As The God of Death Dictates


Todos nós sabemos que um dia iremos perecer, porém não sabemos a hora e nem o dia, mas se o anjo da morte te dissesse quanto tempo te resta de vida, o que faria? Este mangá, que contém dois volumes, conta a história de uma menina que teve a infelicidade (ou não) de saber que lhe restava poucos dias de vida, mas ela não foi diagnosticada em fase terminal por algum medico, um dia ela viu um garoto estranho sentado na janela da escola e, quando ele percebeu que ela realmente o via, ele simplesmente desapareceu, o que a fez pensar que era um fantasma. Mais tarde ele aparece em seu quarto e abre o jogo com ela, ele é um “um anjo da morte” e avisa que em 30 dias irá busca-la.

Maki Ayume é a heroína desta história, ela é facilmente impressionada, é meiga e atrapalhada, chega a ser um pouco boba. Tem um coração compreensivo e é apaixonada por seu colega de classe há seis meses, porém aparentemente tudo que ele faz é extorqui-la e ela, uma bobinha apaixonada, se deixa levar. Embora morra de amor por ele, nunca teve coragem de se declarar. A vida de uma garota comum que estava para chegar ao fim sem mesmo chegar à fase adulta. Mesmo ela morrendo de medo de saber, ela se aproximou por conta própria do “Anjo da morte” e ficou impressionada ao vê-lo chorar após recolher a alma de um gato morto, então ela passa a questionar ele.


Anjo da morte” (Shinigami), ele não tem nome apenas vive a vagar recolhendo almas. Foi a primeira vez que um humano o viu e teve qualquer contanto direto antes de suas mortes e também foi à primeira vez que alguém o questionou sobre ele não ter nome, sobre ele não ter de fato uma vida. Aquela menina, que era tão boba aos seus olhos, passou a ser interessante. Ele a incentivou a aproveitar seu pouco tempo, se declarar a pessoa que gosta e aproveitar seus dias, mas ela estar próxima daquele menino passou a perturbá-lo, “Eu quero tela somente para mim”, disse.  Ele, observando os humanos, sempre teve curiosidade sobre como é se apaixonar, “ah, então é assim que se sente quando se apaixona”.



Masashi, o colega por quem Maki é tão apaixonada, no começo, achava que ele era apenas um garoto que queria brincar com ela, mas ele me surpreendeu. Na verdade, ele é um garoto responsável e, no meio das loucuras dela, ele foi o único que acreditou nela e tentou ajuda-la. Não é uma historia impactante, é bem simples e fácil de ler, como amo ler mangá, eu simplesmente devoro histórias de amor, não é um mangá que iria para a minha lista de indicação porque achei fraquinho. Mas tem uma história fofa.  



Gênero:  Romance, Shoujo, Sobrenatural
Autor: Mimori Ao
Mangá: 2 Volumes

Sinopse

 O que você faria se soubesse que ia morrer? Esse é o dilema de nossa protagonista. Mesmo sendo jovem e aparentemente saudável ela irá morrer em poucos dias. Como ela sabe? Ela viu um anjo da morte que lhe contou sobre seu trágico destino. O que fazer? Se declarar para o seu amor? Fazer tudo que queria? Mas como aproveitar seus últimos minutos e morrer em paz se tudo que você mais queria parece que está acontecendo… E o pior é que o anjo que disse que você iria morrer fica rondando-a como se estivesse querendo alguma coisa

Onde ler

Mangáspace (Download)
0 comentário

Amor proibido ( Professor e aluno)



O amor já esta no ar aqui no blog Watashi no Sekai, ainda faltam 16 dias para o Dia dos Namorados, mas aqui já começamos a entrar no clima. Para abrir as postagens de casais apaixonados, eu resolvi trazer de primeiro os nossos casais com seus amores proibidos entre professores e alunos, alguém aí que gosta muito desse tipo de história?
Bem, eu já havia dito em uma postagem de mangá que eu particularmente nunca tive atração por caras mais velhos, então nunca tive queda por professor ou algo assim, mas nada é impossível, é isso que acredito. Contudo, eu amo essas histórias, acho que eu gosto do gostinho de perigo algo assim. Pensando nessa postagem, me vieram vários casais fofos (que só de pensar meu coração faz Doki Doki) então, vamos lá conhecer alguns desses casais queridos por mim.


