Doramas lançados em 2018 que eu quero assistir


        
    Como todos os anos lançam inúmeros doramas, o ano de 2018 não poderia ser diferente. Faltando 4 meses para findar mais um ano, resolvi que era uma boa hora para vir falar dos dramas lançados nesse ano que quero muito assistir. Eles irão para a minha listinha, que já desisti de ver o final (risos). Houve vários títulos que me chamaram a atenção, embora, até agora, não teve nada que me causasse tanto impacto, ao ponto de eu querer assistir “para ontem”. Sem mais delongas, vamos ver quais são esses que escolhi a dedo para minha listinha.                    

                       
            “My Id is Gangnam Beauty” ainda está em lançamento, vai concluir com 16 episódios. Ele conta a história de uma moça que sofria bullying por conta de sua aparência, por isso acabou fazendo uma cirurgia plástica, mas isso não deu fim ao terror do bullying. Um dia, ela encontra alguém que a valoriza e gosta dela como ela é. E agora? Ela finalmente se sentirá satisfeita consigo mesma e com a vida? Isso iremos saber quando assistir. Parece muito interessante.


            “Rich man, poor woman” é um remake de um dorama japonês de mesmo nome. Devo dizer que é muito bom, por sinal, e foi por isso que esse dorama me chamou a atenção. Esse k-drama tem 17 episódios e conta a história de um homem de sucesso que é dono e presidente de uma empresa inovadora, no entanto, sofre problemas sérios para reconhecer o rosto das pessoas, por isso nunca sabe bem quem é quem. Todavia, ele conheceu uma mulher inesquecível. Por outro lado, tem a vida de uma jovem mulher recém-formada que sonha em trabalhar na empresa em que esse homem é presidente. De que forma a vida deles irá se desenrolar? Estou bem curiosa para saber se vão seguir o mesmo rumo do original.


            “About time” acabou, recentemente, com 16 episódios. Ele conta a história de uma atriz novata que tem um poder estranho: consegue ver o tempo de vida das pessoas, inclusive o seu próprio. Por essa razão, sabe que seu tempo tem corrido de forma desesperadora. Um dia, ela conhece um homem que tem o poder de parar o tempo dela, então decide permanecer perto dele para que consiga ter tempo suficiente para alcançar seus sonhos. Será fácil permanecer ao lado desse homem que mal conhece?

            “Handsome guy and Jung eum” também acabou, recentemente, com 32 episódios. Estou animada, porque tem dois atores que eu amo, o Namgoong Min e a Hwang Jung Eum. Estou tão feliz por, finalmente, eles serem um par, porque, no primeiro dorama que assisti deles juntos, ele estava na friendzone. Finalmente posso vê-los juntos! A história envolve um homem que se recusa a amar e uma mulher que deseja mais do que tudo se apaixonar, mas, no meio da caminhada, acaba desistindo. Esses dois acabam se juntando para trabalhar na junção de novos casais solteiros. No meio disso, acabam se apaixonando. Como irá se desenrolar? Estou ansiosa para ver.


            “Lawless Lawyer”, outro que terminou, recentemente, com 16 episódios. Envolve um homem que cresceu no meio do mundo mafioso, no entanto, depois da trágica morte de sua mãe, se forma em direito, por vingança, para ser um advogado que mostra que ninguém está acima da lei. Por outro lado, temos uma jovem mulher formada em direito que ama a justiça, mas depois de dar uma bofetada em um juiz por uma sentença injusta, ela perde sua licença. Como precisava de trabalho para pagar as dívidas, acaba indo trabalhar junto desse homem. E agora? Como irá se desenrolar a vida dos dois?


            “What’s wrong with secretary Kim?”, também chegando ao fim em julho com 16 episódios. Deixou-me uma ótima impressão e estou louca para assistir. A história envolve um homem narcisista que não vê nada a sua volta, a não ser os seus próprios atos brilhantes. Por essa razão, ele nunca prestou sequer atenção em sua fiel secretária, que está sempre tentando o seu melhor para chamar a atenção dele, para que escute o que está dizendo. Depois de tanto tentar, ela resolve se demitir. No entanto, será que ele deixará que ela vá assim, tão facilmente?


            “Ms. Hammurabi” é um dorama de 16 episódios que envolve uma jovem juíza e seu parceiro perfeccionista, que estão, juntos, lutando contra a injustiça. Na verdade, não encontrei sinopse que contasse a história direito. O que me atraiu foi um ator e cantor, Kim Myung Soo. Já o vi várias vezes em doramas por aí, mas é a primeira vez que é protagonista. Estou ansiosa para ver como será.


            “Kuragehime” é um j-drama que foi lançado em janeiro, completo, com 10 episódio. Já havia lançado um live-action que até passou por aqui, então leiam a postagem para conhecer melhor (clique aqui). Agora, fiquei empolgada com o dorama, porque talvez vá muito além do anime e do live-action. Estou ansiosa para ver como será. A história envolve uma moça que é fanática por águas-vivas e mora em uma pensão onde moram várias mulheres peculiares, mais conhecidas como otakus. Um dia, ela conhece uma linda mulher, a qual ajuda salvar a vida de uma água-viva, e acaba dormindo no quarto dela, por ser muito tarde. No outro dia, ela se assusta quando a moça bonita se apresenta como, na verdade, um homem. E agora? Como ela irá reagir, já que, na pensão, é proibida entrada de homens e ela não consegue lidar com homens e pessoas bonitas?


