de mulheres. Ele conheceu Takane quando fizeram faculdade nos Estados Unidos. De primeiro impacto, ele não gostava de Takane, por causa do jeito arrogante e antipático com as mulheres. Porém, o que mais o deixou bem grilado é que, apesar de ele ser assim, Takane conseguia ainda ser muito mais popular que ele com as mulheres. Contudo, no tempo com ele, acabou reconhecendo os motivos das mulheres e se tornaram bons amigos, ao ponto de Nicola começar a protegê-lo. Todavia, nesse negócio de proteger, acabou rolando um mal-entendido que acabou os separando, fazendo com que Takane não quisesse vê-lo nem pintado de ouro. Nicola vai para o Japão quando descobre que seu velho amigo está andado com uma garota. Vai até ela, querendo supostamente tomá-la dele. O que acontecerá?


            Soma Okamoto é um adolescente de 16 anos, amigo de infância de Hana. Ele trabalha junto de seu pai, no restaurante de Okonomiyaki, frequentado por Hana e suas amigas e, atualmente, por Takane e Nicola. Soma parece de boa, mas a verdade é que não está gostando nada de ver um homem mais velho atrás de sua preciosa amiga. Não apenas por ser sua amiga, mas porque ele nutre sentimentos por ela. Então, quando os três estão juntos, ele demonstra a Takane como se sente e ambos entram em disputa, apenas Hana não percebe nada. Provavelmente, ela não espera esse tipo de sentimento de seu amigo.  No começo, ele parece estar bem na dele, porque Hana não parecia corresponder, mas as coisas mudam um pouco quando Hana começa a demonstrar sentimentos diferentes.
Esse dorama é muito bom. Eu queria até ver mais uma vez, mas não tive tempo. O mangá é muito, muito bom. Não vejo a hora de liberarem mais capítulos. Demorei para ler, porque minha vibe para ler está zerada. Mesmo assim, foi muito bom. Espero que você goste, leia e assista. Tenho certeza de que vai gostar e se divertir. INDICADÍSSIMO!!!

Gênero:   Comedia, Romance, Shoujo
Autor:  Yuki  Shiwasu
Mangá:  15 volume ( em andamento)  
Dorama:  8 episodio 
0 comentário