Yuni Kururugi e Haruka Sakurai, do mangá “Kinkyori Renai”, este, que eu tive que colocar aqui como primeiro casal, é de um mangá que ninguém traduziu aqui no Brasil (que eu saiba), mas foi através do Live-action que fiquei sabendo de sua existência e, imagina, eu quase morri quando vi o Trailer, é uma pena que a história não correu como eu esperava no Live. Entretanto eu dei aquela foliada no mangá e, O.M.G., que mangá perfeito, que história mais linda e fofa, eu quero ele para ontem, alguém traduza, por favor. Eu ainda não falei sobre o live dele, mas, em breve, vou falar.
Yuni, ela não gostava do professor no começo, porque ela não se dava bem com a matéria de língua inglesa, que era a dele, mesmo ela sendo muito inteligente, era a única matéria que ela sempre falhava. Ela bateu de frente com ele várias vezes por achar uma afronta as suas notas baixas que recebia, mas, aos poucos, nas aulas particulares de recuperação, ela acabou caindo no amor.

Kyaaaaaa <3 <3 <3
O que mais me deixou louca foi o quanto a menina séria e na dela foi astuta e corajosa quando na hora da aula se esconde debaixo da mesa do professor e, quando ele percebe que ela está lá, ela escreve sua declaração no caderno e ai ele derruba a caneta de propósito para abaixar e a dar um beijo, eu quase não morri com essa cena (cliquei replay um monte de vezes). E claro que, mesmo com tudo isso, eles passaram por altos e baixos, ele, como professor, começou a evitá-la e teve todos aqueles problemas da parte o coração, mas esse casal foi um dos meus favoritos.

www
Michi Hirose (professora de 26 anos) e Hikaru Kurosawa (aluno de 17 anos), do dorama “Majo no Jouken”, este foi o primeiro dorama e é o único até agora que achei neste “estilo” e, por sinal, é bem antigo o que me deixou mais surpresa ainda. Eu tenho um amor incondicional por ele mesmo sendo antigo, porque era o único que tratava disso até ter saído o live-action de “Kinkyori Renai”. Eu desejo muito que tenha um remake, porque essa história é perfeita e merece, com gosto, algo inovador.


Ainda não falei do dorama dele, mas espero que logo fale, mas, como posso dizer, aqui está uma relação intensa, a Michi estava para ficar noiva de seu namorado e estava começando agora sua carreira como professora, mas algo não estava certo, pois ela estava apenas seguindo a vida que seu pai traçou para ela. De certa forma, ela estava frustrada, não que ela não gostasse de ser professora, mas quem gosta de andar conforme outra pessoa determinou? Aposto que ninguém. Hikaru, ele era bem rebelde e havia sido expulso de várias escolas, quando ela o conheceu, nunca imaginou que ia se apaixonar por seu aluno. Ele foi quem a levou a se livrar de sua frustração e, para ele, era a primeira vez que alguém que não fosse sua mãe mostrou se importar com ele sem olhar para seu status (filho de diretora de hospital), em sequência, rapidamente, ambos caíram de amor um pelo outro.


Fumino Kaji (Aluna de 16 anos) e Kazuma Ojiro (professor de 24 anos), do mangá “Faster Than a Kiss”, esse foi um dos meus primeiros mangás online, é uma das histórias de relacionamento de professor e aluno mais amorzinho que já li. Fumi e seu irmãozinho (quatro anos) são órfãos e moravam com parentes, cansada de ficar de um lado para outro à casa de parentes, resolve abandonar a escola e trabalhar para sustentar seu irmão. Um de seus professores a encontra e tenta convencê-la a voltar a escola, então, brincando, Fumi fala para ele casar com ela, então ele aceita e os leva para sua casa. O que achei muito amorzinho é que é obvio que nenhum dos dois sentia nada um pelo outro, porém ele resolveu ajudar os dois que estavam desamparados.


Quando chegou em casa ela achava que ele estava levando a serio o casamento, porém, como ela era menor de idade, ele apenas fez alguns acordos com ela sobre como seria o relacionamento entre eles.  Mais tarde, aos poucos, é claro que ambos se apaixonaram, e muitas lutas vieram. Ela e seu irmão foram embora, o Kazuma quase enlouqueceu, ambos lutaram muito pelo que sentiam, Kazuma se segurou muito para conter seu amor e não tocá-la ( ele tentou só não conseguiu), mais mesmo assim foi um amor muito puro. Amo demais esses dois.