            “Kakegurui” é um dorama baseado em mangá, existe até mesmo anime. Ele foi concluído com 10 episódios. Tanto o anime quanto o dorama estão na Netflix. Na verdade, estou interessada em assistir ambos. A história envolve uma escola onde só há filhos da elite. Nessa escola, acontece um jogo em que quem ganha comanda e quem perde vira escravo. Um dia, uma garota de aparência meiga e pura é transferida para a escola.  Apesar das aparências, ela demonstra ser uma viciada no jogo. Não sei muito sobre ele, mas tenho curiosidade.



            “Haru ga kita” é um dorama curto, terminou com 5 episódios. Ele envolve uma moça de 31 anos que leva uma vida pacata, trabalhando como atendente de uma loja de roupas íntimas e morando com seus pais. Um dia, conhece um fotógrafo coreano. Como sua vida irá mudar a partir daí? Não tenho muitos detalhes, infelizmente, mas achei interessante essa mistura de coreano e japonês, pois acho legal.


            “Meteor Garden” é um remake chinês do dorama japonês “Hana yori dango”. Parece que vai terminar com 48 episódios. Ele está na Netfix,o que foi uma grande surpresa e muito bom para mim. Se não leram a postagem do original, leiam, está maravilhosa (clique aqui). Estou ansiosa para ver se seguiram o mesmo caminho do original. A história envolve uma jovem que acaba tendo problemas no seu primeiro ano na universidade quando acaba cruzando o caminho de um cara popular e rico da faculdade. 


            “Switched” é um j-drama que está dando o que falar. Estou pensando, seriamente, em assistir em breve. Segundo as informações, irá terminar com 16 episódios e todos eles são curta-metragem. Ele envolve uma história de troca de corpos. Parece interessante.
            Por enquanto, esses são os doramas que mais me chamaram a atenção. Se tiverem algum muito bom para indicar, já digam para eu ver e colocar na minha listinha. Quais estão acompanhando nesse momento?

0 comentário

A vida de uma colecionadora


            Não sei bem quando isso começou, mas, quando me dei conta, eu já colecionava várias coisas inconscientemente. Canetas diferentes, meias-calças, meias para usar com tênis e canecas. Essas são as coisas do meu dia-a-dia que eu nem havia me dado conta de que eram, na verdade, uma coleção. Foi em 2012 que me tornei, oficialmente, colecionadora de mangás, com a minha pequena coleção, que nem enchia uma pequena prateleira, mas eu já tinha muito orgulho. Com o passar dos anos, a minha coleção só vinha crescendo mais e mais, e não havia nada que me deixasse mais satisfeita do que aquele dia em que eu fazia uma visita a uma banca e saía de lá saltitante com meus exemplares em mãos. Porém, apesar de eu estar satisfeita com meus livros ilustrados de histórias maravilhosas, não demorou muito para eu começar uma nova paixão: as benditas action figures.
            Se você acha que gasta muito com mangás, é porque você ainda não começou a colecionar figures. As minhas primeiras foram uma figure pequena do Rin, de “Ao no exorscist” e uma do Niizuma, de “Bakuman”. Esse foi o gancho que me levou a comprar outros pequenos, porque são um pouco mais baratos. Até que, um dia, acabei me apaixonando loucamente por uma figure grande da Sakura Kinomoto, de “Cardcaptor Sakura”, juntamente da figure da Sakura, de “Tsubasa Chronicles”. Eu nunca havia comprado uma mais cara que R$90,00. Dei um salto grande e comprei duas de uma vez só, que custavam, em média, uns R$250,00 a R$300,00 cada. Não lembro o valor exato que paguei na época. Foi a partir daí que comecei a investir meu dinheiro em figures.


            Até aí, não tinha conhecimento algum de qualidade, e descobri que muitas das que eu tinha eram artigos chineses falsificados. Porém, o que muda? Muitas coisas! As de marca, que o preço pode ser muitas vezes mais caro ou não, às vezes custam o mesmo valor e tem uma qualidade totalmente elevada, começando pelas feições, a pintura e a resistência. O falsificado tem a tendência a derreter, por causa do calor, ou ressecar, por isso pode acabar quebrando. A cor pode desbotar e as feições podem não ser tão realistas. Mesmo correndo esse risco, existem peças que não encontro originais de jeito algum. Tenho muitas de “Cardcaptor Sakura” que se encaixam nesse caso. Então, por essa razão e por termos pouco dinheiro, ainda corremos atrás de alguns artigos nessas condições.
            No ano passado, tomei um conhecimento muito maior sobre colecionar figures e conheci vários colecionadores brasileiros que são trabalhadores normais. Fico me perguntando como eles conseguem pagar as contas pessoais no fim do mês, sendo que a impressão é que eles gastam tudo o que têm comprando figures (risos). Conheci alguns exportadores que trazem para você, direto do Japão, figures originais. Foi aí que me dei conta de que R$250,00 não é nada comparado a uma variedade de valores de figures, que chegam custar até R$5000,00 a mais. Quando você afunda nesse mundo em que você pode encontrar figures que nunca imaginou que poderia ter acesso, você perde para a emoção. Foi assim que comprei as minhas primeiras figures MAIS CARAS. Nunca imaginei-me fazendo tal coisa.


