Drug-On


              Encontrei esse mangá em uma das minhas viagens para São Paulo. Ele não chegou nas bancas aqui em minha cidade. E julgando o livro pela capa, eu comprei, afinal, gostei do que eu estava vendo. Ele tem uma ilustração muito bonita, contém uma história interessante, que infelizmente não tem tanta profundidade e achei que foram deixadas muitas pontas soltas, o que é sempre muito frustrante. Eu gostei dos personagens, a história de cada um, só achei uma pena ser uma história tão curta. Eu queria saber mais a respeito deles.
            Essa história gira em torno de uma Ilha em ruinas que é chamada de “a Boca do Dragão”. Antigamente, ela abrigava uma mina, entretanto, hoje ninguém mais vive lá e a passagem é bloqueada, pois dizem que lá existe uma fonte que, uma vez que você tenha contato com a água, qualquer desejo pode ser realizado. Muitos que acreditam nessa lenda vão escondidos nessa ilha, contudo, o que eles não sabem é que se você for rejeitado pela fonte, sofrerá uma mutação horrenda. Caçar esses monstro é trabalho dos Takers, e existe dois que com, suas Valets, protegem a verdade.


            Kai é um Taker que manipula a terra. Ele não gosta de interagir com as pessoas e vive fazendo experimentos. Ele é bem rígido com sua Valet, ao ponto de muitas vezes a machucar seriamente. Ele vive no castelo que fica na entrada da Ilha. É muito sério e não fala dos seus sentimentos claramente. Mesmo sendo violento com a Alice, ela diz que ele é gentil. Não fica totalmente claro o motivo dele ser assim, ou talvez eu que não tenha entendido. O que sei é que existe muitos mistérios sobre ele que eu queria saber mais. Tipo o por quê ele diz não entender os Takers terem tantos sentimentos pelas suas Valets.  Entretanto, depois, aos poucos, ele foi mostrando outros lado. Ele parecia estar interessado na Valet Dorothy,  e como ela não podia ser dele, parece que ele ficava tentando fazer uma que fosse como ela.

            Alice é a Valet do Kai. É uma garota muito sincera e boa de coração. Nota-se que ela anseia muito por fazer novos amigos, se relacionar, o que seu mestre não gosta. Por ser uma garota um pouco imatura, que age com o coração, acaba fazendo coisas que irrita o Kai e ele acaba  descontando com violência. Depois de aparecer machucada, a Dorothy a leva para viver com ela, pois ficaram com medo de que ele acabasse a matando. Aí eu pergunto: onde está mesmo a gentileza desse sujeito??? Mesmo diante de tudo isso, ela o ama muito e não o culpa, diz que a culpa é dela por ser inútil.             Vivendo distante dele, parece que ele aprendeu a valorizá-la mais, talvez ele esconda sua preocupação sendo rude e severo, quem sabe.

            Jack é um Traker que manipula o vento, um tirano egoísta e infantil, ama doces e está sempre dando uma de galanteador. Ele tem uma história muito traumática: no seu passado, ele foi sequestrado por um conde que fazia experimentos horrendos com ele, o mutilava, abusava sexualmente, até mesmo comiam partes do corpo dele em busca da imortalidade. Ele ficou por 50 anos passando por tudo isso, sem sequer poder morrer. Sinceramente, fiquei chocada. Ele se mostra sorridente, alegre e despreocupado, mas guarda muitas coisas tristes dentro de si.

Dorothy é a Valet de Jack.  É uma linda mulher que ama e entende muito bem seu mestre e cuida dele. Eles têm uma relação que vai além de mestre, pelo que noto. Ele se mostra muito galinha, mas ela não cobra nada dele, mesmo sentindo ciúmes e preocupada com que ele volte a sumir novamente. Quando ela descobriu o que aconteceu com ele, ficou muito chocada e abalada.  É muito cuidadosa, ela se preocupa muito com as pessoas ao seu redor, até mesmo trouxe a Alice para viver com eles, preocupada com o bem estar dela.