Eu poderia ficar o dia todo falando desse tipo de casal, porque amo muito e tem um bocado que ainda não terminei de ler, que ainda está em lançamento, mas quero citar alguns casais que já vi por ai (em mangás, anime e dorama): Murao e Takana, do mangá “Aoharuride”, ela gostava dele há muito tempo, mas, embora às vezes ele a dava esperança logo a evitava, não porque não gostava dela, mas porque respeitava sua profissão, embora esse amor não tenha ido longe, foi fofo de ver ( ainda não terminei o mangá, veremos); Ayane Yano e Kazuichi Arai “Pin”, do mangá “Kimi no Todoki”, eu, desde o começo, achei que ambos tinham uma química mesmo o Pin sendo um pouco idiota, pode ser coisa da minha cabeça, mas acho que ambos gostam um do outro embora talvez seja só a Yano que goste e o Pin só está sendo idiota mesmo, não sei, mas shippo os dois; Rika Sasaki e Yoshiyuki Terada, do mangá “Sakura Cardcaptor”, embora no anime só mostre que Rika é apaixonada pelo professor, no mangá mostra claramente que ambos têm um caso, choque, porque ela é bem novinha, mas é bem madura para sua idade, mas achei fofo; Não posso esquecer também que os pais da Sakura eram professor e aluna, queria muito uma mangá contando a historia dos dois; Yamaguchi Kumiko e Sawada Shin, do mangá “Gakusen”,  no mangá e no dorama Shin parece ter um interesse especial pela professora Kumiko, porém só no mangá, quase pro final, que ele fala de seus sentimentos diretamente, como ainda não li tudo, não sei, mas eles dois são cool juntos; Meiko e Namura, do mangá “Marmaledo Boy”, este casal sofreu bastante, mas venceram tudo, até a eles mesmos para ficarem juntos, achei muito lindo.

Eu poderia continuar aqui citando até encher páginas e mais paginas, mas, por enquanto, falarei apenas desses, e ai, o que acham? Vocês gostam desse tipo de história? Qual é a história desse tipo que mais gostam? O que acham sobre esse tipo de relacionamento?  Se vocês gostam, posso indicar muitos mangás desse estilo, se vocês quiserem, falem ai e em breve faço uma lista de indicação de mangás de amores proibidos entre professor e aluno, ok?
6 comentários

Big ( K-drama)


Vamos falar de um dorama que marcou a minha vida de dorameira, é um dos muitos primeiros doramas, ou melhor, um dos doramas que assisti no meu primeiro ano de quando o vicio começou. Este não é um dorama atual, faz uns cinco anos que foi lançado e contém 16 episódios, tem uma qualidade muito boa e uma história cativante (e uma trilha sonora que ficou por longos anos em minha mente).
A história envolve uma professora que encontrou o amor após uma esbarrada de seu príncipe, o que a fez rolar escada abaixo e ficar um bom tempo internada no hospital que, por “coincidência” (ou não), ele trabalhava, ele era médico, estar sempre juntos levou a paciente e o médico a namorarem e enfim ficarem noivos; e um adolescente que voltou para Coreia depois do falecimento de sua mãe.


O rapaz e a professora se conheceram depois de uma série de mal entendidos que a fizeram pensar que estava sendo paquerada quando, na verdade, ela havia pegado o guarda chuva errado. Durante tal desentendimento, ela descobre que ele é aluno de sua escola e pior, seu próprio aluno, o que não poderia ser mais constrangedor depois de achar que ele estava dando em cima dela.
Estava chegando perto da data prevista para seu casamento, porém seu noivo parecia distante e as dúvidas sobre o amor dele começaram a despertar quando ela descobriu que ele não tinha mandado seus convites ainda. Quando seu aluno a observava, ele a viu chorando e, pegando-a pela mão sem dizer nada, apenas a puxou, eles montaram em sua moto e ele a levou a um lago onde ela conseguiu esfriar a cabeça. Então seu telefone toca e seu noivo pergunta onde ela está e vai ao seu encontro.


Nesse meio tempo, quando se dá conta, o seu aluno foi embora. O destino é algo imprevisível, não dá para saber qual é o rumo que ele irá tomar, então quando um estava indo e o outro vindo, e ambos se envolvem no mesmo acidente, o carro e a moto ao tentarem desviar do acidente caem da ponte no rio. O chão sumiu de baixo de seus pés quando a disseram que seu noivo havia falecido, sem conseguir seguir em frente, ela estava aos prantos no corredor e aquele que deveria estar morto caminha em sua direção e fala “Professora Gil, o que esta fazendo aqui?”.