            Comprei uma figure da Ia, de “Vocaloid” por R$650,00 e uma do Yue, de Cardcaptor Sakura” por R$600,00. Esses valores não são nada comparados aos diversos valores que vejo nossos nobres companheiros comprando. Tendo mais acesso aos lançamentos do Japão, você tem que ficar torcendo para não aparecer nada que te atraia ao ponto de fazer perder a cabeça. Vocês querem saber o que me faz perder a cabeça??? Qualquer coisa de “Cardcaptor Sakura”. No entanto, quem dera se fosse somente ela. No momento, estou esperando por 8 figures que já paguei. Alguns estão a caminho e outros comprei na pré-venda, serão lançados em novembro. Eu ainda me controlo com todas as forças do meu ser, porque, se não, eu teria que vender alguns órgãos (risos). O vício por essas coisas é real. Não me espantaria se alguém começasse a vender coisas de casa só para adquirir suas tão preciosas figures. Parece assustador isso, né?
            Não há nada que me deixe mais frustrada, ansiosa e desanimada do que não poder comprar algo que desejo muito, o que se torna complicado nesse mundo aqui, afinal, todos os dias - vocês entenderam??? -  TODOS os dias lançam novos figures. Eu fico morrendo de medo de acordar e ter algo que não sou capaz de resistir. Na crise que estamos vivendo, temos que nos controlar como podemos, mas isso é bem difícil para quem coleciona.
            Tenho comprado os mangás pela Amazon, e alguns eu tenho assinatura. Tenho gastado, em média, uns R$250,00 por mês, mas isso varia muito, porque não é todo mês que todos os títulos que coleciono são lançados. Dentro desse valor, incluo algumas coleções que estão em desfalque e estou tendo de completar, por isso tenho gastado um pouco a mais. Se eu contar com as assinaturas, provavelmente, a média seria de uns R$350,00. Parei de comprar em banca, porque demora muito e tem algumas editoras que não enviam mais para as bancas. Na Amazon, tenho desconto em alguns e comprando a partir de R$100,00 tenho frete grátis.


            As perguntas mais frequentes são: “Você já leu tudo isso?”, “Você é capaz de ler tudo isso?”, “Por que você comprou mais, sendo que nem leu aqueles outros ainda?”. Meus amores, primeiro: sim, eu sou capaz de ler tudo isso, afinal, sou a louca dos mangás. E, sim, já li a maioria. Se eu por em porcentagem, diria que apenas 20% ainda não li. Quem é colecionador sabe que, uma vez lançado um volume, se você não comprar no ato, você corre o risco de não o encontrar mais, ou, se encontrar, pode estar em um valor muito mais caro. Você quer sua coleção completa para, quando for ler, não faltar algum. Então, sim, eu vou comprar agora mesmo, porque não há nada mais irritante do que ter uma coleção em desfalque.
            Quando comecei a colecionar mangás, confesso que meu anseio por eles me fez comprar mangás que me arrependo seriamente. Contudo, você se só da conta desse arrependimento quando o espaço em suas prateleiras está acabando. Aí você olha para aquele título que você detestou e se pergunta o porquê você não pesquisou mais antes de comprar. Por essa razão, ultimamente, estou mais afiada na hora de comprar um mangá. Penso muito se vai valer a pena e se eu realmente vou gostar. É claro que não é só por espaço, afinal, gastar seu precioso dinheiro com algo que, no fim, não vai gostar é horrível e acaba te fazendo não poder comprar outras coisas que gostaria, porque já gastou com algo que odiou.


            Como podem ver, ser colecionadora não é nada fácil, ainda mais quando você coleciona várias coisas. Não esqueça que também sou uma cosplayer iniciante. Todos os dias aparecem novos personagens que acabo me apaixonando e não consigo me conter. Acho que já comecei uma nova coleção, que são perucas. Sou completamente viciada. Nesse ano mesmo comprei 5 perucas. Estou na corrida para fazer os trajes, afinal, não sei por quanto tempo conseguirei manter esse rosto que aparenta ser mais novo do que realmente é. Sim, estou muito preocupada com isso.


            Na semana que vem, vai sair uma postagem falando diretamente sobre a minha coleção de mangás, sobre cada título. Como são muitos, vai ser dividida em duas. Espero que vocês gostem. Depois, vai sair uma sobre as action figures. Espero que eu tenha conseguido compartilhar com vocês um pouco de como é minha vida de colecionadora. Apesar de que eu ainda sou apenas uma de muito baixo nível, comparada a alguns outros por aí. No entanto, minhas coleções são os meus tesouros. Por essa razão, deixo claro: não empresto meus mangás para ninguém. Então, nunca peça emprestado um mangá de um colecionador. Nunca toque nas figures e “olhe com os olhos”, de preferência de uma distância segura. Respeite os colecionadores e seja consciente, porque se não, vai levar um “NÃO” na cara, sem dó nem piedade. Você também coleciona? O que coleciona? Quais são os cuidados que toma com os seus tesouros?

1 comentário

Genshiken


       

   
Não me lembro o que me levou a comprar o mangá “Genshiken”, no entanto, nunca me arrependi de tê-lo feito. Esse mangá foi lançando no Japão em 2002, com uma ilustração superbacana. Foi trazido para o Brasil em 2013, pela editora JBC. O que mais gosto no mangá é como ele é tão prático e divertido de ler. Em 2010, saiu uma nova temporada, “Genshiken Nidaime”, que ainda se encontra em andamento. Por enquanto, ainda não tive acesso. Um dia, quem sabe, apareça por aqui. Em 2004, foi lançada a primeira temporada do anime e, em 2007, saiu a segunda temporada. Quem leu o mangá percebe quantas lacunas a animação deixa. Também mudam muitas coisinhas para enganar aquilo que foi cortado desnecessariamente. Prefiro o mangá, depois de tudo, pois é muito mais completo e divertido. Tem dois ovas, mas eu, infelizmente, não encontrei.  Em 2013, saiu o anime “Genshiken Nidaime”. Já coloquei-o na minha lista e um dia quero muito assistir. Em 2008, saiu a novel, da qual não tenho muitos detalhes.