            Jill é um Taker que manipula a água. É uma das mais velhas entre os que já conhecemos. Ela costumava também cuidar da Ilha, entretanto, resolve ter uma vida mais tranquila  no campo. Ela  ama tudo que é fofo, por isso seu Valet não cresce, continua sendo uma criança mesmo depois de muitos anos, por causa da preferência peculiar dela. Foi ela que resgatou o Jack e  até hoje ela se sente muito culpada por ele ter passado por tudo que passou. Peter é o Valet de Jill. Ele parece ser uma criança, mas é muito mais velho que Jack e morre de ciúmes de sua mestra.


            Vocês devem estar se perguntando: o que são Takers e o que são Valets? Takers, nem eles próprios sabem o que são, entretanto são seres imortais, não envelhecem, se regeneram e tem um poder em particular. Não existe muito detalhes sobre, eles mesmo se questionam sobre sua própria existência. Valets são seres fabricados através de alquimia. Cada Taker tem um tumor que fica acima do coração, eles retiram e  fazem um procedimento. Através disso, vai se desenvolvendo e nasce uma Valet. São partes do seu próprio criador, filhas e até mesmo esposas. São basicamente monstros, como eles se autorreferem às vezes. Elas também têm um poder, é como se fosse uma arma, só que são usadas em último caso para proteger seus mestres, caso estejam correndo perigo.

            Muitas pessoas entram no lago, algumas acabam sendo mortos antes de sair da Ilha, mesmo aqueles que não viram monstros, pois ninguém pode usufruir desse poder desconhecido e um tanto demoníaco. O que me deixou intrigada é o nascimento da Alice. Existe algo por trás de tudo nela, pois ela não é uma Valet normal.  Muitas coisas acontecem nessa ilha, onde tudo é ocultado. Eu gostei da história, mas como disse, queria mais profundidade na vida dos personagens.  E aí? Já leram?

Gênero:  Ação, Horror, Mistério, seinen, Sobrenatural 

Autor: Saitou Miaki
Mangá: 5 Volumes 



1 comentário

Shinrei Tantei Yakumo (Psychic Detective Yakumo)

         
              Fiquei muito feliz quando, em minha lista de animes, finalmente apareceu o nome “Psychic Detective Yakumo”. Há muito tempo eu tenho vontade de assistir, entretanto, a oportunidade nunca chegava por causa do número infinito de animes que estavam na frente dele. Todo mundo sabe que eu amo um bom romance, mas uma história que contenha mistério e sobrenatural sempre me atrai, ainda mais se o protagonista for tão gatinho como Yakumo-san (risos). Claro que não deixei de procurar o possível romance nele. Esta é uma novel que começou sua publicação em 2004, depois foi adaptada em anime, mangá, drama e até mesmo teve peça de teatro.
            O anime foi lançando em 2010, tem uma boa produção. A história corre de forma interessante, embora tenha  deixado muitas pontas soltas. Mesmo assim, eu gostei muito, só que eu queria mais. O mangá  foi lançado no Japão a partir do ano de 2009  e aqui no Brasil também tivemos o lançamento desse magnífico mangá, o qual acabei não colecionando, mas meu irmão o coleciona, por isso conseguiu ler todos os volumes. Como sempre, o mangá é mais detalhado, entretanto, a história corre de modo diferente do anime. Acho que até de forma mais limpa. Confesso que gostei mais de como tudo flui no mangá, só que quando o mesmo terminou, fiquei muito frustrada, pois algumas das pontas soltas do anime continuaram soltas no mangá.  A novel não tive o privilegio de ler, contudo, ando realmente louca para ler. Ainda tenho esperança que aquelas pontas que ficaram soltas no anime e no mangá sejam reveladas nele, só que não sei quando essa chance irá surgir.
            A história envolve um jovem universitário que nasceu com heterocromia ocular (uma anomalia genética em que o indivíduo possui um olho de cada cor). Seu olho esquerdo é vermelho, o que o permite ver fantasmas e espíritos. Ele acredita que esses fantasmas ou espíritos estão presos na Terra por alguma causa, por isso ele tenta ajudá-los a resolver para que eles possam seguir em paz. Um dia, uma jovem universitária que ficou sabendo sobre sua habilidade, pede ajuda para resolver um estranho caso sobrenatural que aconteceu com sua colega após visitar um prédio abandonado. Agora os dois vão às investigações.