Gil Da-ran é uma professora atrapalhada, esforçada e meiga. Estava vivendo um sonho que era maior do que um dia ela havia desejado, era noiva de um sucedido médico a quem ela amava profundamente, embora às vezes uma vozinha a dizia que ele só tinha firmado compromisso por se sentir responsável pelo seu acidente, mas ela queria acreditar no amor dos dois.
Você esta tão preocupada com seu noivo? Olha que eu faço com ele.
Quem poderia dizer que a vida dela, que era um sonho, ia dar um giro de 360  graus, embora tivesse se recuperado do susto de perder seu noivo, ela estava com um problema sério em que o espírito do seu aluno estava no corpo do seu noivo enquanto o próprio corpo dele estava em coma no hospital. Diante a toda essa loucura, ela acabou descobrindo muitas coisas sobre seu noivo, inclusive, o possível motivo do porque ele parecia inseguro sobre o casamento. Tendo, dia após dia, que cuidar do corpo do seu noivo que estava sendo comandado por um adolescente, acabou conhecendo melhor seu aluno Kyung Joon, ele resolveu que o melhor que ela poderia fazer era casar com ele para protegê-lo, enquanto não voltava para seu corpo.


Kim Kyung Joon é um garoto cheio de atitudes, vivia nos EUA até o falecimento de sua mãe, vai morar na Coréia, vivendo sozinho e solitário, ninguém sabe, mas ele tem sérios traumas por ter presenciado a morte de sua mãe em um assalto. Quando ele viu pela primeira vez a Da Ran, algo nela atraiu sua atenção, mas ele nem imaginava que eles iriam ficar tão próximos. Os tios, que eram seu tutores, estavam planejando vender a casa( logo após acidente), no começo, ele ficou um tanto perturbado e Da-Ran o ajudou, mas logo ele percebeu, embora o eu dele fosse ainda uma criança, o corpo dele era de um homem formado que podia fazer algo a respeito e comprou a casa.  Ele se confessou para Da-Ran, porém ela acha que é só brincadeira de uma criança.


Eu gosto muito desse personagem, para mim, ele é o começo e o fim de tudo que me levou a amar esse dorama. Só acho triste o fato do corpo original dele só atuar nos primeiros episódios, eu queria muito vê-lo em seu próprio corpo. Eu fiquei com dó do Doutor, mas eu shippei muito a professora com o Kyung Joon, eu nem gosto de uma história de amor proibido entre mulheres mais velhas com meninos mais novos, falou de caso de professores já estou pronta para ler ou assistir.


Uma das personagens que não posso deixar de falar é a Jang Mari que era Stalker nata do Kyung Joon, ela era louca por ele, o perseguia e tentava eliminar qualquer garota que se aproximasse com segundas intenções (ela me lembra de muito a Yuno Gasaia de Mirai Nikki). Esse dorama tem algumas coisas que me fazem lembrar-se de um dorama japonês, “Majo no jouken(Ultra indicado, esse, para quem gosta de caso de aluno e professora, vai amar), por causa de umas meras semelhanças, eu cheguei a pensar que quem fez essa história poderia ter pegando a história do dorama Japonês e encaixado com outra que formou essa, não sei se vocês acompanharam meu raciocino embora as semelhanças podem ser apenas coincidências, mas nada me tira da cabeça que esse é o caso.
Eu sempre tenho dificuldades em escrever sobre quando o dorama é favorito, esse aqui estou mais de três semanas tentando escrever sobre e ainda não estou contente. Esse é um dorama muito amor, eu chorei as pitangas em vários capítulos, mas se tem uma coisa que não me conformo é com o bem dito final porque os coreanos gostam de dar finais tão... Prefiro nem falar, mas o dorama todo é muito amorzinho.



Então, preparados para pegar seus lencinhos e chorar junto da Da Ran? Você já assistiu este? O que achou? Gostou? Com quem você acha que ela deveria ficar? O que achou sobre o final?
4 comentários

Big - Sinopse


Gênero:  Drama, Fantasia, Romanc. Comedia.

Dorama: 16 Episódios

Elenco

Gong Yoo
Lee Min jung
Shin Won Ho
Suzy




Sinopse

Se trata da história de Kang Kyung Joon, de 18 anos, que acaba trocando de corpo com Seo Yoon Jae de 30 anos, um médico famoso que ainda por cima é noivo de sua professora Kil Da Ran. Com o casamento dos dois se aproximando sem outra saída, Kang Kyung Joon passa a ter que fingir ser Seo Yoon Jae e a conhecer mais sua professora enquanto não consegue voltar ao seu corpo.