            Esse enredo gira em torno de universitários que se uniram por causa de seus hobbies, conflitos e aventuras em volta de seus mundos otakus, formando um clube na faculdade chamado de Genshiken. Um dia, um calouro tímido e nem um pouco confiante estava à procura de um clube que gostasse e se sentisse bem. Mesmo sendo, de certa forma, um otaku, o jovem rapaz não conseguia ter confiança para assumir seu hobby. Por isso, mesmo querendo entrar em um clube relacionado ao tema, não conseguia ter coragem.  Porém, sem perceber, seus pés o levaram para frente da porta do Genshiken. Quase desistindo, acabou sendo abordado por um integrante, que o fez entrar para, pelo menos, conhecer. O calouro que não conseguia admitir o seu gosto em comum com aquelas pessoas acabou ficando sozinho, enquanto cada integrante saía para algum compromisso. Então, ali, sozinho, diante de todas aquelas coisas que, aos olhos de um otaku, são como tesouro, ele não se segurou mais. Contudo, o que ele não fazia ideia é que aquele momento sozinho era um teste e que seus colegas estavam de olho nele, provando que ele era um otaku nato e que se encaixava perfeitamente naquele clube. E agora? Ele vai encarar sua timidez e temores e sair do armário de vez, tendo confiança de ser um legítimo otaku???


            Kanji Sasahara é um rapaz calmo, tímido e sem muita autoconfiança. No começo da história, ele era um calouro que não conseguia admitir ser um otaku, apesar de amar anime e mangá tão fervorosamente em segredo. Porém, uma vez que ele passou a fazer parte desse clube, passou a conhecer um horizonte muito maior e, aos poucos, acabou criando mais autoconfiança em si mesmo. Depois de alguns anos no clube e de passar duas gerações ao começo da história, ele foi indicado a presidente. Acho que esse cargo o ajudou muito a amadurecer. Apesar do anime não dar crédito a isso, no mangá, ele se apaixonou e, depois de muito lenga-lenga de ambas as partes, ele começou a namorar a Ogiue. O legal no mangá é isso: mostra detalhes da evolução da relação deles. Se tornaram muito fofos, por sinal.


            Makoto Kousaka é um rapaz bonito, inteligente, social e amigável. Apesar de não aparentar ser um otaku, ele não esconde seus gostos, sendo muito aberto sobre quem ele é: um otaku nato, de carteirinha. Ele ama jogos de luta e eroge (pornográficos). No começo da história, é um calouro que encontrou sem hesitar no clube Genshiken, que achou que combinava mais com ele. No seu primeiro ano, reencontrou sua amiga de infância, que ficou caidinha de amores pelo Makoto do presente, no entanto, desapontada por ele ser um otaku. Apesar de não dizer diretamente, todos já sabiam que a menina era caída por ele. Já Makoto, era difícil dizer o que realmente sentia. Depois de um tempo, começaram a namorar. Sua namorada fica tentando fazê-lo parar de ser otaku, no entanto, é um caso perdido.  Ele diz diretamente não ter intenção nenhuma de mudar os seus gostos por ninguém. Makoto coloca seu hobbie em primeiro lugar, muitas das vezes até frustrando sua parceira, que tem que entender, se não quiser perder o namorado.


            Saki Kasukabe é uma mulher bonita, vaidosa, inteligente, sincera e cabeça quente.  Ela não é otaku e os odeia, ainda mais por seu namorado ser um, o que ela não consegue aceitar de jeito algum. Contudo, ela é obrigada a conviver com vários, se quiser ficar junto de seu namorado. Apesar dela sempre maltratar todos os homens do clube, o tempo de convivência a fez mudar um pouco em relação a eles. Quando se deu conta, ela já tinha se tornado amiga deles e, apesar de não ser otaku, acaba virando integrante do clube.  Saki passou a confiar tanto, que até desabafava ou pedia conselhos sobre seu relacionamento para os rapazes. Ela ficava muito frustrada por ser posta em segundo lugar. Para piorar, ela não conseguia entender que, apesar deles serem sexualmente ativos, ele ainda preferia jogar eroge. É como dizem, né? Quem se apaixona primeiro sempre perde. Com o tempo, apesar de não engolir 100% o hobby dele, ela equilibrou seus gostos opostos para poder conviver bem.


Harunobu Madarame é um legítimo otaku e tem orgulho disso. Apesar de ser um bom questionador e ter um jeito dominante de falar, ele pode ser um tanto covarde em alguns momentos. No começo da série, ele já era um veterano. No ano seguinte, foi nomeado o segundo presidente e, depois de estar em seu último ano de faculdade, nomeou Sasahara. Como otaku, ele não se contém em gastar cada centavo para alimentar seu hobby. Chega até mesmo a dizer que economiza em comida para ter dinheiro para investir no hobby. Madarame, depois de ter sido muito alvo dos insultos e bofetadas de Saki, acaba se apaixonando por ela. Mesmo querendo desistir, cada vez mais ficava difícil. Mesmo não dizendo nada, ele apenas compartilhava alguns momentos com ela, e isso já era o suficiente para ele.


            Souichiro Tanaka é um homem calmo, gentil e atencioso. É um legítimo otaku, no entanto, sua especialidade maior é no mundo do cosplay. Ele ama fabricar trajes e tirar fotos como cosplayer. Pode mostrar um outro lado, quando alguém demonstra desrespeito as figures ou ao cosplay. No começo da série, era um veterano junto de Madarame. Quando estava para se formar, entrou em uma escola para aperfeiçoar sua técnica de costura. No desenvolvimento, acaba encontrando uma cosplayer no clube, o que o deixa muito feliz. Depois de compartilhar esse gosto em comum, com muita enrolação, finalmente eles começaram a namorar. Uma coisa bacana no anime é que mostraram um pouco mais detalhado como foi que eles começaram a namorar, porque o mangá não mostra.