Onde assistir


Viki ( Online)


Dramafever ( Online)
0 comentário

Anti- Gravity Boy


Esse foi um dos primeiros mangás que li quando passei a ler mangás online, ele contém três volumes, mas tem uma leitura fácil e divertida. Imagine se você pudesse controlar o nível gravitacional e conseguisse subir até mesmo prédios apenas andando, segurar um balão com gás e conseguir flutuar, subir uma torre com sua bicicleta, consegue imaginar? Este mangá envolve uma adolescente que, por acaso, conheceu um garoto estranho que era capaz de fazer tal coisa. No começo, ela apenas ficou curiosa e achou que seria interessante tirar uma foto, mas esse garoto era seu vizinho de carteira na escola, um garoto que não falava com ninguém, estava sempre sozinho.
Então ela fez de tudo para se aproximar dele e não importava o quanto ele a rejeitava, a garota continuava o perseguindo, pedindo para que ele a deixasse tirar uma foto para participar de um concurso de fotografia. Ele, de saco cheio de tanta perseguição, fez um acordo, ela poderia tirar foto dele, mas teria que se afastar dele.


Konami Fuuko, uma garota obstinada, animada, para ela, não tem tempo ruim, está pronta para aceitar todos os desafios. Quando conheceu Ruka, ela se aproximou por total curiosidade, como não ficar curiosa quando uma pessoa tem tal poder, ela se aproximou dele somente com a intenção de sessar sua curiosidade, mas acabou conhecendo ele além do que esperava. Então, mesmo depois de perturbá-lo tanto por uma foto, quando escutou dele que ele tiraria a foto, mas queria que ela se afastasse dele, Fuuko se sentiu muito triste, ela queria tanto apenas a foto, então por quê?


Eu gosto muito dessa personagem, ela faz tantas coisas loucas, me gerou muitas risadas, ela deve ter quase matado do coração o Ruka várias vezes por causa das loucuras dela, mas ela foi um ponto necessário na vida dele e, mesmo com todos os altos e baixos, ela não mostrou ficar deprimida, está pronta para encarar tudo.


Funakoshi Ruka, ele tem esse poder de controlar a gravidade desde pequeno, segundo ele, é algo de família, nem todos têm, mas sempre nasce um premiado. Por causa desse poder, ele teve que se isolar das pessoas, andando sempre sozinho com medo de contagiar as pessoas. Por causa de seu poder, algumas coisas ruins aconteceram com pessoas que eram importantes para ele, então ele passou a se afastar das pessoas e mantê-las longe, tendo uma vida solitária. Mesmo assim ele tem dois amigos de infância, Yumi e Natsuki, mas até deles ele mantém uma distância.


Ruka é um bom garoto, mais doce e puro do que imaginei, está sempre quietinho na dele, ele é um bom amigo, mas está sempre sozinho mesmo não querendo. Quando conheceu a doida da Fuuko, ele queria afastá-la, mas depois de ter sido perseguido tanto por ela, ter sido envolvido pelas loucuras dela mesmo que por pouco tempo, ele se sentiu triste após pensar que amanhã ela não ia mais estar agitando os dias dele. Ele é tão doce e solitário, me dá vontade de abraçar ele.


 “Nós nos tornamos amigos diminuindo a distância entre nós pouco a pouco, então eu valorizo isso.”
Eu não posso deixar de falar de uma grande amizade que nasce nesse mangá entre o Homem e um animal, “Choro” é uma raposa do deserto, ele vivia perto de onde Ruka morava, mais fugiu para escola, e desde então Ruka sempre o alimenta. Choro tem muito medo dele, mas aos poucos ele vai se aproximando até conquistar sua confiança, Ruka tem um carinho muito grande por ele. Ele é um fofuxo, os dois são muito fofos.



Essa é uma história muito boa, eu me diverti muito, achei muito fofa e pura. Neste mangá tem dois oneshots, um bem legal que aparece o irmão mais novo de Ruka e outro de uma menina que é muito bonita e namora um garoto muito fofo, porém o que ele não sabe é que ela ama ver garotos vestidos de menina e sempre está tendo esse tipo de imaginação com ele. Eu indico este mangá, pois é muito gostoso de ler, não é uma historia impactante, mas carrega uma história doce e divertida.



Gênero:  Romance, Comedia, Shoujo, Aventura, Fantasia
Autor: Azuki Ryou
Mangá: 3 Volumes

Sinopse

 Se apaixonar por um colega de classe é a coisa mais normal do mundo, o problema é quando esse seu colega tem alguns segredos que não pode compartilhar. E o pior é que nem ficar perto de você ele pode. Nessa situação o que será que nossa protagonista poderá fazer para conquistar seu amado?

Onde ler

Mangá space (Download)
0 comentário

Bakuman


Acredito que as pessoas que amam mangá sempre tiveram a curiosidade sobre como é a vida de um mangaká, estou certa? Então esse é o anime certo para você. Este anime foi indicação de uma amiga, quando eu comecei a assistir, não tive muitas expectativas, mas depois que fui me aprofundado na história acabei gostando muito.
Esse anime tem três temporadas, cada uma com 25 episódios imperdíveis. No Brasil, foi lançando o mangá com 20 volumes (e foi relançado também), infelizmente, eu não o adquiri por algum motivo que eu não me recordo agora, mas meu querido irmão completou sua coleção, o que me permitiu fazer a leitura. O anime é basicamente fiel ao mangá, embora, querendo ou não, sempre tenha cortes. Mangá feito pelo mesmo ilustrador e escritor de Death note.
A história gira em torno de dois adolescentes, Mashiro, que tinha o sonho desde criança de se tornar mangaká, por influência de seu tio que era um, porém, depois da morte desse tio, ele se abalou muito e se afastou de seu sonho. E Takagi, que tinha o sonho de ser roteirista de mangás. Um dia ele descobre sobre o talento de Mashiro e propõe a ele uma parceria para serem mangakas juntos, apesar de ser rejeitado, ele não desiste e continua insistindo. Através disso, nasce uma grande amizade.

"Pode ser uma aposta, mas você não pode ganhar na loteria se não comprar um bilhete." - Akito Takagi


Eu gosto muito dos dois personagens principais, o Takagi foi a pessoa que deu o empurrão no Mashiro que o fez ser capaz de dar os passos rumo aos seus sonhos. Ele só teve forças para isso porque ele tinha um grande amigo o incentivando, admiro muito o Takagi por ser um grande amigo que apoia muito os sonhos do seu parceiro até o fim. Teve algumas vezes que ele me irritou um pouco, mas ele é um personagem fantástico, eu shippei muito ele com a Kaya.


O Mashiro e a Miho foram os personagens que me mostraram o amor mais puro que eu já havia visto, e olhe que os personagens de shoujo têm toda uma pureza, mas esses dois ganharam na pureza, acredito que não tenha ninguém que torceu tanto para eles realizarem o sonho deles logo. Sério, eu admiro muito o Mashiro e a Miho, os dois são realmente incríveis. Imagine morar na mesma cidade, mas namorar a distancia sem se ver, sem nunca ter se quer pegado na mão um do outro, no máximo se falar por telefone até que os sonhos de ambos se realizem para que enfim possam ficar juntos por completo. Isso é muito incrível, tem como não admirar ou torcer com a alma por eles?


Mas o meu personagem favorito mesmo é... Niizuma Eiji, para quem conhece o anime, eu nem preciso dizer o porquê, né? Mas vamos lá, ele é incrível, um verdadeiro gênio que até a aparência um pouco desleixado se tornou interessante quando você passa a ver o quanto ele é um mangaká excelente e ama muito o que faz. “Eu serei um eterno adolescente, é por isso que eu desenho mangá”. Tirando que ele é um ótimo amigo/rival. Todos os personagens fazem essa série o que ela é, algo muito excitante, todos os personagens têm seus pontos fortes e cativantes, mas os acima são meus favoritos.
Aprendi algo realmente incrível nesse anime, como não aprender com tantos momentos que servem como ensinamentos para uma vida toda. Acredito que tem muito Mashiro por ai que enterrou seus sonhos há muito tempo, eu confesso que também já enterrei o meu a ponto de nem lembrar qual era o meu sonho mesmo. Então só quem contém seus sonhos enterrados sabe o que é sentir vazio, sem objetivos, sem viver por nós mesmos. Infelizmente nem todos nós temos a chance de ter um amigo como o Takagi que tenha a capacidade de nos empurrar e praticamente nos obrigar a desenterrar nossos sonhos, mas acredito que uma vez que reconhecemos (ou lembramos) que temos um sonho, somos capazes de desenterrar por nós mesmos.