           
Mitsunori Kugayama é um homem um tanto na dele. Ama desenhar, mas não se sente capaz o suficiente para investir nesse hobby para ser um mangaka. Ele gosta de dificultar as coisas e está sempre pondo obstáculos, no entanto, é apenas medo de avançar, por isso sempre desiste no meio do caminho. É um otaku nato, com seus gostos em particular. É um veterano como Madarame e Soushiro, se formaram juntos. No desenvolvimento, Sasahara, como presidente, resolve fazer um Doujinshi para participar no evento otaku que tem duas vezes ao ano. Ele consegue convencer o Mitsunori a desenhar, mas acabaram se desentendendo várias vezes.



            Kanako Ohno é uma mulher bonita, de corpo avantajado, calma e amigável. Ela morou por muitos anos nos Estados Unidos, e agora voltou para fazer faculdade. Talvez por essa convivência com estrangeiros, ela não tem vergonha de mostrar seu lado otaku, sendo a primeira mulher a entrar no Genshiken por conta própria. Apesar de amar todo o universo do mundo otaku, ela tem um gosto um tanto peculiar: tem um crush em personagens de meia-idade e carecas. Além disso, ama fazer cosplay. Por muita sorte, encontrou uma pessoa que ama fazer trajes, então ela estava sempre tendo vários personagens feitos por ele. Então, Ohno é a tampa e Tanaka é a panela. Não poderia dar mais certo. São uma combinação perfeita. 


            Chika Ogiue é uma garota séria, hostil e nada sincera. Apesar de ser uma otaku, ela diz odiar otakus fervorosamente, ao ponto de brigar feio com as demais otakus, por elas terem interesse em yaoi. Contudo, a jovem, que esconde ser uma fujoshi, é uma legítima fujoshi, daquelas que, quando vê um homem lidando amigavelmente com outro, a mente viaja longe em suas fantasias mais constrangedoras. Depois de muita luta contra seu próprio ser, ela acaba confessando seu gosto e revela o motivo de se odiar tanto. Tudo isso só passa no mangá, infelizmente, porque foi muito interessante. Depois de muito lenga-lenga, ela passa a namorar Sasahara, que a aceita como ela é.
            Eu tenho que dizer que o anime nunca chegará aos pés do mangá, no entanto, não é todo ruim. Eu peguei muita referência boa nessa história, que conta história real de uma variedade de otakus. Pode ver que também rola um preconceito, tanto das pessoas normais para os otakus, quanto dos próprios otakus entre si. Parece-me que existe um padrão e eles ficam perplexos quando um otaku é mais vaidoso ou chamativo. Vale muito a pena ler o mangá. Então, se tiverem uma oportunidade, leiam. Vocês vão amar!  IDICADÍSSIMO!!!

Gênero:    Comedia, Slice of life
Autor: Shimoku Kio
Mangá:  9 Volume  
Anime:    24 episodio + 2 ova

0 comentário

Sugar Soldier



Quando eu escolhi ler essa obra, nunca havia imaginado que ela teria uma história tão doce quanto açúcar. Fui pega de surpresa, porque achei que seria somente mais uma história bobinha e bonitinha, mas “Sugar Soldier” vai além disso. Como o próprio nome diz, “Soldado de Açúcar”, esse enredo se trata de pessoas que estão lutado contra algo de alguma forma, apesar de suas fraquezas. Ele nos traz vários assuntos, mas um deles é a questão da baixa autoestima. Não estamos falando daquela vez em que você se sentiu pra baixo em relação a algo, estou falando daquela pessoa que, desde pequena, foi sempre inferiorizada e agora vive achando que é a pessoa mais imprestável do mundo, entre muitos outros assuntos que envolvem toda a história.


O mangá foi lançado em 2011 e a ilustração é muito lindinha, tanto que foi o que me fez pensar que seria uma história normal, sem muito drama. Não sei se foi intencional ou obra do acaso, mas achei que algumas atitudes e casos dos personagens me lembraram muito dois animes, como o personagem principal, que me lembrou o Arima, do anime “Karekano”, e a protagonista, que me lembrou um pouquinho a Sawako, de “Kimi ni todoke”, mas só em alguns momentos, porque, na verdade, elas são muito diferente. Em 2014, saíram três ovas de apenas 1 minuto. Não sei por que se dar ao trabalho de fazer algo assim, porque, para mim, foram muito frustrantes. São apenas algumas cenas do primeiro capítulo do mangá. Seria mágico se eles tivessem feito mais longos.


     O enredo envolve uma estudante comum que sempre se sentiu inferiorizada em relação a sua irmã mais velha, que é uma modelo famosa. Desde que ela se entende por gente, sua mãe sempre a comparava com sua irmã, diminuindo-a, o que provavelmente criou esse sentimento complexo. No entanto, agora, ela está no ensino médio e, apesar de não ter confiança alguma, ela deseja do fundo de seu coração mudar e sair da sombra de sua irmã. Tudo estava correndo maravilhosamente bem no seu primeiro dia de aula, porém, sua irmã apareceu na escola para ver como ela estava indo e estragou tudo. A atenção de seus colegas passou para a famosa modelo e as comparações que sempre a machucaram começaram. Enquanto saía discretamente, um dos garotos mais populares da sala notou o quanto ela estava ferida com aquela situação. Então, a parou e disse: “Por que está indo embora? Eu quero saber mais coisas sobre você também!”. Foi a primeira vez que alguém se importou em conhecê-la, apesar da presença de sua irmã. Poderia ser que, agora, as coisas iriam mudar? Ela conseguirá vencer o seu fraco ego? E como irão se desenvolver as suas relações, a partir de agora?