"É verdade que vou me arrepender se eu mantiver meus sonhos e falhas, mas lamentarei muito mais se nem mesmo tentar." - Akito Takagi

Cometer falhas são coisas que acontecem quando estamos lutando para viver, mas se continuarmos parados nada vai acontecer, e agora pode parecer banal, mas um dia com certeza se arrependerá  por não ter tentado, não importa quantas vezes falhamos, podemos tentar de novo e de novo, não importa quanto tempo demore, um dia vamos conseguir realizar desde que demos nosso máximo , afinal, nada vem sem trabalho duro.
Então essa é algumas das coisas importantes que aprendi assistindo esse maravilhoso enredo. E te convido a assistir e ler, pois esse é com certeza um anime que eu superindico, são três temporadas, mas você não perderá um segundo do seu tempo, pois é um anime que super compensa assistir. Uma verdadeira batalha de mangakás. Vi dizer que foi lançando o live-action dessa história, estou muito curiosa para assistir. Quando eu conseguir, falarei dele  aqui.

E ai, já assistiu? Gostou?


E você não assistiu? Não perca seu tempo e aperte o play agora mesmo.


6 comentários

Por que eu amo mangá?


Eu lembro que, quando eu tinha uns 11 anos, eu comprei o meu primeiro mangá, que era da Sakura Cardcaptor (Cardcaptor Sakura). Para mim, foi uma grande conquista porque eu era fascinada por esse anime (ainda sou), porém, por causa das diversas mudanças que tive durante a vida, acabei perdendo meus primeiros mangás e, de certa forma, esquecendo-se desse mundo que me preenchia.
Querendo ou não, quando estamos na transição de criança para adolescentes, ficamos muito perdidos, acabamos deixando de lado coisas que nos são especiais para nos encacharmos no que o mundo nos apresenta no agora. Eu não sabia quem eu era e nem o que queria... E foi assim que me esqueci de quanto isso era importante para mim.
Demorou um longo tempo, eu vivi muitas coisas, eu nem fazia ideia de como o mundo dos mangás aqui no Brasil havia se expandido e, muito menos, sabia que eu podia ter muito mais acesso a outros mangás que não foram lançados aqui, mas que foram traduzidos por fãs, lendo online (ou baixando). E o meu primeiro mangá foi comprado pelo meu irmão “Colégio Ouran Host Club” (Ouran High School Host Club), ele sabia o quanto eu amava o anime e quando viu o volume ele comprou para mim, e foi assim que eu despertei e passei a observar melhor as bancas de revistas, e havia tanto, inclusive, o primeiro que comprei foi “Tsubasa Chronicles”, um dos meus mangás favoritos, então essa paixão foi só crescendo dentro de mim.
Quando eu percebi, meu amor por eles estava muito além do meu controle e o que nem chegava aos pés de ser uma coleção acabou por se transformar em uma grande coleção de 709  mangás, hoje, o meu maior prazer é comprar mangás todos os domingos. Não existe compra mais satisfatória que essa.
Meu tesouro <3 <3

Para mim, meus mangás são meus tesouros, então, sim, eu tenho muito ciúmes, e também não empresto, posso ser tachada de chata, ou o que for, mas seus tesouros não são algo que outras pessoas possam tocar, não é mesmo? Por que gosto tanto de mangá? Os mangás são muito mais detalhados; geralmente não tem censuras; transmitem os sentimentos dos personagens de modos mais profundos; e eu, quando gosto muito de algo, quero muito tê-los perto como os personagens das histórias que nos cativam, não existindo forma física, pelo menos, podemos ter suas histórias em mãos nos permitindo se sentir mais perto.
Então, eu sempre carrego um ou dois mangás em minha bolsa, se possível leio nem que seja um por dia, embora às vezes perca o controle e posso ficar até mesmo um dia, ou até uma semana, lendo mangás sem parar, tanto os em mão quanto os da internet.
Eu acompanho mais 100 mangás românticos pela internet em fóruns aleatórios, e uns 30 títulos que coleciono que ainda estão em lançamento. Como nem sempre posso realmente ler mangá (para minha tristeza), às vezes acumula muitos mangás em minha estante sem ler, mas, quando o tempo surge, eu leio o máximo que eu puder, muitas vezes também acumulam muitos lançamentos dos capítulos dos mangás que acompanho na net. Há pouco tempo, tive o prazer de comprar meu primeiro mangá original do Japão (em japonês), do meu mangá favorito, Skip Beat, hoje tenho uns três volumes e mais outros títulos que são favoritos.
Minha coleção atual da Sakura Card captor <3<3<3 Meu maior amor