“As garotas, enquanto elas desejarem ficar bonitas, elas lentamente se tornarão mais fortes também!”
Makoto Kisaragi é uma garota meiga, desastrada e esforçada. Tem um coração gentil e atencioso. A sua falta de confiança nasceu dentro de si quando ainda era pequena, quando sua mãe estava sempre dizendo o quanto a sua irmã era bonita e a diminuindo em relação a ela. Então, esse complexo só foi crescendo mais ainda, quando as pessoas ao redor ficavam comparando e dizendo que ela não chegava nem aos pés de sua irmã mais velha. Por causa disso, ela acabou acreditando que, de fato, era inferior. Então, um dia, ela machucou um garoto que gostava dela, por não ter confiança que poderia ser verdade e achar que só estava se aproximando por causa de sua irmã. Makoto é muito gentil e ficou muito mal mais tarde, ao saber que ele de fato gostava dela e o quanto havia machucado-o. Então, foi a partir daí que ela decidiu que seria mais forte e que iria se esforçar para ser mais bonita e assim passar a gostar mais de si mesma, sendo alguém mais confiante. Porém, a baixa autoestima que cravou suas garras por tanto tempo não é tão fácil assim de se livrar e ter confiança, assim que se decide mudar. Makoto se esforçou, estava tentando o seu melhor, mas ainda assim qualquer coisa poderia facilmente derrubá-la. Foi aí que as novas e verdadeiras amizades que ela estava preste a fazer, apesar da sua dificuldade, iriam ajudá-la a vencer suas fraquezas, vencer a si mesma e passar a acreditar mais em seu potencial.


Shun Iriya é um garoto bonito, animado e simpático. Ele trata todas as pessoas bem. É muito popular tanto com as meninas quanto com os garotos. Apesar de estar sempre com um sorriso no rosto e aparentar não haver nada de errado em sua vida, a verdade é que ele usa uma máscara para ocultar o verdadeiro eu dele, porque tem medo que, se as pessoas descobrirem seu verdadeiro eu, passarão a odiá-lo. Tudo isso por causa do passado. Ele foi abandonando por sua mãe e quase morreu de fome, trancado no apartamento. Quando foi adotado pela irmã mais velha de sua mãe, muitas pessoas criticavam. Diziam que ele seria um peso e que provavelmente teria a mesma índole terrível da mãe. Com medo de ser abandonado, ele ocultou partes de si e passou a ser o garoto perfeito em tudo que faz. Apesar das pessoas não perceberem o seu lado superficial, uma vez que namorava uma garota, as meninas começavam a sentir que não estavam sendo amadas de verdade e que ele não estava dando tudo de si no relacionamento. Foi então que Shun passou a não querer mais namorar, afinal, ele não poderia mostrar o seu eu verdadeiro para ninguém.


Tudo mudou quando ele conheceu Makoto, a garota esforçada de quem ele estava sempre cuidando atentamente, por ela ser tão atrapalhada. A gentileza de Shun não era algo particular para ela, pois ele era assim com todas, mas, inevitavelmente, a garota gostava cada vez mais dele. Como era de se esperar, Makoto não tinha confiança nenhuma diante de tantas meninas lindas que gostavam dele. Esse era o menor dos problemas, pois, para Shun, podia chover garotas na rede dele, ainda assim não era capaz de gostar ou sequer manter um relacionamento, afinal, o medo de ser abandonado, uma vez que as pessoas sentissem que faltava algo nele, era maior que tudo. Logo ele percebeu os sentimentos dela e, de alguma forma, não estava imune em relação a ela. Quanto mais eles descobriam sobre o outro, mais o rapaz sentia que gostava dela. No entanto, ainda assim, ele não achava que seria capaz de dar felicidade a ela, mesmo reconhecendo que gostava dela. Ele não conseguia deixar o seu medo de lado. Quando os garotos passaram a percebê-la, o medo de perdê-la o atingiu como um raio. Esse é o casal mais amável do mundo. Meu Deus, como eles são fofinhos! Eu fiquei maravilhada com os dois.


Uki Morinaga é uma garota bonita, animada e esportiva que tem síndrome de príncipe. É a melhor amiga de Makoto, desde pequenas. Ela é muito popular entre as meninas e, com seu jeito de príncipe, acaba conquistado facilmente qualquer uma, embora não tenha qualquer interesse em garotas. Uki se importa muito com sua amiga e está sempre a apoiando a avançar e confiar mais em si mesma. Apesar de ser muito na dela, no desenvolvimento, descobrimos que ela tem um namorado mais velho, que é amigo de seu irmão, e que ele virou seu professor. Porém, ela não demonstra muito. Uki parece ser bem indiferente com as pessoas que gosta e só às vezes demonstra ser uma garota de verdade. Essa verdade se tornou um caos na escola, inclusive para os dois amigos que estavam crushando-a, que ficaram inconformados. O que gosto é que ela é pé no chão, não é aquelas garotinhas que ficam chorando pelos cantos e fala tudo na lata. Por causa dos diversos problemas causados tanto para ela quanto para ele, a garota decidiu dar um basta na relação até terminar a escola.


Nanami Shirayuki é uma garota bonita que adere ao estilo gótico Lolita e tem complexo de princesa, embora, às vezes, pareça uma bruxa. Ela conhece Shun desde o fundamental e tem observado toda as travessuras do rapaz, quietinha em seu canto. Acaba amiga de Makoto e Uki quando fizeram um grupo de estudos. No começo, acreditava que ela tinha uma queda pelo Shun, mas não era nada disso. Ela só estava aconselhando a Makoto do jeito sombrio dela, para proteger a amiga de se machucar. “Ele está distribuindo maçãs envenenadas desde o fundamental. Muito cuidado.” Foi o conselho que ela deu a amiga. O seu jeito delicado e feminino encantou a Makoto, que começou até mesmo a se inspirar nela. No desenvolvimento, parece que Nanami começa a ter sentimentos por Uki, que era como um príncipe para ela. Nanami sabia que era um amor não correspondido e sofria com isso, mas queria a felicidade da amiga mais do que tudo. Essa Lolita foi uma das ajudas fundamentais para o crescimento de Makoto. Foi ela que abriu os olhos da garota, mostrando que ela era seu próprio inimigo a ser vencido. Ela até disse: “Seu maior adversário é essa ‘você’, que quer desistir.”.


Issei Yusa é um rapaz bonito, estourando e pegajoso. Ele é um bom amigo de Shun, desde quando eram crianças. Se tornou extremamente protetor do amigo, por ter recebido-o em sua casa quando ele foi resgatado e, desde então, vem tentando protegê-lo de qualquer coisa que possa machucá-lo, inclusive das garotas. No começo, ele passa um ar de gostar do amigo de forma romântica, por parecer ter ciúmes da relação dele com as garotas. A verdade é que ele queria mesmo proteger o coração de seu amigo. Ele é muito apegado ao Shun, ao ponto de ser um chiclete e fazer o maior escandalo se descobrir que ele saiu a sós com Makoto. No decorrer, descobrimos que ele gosta da Uki, com quem passa o tempo todo brigando feito cão e gato. Ficou irado quando descobriu que ela estava namorando o professor, ao ponto de partir para a violência com ele. Apesar de ser, às vezes, inconveniente e maldoso com Makoto, ele é um bom rapaz, que merece muito ser feliz.


            Rika Kisaragi é a irmã mais velha de Makoto. É muito bonita e é modelo desde criança, por isso, aos 17 anos, é bem famosa. Ela percebe que sua mãe fica inferiorizando sua irmã e, às vezes, até tenta repreender sua mãe, afinal, ela ama muito sua irmãzinha. Acho que ela não faz ideia de como sua irmã se sente em relação a ela. Apesar dos pesares, elas são irmãs muito apegadas e uma ajuda a outra de várias formas. Quando conheceu Shun, acabou saindo com ele algumas vezes, nos fazendo pensar que ela estava tendo algo com ele. Contudo, era apenas por causa de um trabalho de modelo. Ela deixou claro que gostava de caras mais velhos, de preferência que tenham carros, embora ela tenha se apaixonando por um aprendiz de fotógrafo que às vezes caía desmaiado por não ter um tostão para comprar comida.


            Nesse mangá, fiquei muito brava com a mãe delas. Achei horrível a atitude dela de ficar inferiorizando a filha. Chegou até ao ponto de dizer ao Shun que não entendia o motivo dele namorá-la, porque ela era tão sem graça, entre outras coisas. Fiquei só a fúria com aquilo. Ainda bem que Shun é um namorado maravilhoso e colocou a mãe dela no lugar, sem sequer ser mal-educado. Isso me fez pensar que a razão de muitas pessoas não terem autoconfiança e não gostarem de si mesmas é algo que vem de como os pais criam suas crianças. Por isso, precisamos abrir os olhos que temos e valorizar tudo que a criança faz. Se não fizer corretamente, ao invés de inferiorizar, por que não animá-la e ensinar a fazer melhor ainda? Vi uma matéria esses dias falando disso. Crianças que passaram por essa situação tendem a sofrer a vida inteira, deixando oportunidades boas passarem por não sentirem ser merecedoras de tal coisa. Agora, sobre a questão de ser bonita, estive pensando sobre isso. Ser bonita não é ter uma pele bonita, um cabelo sedoso ou um corpo de dar inveja. A beleza é algo que vai muito além do que as pessoas acham ou pensam. A pessoa bonita de verdade é aquela que acredita em si mesma e que, apesar do mundo dizer não, ela está satisfeita consigo mesma, independentemente do que os outros digam. Essa é a verdadeira beleza que nos torna forte.
            Esse mangá é maravilhoso. Tem muitas situações que nos fazem pensar e refletir, e acho isso muito importante em uma história. Fiquei com aquela sensação de despedida quando terminei, e o final foi lindo. Vou com toda certeza sentir muita saudade dessa história e não me surpreenderia se eu acabasse lendo novamente um dia, afinal, ela me encheu de bons sentimentos. INDICADÍSSIMO!!!!



Gênero:   Romance, Shoujo, comedia, Drama, vida escolar
Autor: Sakai Mayu


Mangá: 10 Volumes
Ova: 03 Episodio

Onde ler : Toshi wa Yume (Download)
1 comentário

Mirage of blaze



            Para ser direta, esse anime me deu sono. Não é que a história não seja interessante, mas além de ter diálogos longos e muita coisa para ser processada de uma vez só, achei pesado. Coisas pesadas me dão sono. Esse anime é a adaptação de uma novel que foi lançada em 1990, chegou a ter 40 volumes. Sinceramente, tenho curiosidade em saber mais da continuação da história, mas não acho que seria capaz de ler. Em 1994, lançaram o mangá, com apenas 4 volumes. Queria muito ter encontrado, quem sabe eu conseguiria entender melhor certas coisas, no entanto, não o achei. Em 2002, lançaram o anime, que se vê claramente que é antigo, já que a qualidade não está tão boa. Eu acho que deixaram muitas pontas soltas, várias coisas eu não consegui compreender e o final ficou em aberto. Isso é com certeza uma tortura, já que não podemos nem sequer ler a novel ou mangá.  Em 2004, lançaram dois ovas. A qualidade está melhor, no entanto, é tão pouco         que não me satisfez.
            O enredo envolve um estudante que não deseja nada além de uma vida normal, em que a única coisa que tem que fazer de diferente é proteger o seu melhor amigo. Porém, um dia, ele se envolve com algumas situações. Acaba conhecendo um homem misterioso, que o revela que não é apenas um estudante comum, mas a reencarnação de um Lord muito poderoso da era feudal, com alto poder de exorcizar. Assim como esse homem misterioso, ele tem as habilidades de portadores: além de poder possuir outros corpos, podem reencarnar com suas memórias intactas, uma vez que morrem. No entanto, o jovem rapaz não reencarnou com suas antigas memórias e se recusa a acreditar e tal coisa. Várias situações estranhas começaram a acontecer, colocando a vida das pessoas ao seu redor em perigo, inclusive desse seu querido amigo. E agora? Ele lutará para que esse poder misterioso que está emanando em seu corpo seja manifesto e, assim, poder proteger aquilo que lhe é importante?