Eu realmente tenho muito carinho pelos meus mangás, por isso cada vez que termino de ler, quando tenho tempo, eu os envolvo com folha insulfilm para protegê-los da poeira. Algumas pessoas perguntam “por que você faz isso? você não os lê mais?”. Sim, eu leio, eu tiro e encapo de novo, o que tem de difícil nisso? Algumas pessoas já me disseram “nossa, você compra mangá demais, você lê isso tudo?”, ou “Nossa, você está comprando mais mangá, você nem leu os que comprou antes!”. Eu leio todos, com certeza, aprecio cada detalhe, e eu compro sim toda semana, afinal mangás são contínuos, se eu perder o que foi lançando na banca no mês, como vou continuar a minha coleção (e leitura)?
E, claro, eu ainda tenho a opção de comprar pela net caso perca os que vieram para banca, ou comprar em São Paulo quando vou lá, mas pode haver uma série de transtornos se eu deixar para depois. Um deles é pagar mais caro, ou pior, não encontrar mais, já aconteceu de eu não conseguir achar o mangá em lugar algum, então, por esse motivo, eu mantenho minhas compras em dia e meus mangás em dia sim. E, como eu disse, para mim, não tem compra mais satisfatória.
A minha infância foi DBZ então foi muito gostoso completar essa coleção

Na minha cidade, eu vou sempre à mesma banca, de tanto que eu vou, as pessoas que trabalham lá já até me conhecem bem. Infelizmente, aqui onde moro, os lançamentos, às vezes, demoram chegar, o que me frustra muito, já estou sabendo que tem muita gente que já esta com dois volumes adiantado de um mangá que gosto e aqui ainda não chegou. Quando não consigo me segurar, eu faço assinatura do mangá e recebo em casa, existem mangás que nunca chegam à minha cidade também, ai eu tenho que dar o meu jeito.
Eu gostaria muito que as pessoas, que gostam tanto de mangá quanto eu, dessem um apoio maior, que adquirissem mangás lançados aqui. Lógico que não precisa ser como eu, mas que comprassem seus títulos mais queridos, você, comprando ao invés de só acompanhá-los na internet, dá mais força para que títulos novos venham para o Brasil e que nenhum que já foi lançado seja cancelado.

Então, hoje e somente isso, queria falar sobre o meu amor por mangás, não sei se esqueci de algo, mas acho que isso já basta para vocês entenderem o quanto amo mangá. E vocês? Tem alguém ai que ama mangá?  Alguém que faça coleção? Alguém que tenha ciúmes dos que tem? E qual título você tem? 
1 comentário

História do Japão II – A batalha de Sekigahara


No século XIV à XVI, o Japão passou a funcionar no sistema de feudos, que ficavam em constante batalha entre si, porém, no final do século XVI, no reinado de Hideyoshi Toyotomi, passou a ter certa paz. Contudo isso não durou por muito tempo e tudo mudou em 1600 (ano dos acontecimentos mais importantes do Japão), a batalha de Sekigahara, que era conhecida como “Divisão do Reino”, abriu caminho para a ascensão do Shougun Tokugawa Ieyasu ao poder do Japão.

                               Shogun Tokugawa Ieyasu fonte Wikipedia

A batalha de Sekigahara é amplamente considerada como começo não oficial do Tokugawa Bakufu, que foi o último xogunato que exerceu controle sobre o Japão. Com seus desfechos em três anos, Takugawa consolidou seu poder sobre o clã Toyotomi (da casa de Osaka), os Daimyos (contrários à casa de Edo do Tokugawa). Com a derrota do clã de Hideyoshi e com as mudanças da dinastia governante, então Ieyasu foi o primeiro a subir ao poder.Por um longo período os takugawa comandaram o país, espaço de tempo conhecido como a Era do Edo.

Há alguns meses atrás, comecei a história do Japão, é um pouco difícil escrever quando não sou uma estudiosa nata e também não tenho livros para me servir de referência. Eu tenho apenas um que conta uma história muito resumida, então o que eu pude contar sobre essa batalha foi apenas isso, na próxima, quero entrar em detalhes sobre a Era do Edo, se der tudo certo, vou consegui ter um livro bom de referência.  
2 comentários