            Takaya Ougi é um delinquente estudante do ensino médio. Apesar do seu temperamento explosivo, é, na verdade, uma pessoa muito gentil, que se preocupa com seus amigos. Quando ele descobre que é reencarnação do Lord Kagetora Uesugi, fica em negação, não querendo aceitar de jeito algum. Depois que seus poderes começam a despertar, ele fica mais confuso e começa a ficar em desespero, sem entender quem realmente é. Nesse meio tempo, tentando superar o conflito dentro de si, teve que lutar contra várias situações ao lado do homem misterioso que se chama Naoe. Ao ser muito protegido por ele, passou a confiar e se apegar, mas ficou muito abalado e se sentiu traído quando o homem acaba forçando seus sentimentos, que vão além de mestre e servo. 


            Yoshiaki Tachibana nasceu em uma família de monges, por isso se tornou um. No entanto, esse homem é a reencarnação de Nobutsuna Naoe, que se lembra de tudo do passado e tem estado a procura de seu metre por um longo tempo. Enquanto estava investigando uma anomalia em uma cidadezinha, acaba o encontrado. Ficou muito surpreso quando percebeu que não haviam memórias do passado naquela reencarnação. Um pouco dele queria que recuperasse, outro não. Isso porque, se ele lembrasse, nunca mais olharia de forma afetuosa para ele novamente, porque lembraria do seu grande pecado. Apesar de dizer que era o cão de seu mestre e o seguiria por todos os lados, não importa quantas vezes tivesse que pagar pelos seus pecados, a verdade é que sua devoção vai além da lealdade. Ele é apaixonado por Lord Kagetora. Apesar deles nunca se apegarem ao corpo, afinal o que vale mesmo é alma, Naoe pa      rece ter se apegado ao Takaya também.


            Shuhei Chiaki é reencarnação de Nagahide Yasuda. É um dos seguidores do Lord Kagetora, embora nessa nova vida não tivesse intenção de ficar seguindo-o, afinal, não o considera como mestre, mas rival. Porém, acabou o ajudando no fim das contas, já que a reencarnação não é, em tudo, realmente o Lord de antigamente. Agora, ele é um estudante do ensino médio muito aplicado, amigável e atencioso. Sua habilidade é de alterar memórias e seu poder espiritual só perde para o de Kagetora. Quando Takaya está envolvido em várias situações, Chiaki passa a proteger o melhor amigo dele, Yuzuru.


            Ayako Kadowaki é reencarnação de Haruie Kakizaki, um dos seguidores do Lord Kagetora. Apesar de anteriormente ser um homem, ela tem renascido em corpo feminino, o que a deixa feliz, porque provavelmente sempre teve um lado feminino em seu coração. Nessa nova vida, é uma universitária bonita e sexy. Anda por todos os lados com sua moto turbinada. Sua habilidade é identificar almas e exorcizar. Há uns 200 anos, ela se apaixonou por um homem que acabou morrendo de uma doença. Desde então, tem esperado pelo renascimento dele, mas até agora nunca o encontrou.


            Yuzuru Narita é o melhor amigo de Takaya, um rapaz calmo, atencioso e inteligente. Apesar de aparentar ser um rapaz normal, que está sempre sendo alvo de bullying, ele tem um poder muito grande dentro de si, que todos ainda não conseguem entender. Por essa razão, tentaram possuir seu corpo logo no começo do anime, no entanto, até aí, ninguém fazia ideia do imenso poder que ele carregava dentro dele. Yuzuru e Takaya ficaram muito amigos quando o delinquente estava para perder a cabeça e matar seu pai alcoólatra. Depois de conversarem muito, parece que ele superou essa vontade e, a partir daí, nasceu uma boa amizade. Então, Takaya passou a se preocupar muito com o seu amigo. Pensando bem, pode ser o destino que uniu esses dois, apesar de nada disso ser referido. É como se Takaya, que é a reencarnação de Kagetora, nascesse tão perto desse rapaz, que tem um poder misterioso e poderoso, para o proteger.
            Tem muitos outros personagens, mas creio que esses são os principais. Quando assisti pela primeira vez, foi mais por ser shonen ai. Romance boy love era minha praia naquela época, nem lembro o que achei quando vi pela primeira vez. Vendo dessa vez, achei muito cansativo. O que me motivou a assistir foi o possível entendimento de Takaya e Naoe, que, no fim, foi um balde de água fria. Eu sei!!! É assim que os shonen ai são, o sentimento e a intenção existem, mas a ação não progride. Não indico, mas se você está com sede de yaoi e shonen ai, por que não?


Gênero:     Fantasia, Shonen-ai, Novel

Autor: Mizuna Kuwabara 
Ilustração: Kazumi Toujo
Novel:  40 Volume 
Ilustração: Shouko Hamada
Mangá:     4 Volumes
Anime:    13 episodio + 2 ova

0 comentário