            Yakumo Saito, o protagonista da história, leva uma vida aparentemente despreocupada na sala do clube da faculdade, onde ele basicamente mora. Um homem bonito, sarcástico, rude, parece ser frio, mas tem muita gentileza atrás disso. Além disso, é dorminhoco. Quem o vê, não faz ideia de quão difícil a vida dele foi desde que nasceu. Quando ainda era criança, quase foi morto pela sua mãe que colocava a culpa nos olhos dele e sofreu muito bullying, até enfim se fechar e aprender a lidar com isso usando lente para esconder o olho vermelho. Entretanto, parece que tudo em torno dele era tragédia. Pessoas que acabavam por serem importantes para ele eram sempre levadas ou o abandonando. Ele achou que nunca alguém sequer o aceitaria como era, então se fechou.

            “Já vi tanta gente viver e morrer diante dos meus olhos. Achei que com o tempo, me acostumaria, mas isso só tornava minhas feridas mais profundas a cada dia. E logo quando ela apareceu, eu finalmente aceitei a minha própria existência.”
            Quando ele conheceu a sua colega de faculdade, Haruka, era para ela ser só mais uma pessoa que veio dar um caso para ele resolver, entretanto, ela foi a primeira pessoa que achou o seu odiável olho bonito. Ele não demonstrou, mas com certeza aquele comentário inocente dela abriu o mundo dele. Yakumo  parece muitas vezes não se importar com as pessoas ao seu redor, mas tudo isso é mais para não se permitir fazer laços. Atrás de seu jeito frio e rude e suas palavras sarcásticas, existe tanta gentileza que faz o nosso kokoro derreter. Já viveu diante de muita injustiça e mesmo assim, decidiu seguir em frente. Por isso, em muitos casos em que ele encontra assassinos que tentam se justificar através de sua vida miserável, ele sabe muito bem  como  dizer boas verdades: “não importa  o quão indesejável seja uma situação, as pessoas precisam seguir a vida.”.

            Haruka Ozawa, segunda protagonista da história. Universitária, alegre e amigável. Carrega uma culpa dentro de si por muitos anos. Ela acredita ter matado sua irmã gêmea, a qual tinha um pouco de inveja por ela ser boa em tudo. Entretanto, através do Yakumo, sua irmã diz a ela que não é culpa dela e que tudo foi um trágico incidente por descuido da própria. Isso não tirou totalmente a culpa dentro de si, entretanto, saber que a irmã dela não a culpava e a amava tanto ao ponto de estar ao lado dela a protegendo até então, a deixou um pouco mais aliviada.  Uma garota que se importa muito com as pessoas. No começo, quando procurou Yakumo pela primeira vez, acabou achando que ele era um charlatão por esta usando métodos desonestos em jogos de carta, entretanto, ele acabou  mostrando que sua capacidade era verdadeira.

            Ela foi a primeira pessoa estranha a não ter medo das habilidades dele e nem de seus olhos. Embora as coisas não tenham começado de forma agradável no começo, no final, ela acabou não conseguindo esquecê-lo. Depois da primeira vez, ela estava sempre levando novos casos a ele, o que foi aprofundando o lanço entre os dois ainda mais. Ela correu vários riscos de vida por diversas vezes, tanto por tentar resolver casos sozinha quanto por causa dela ser alguém importante para Yakumo. Claro que ela não fazia ideia que esse era o caso, mas as pessoas de fora percebiam.  Foi salva diversas vezes por ele, mas ela também o salvou muitas vezes, arriscou sua vida por ele, permaneceu perto mesmo quando ele a mandava para longe.

            Se eu shippava esse dois???? Eu amava esse dois com todo meu kokoro! Estava aqui torcendo para ter um final no mínimo louvável em que ele declarasse seus sentimentos a ela. Adivinha????  Isso não aconteceu, minha frustração eterna. Não há duvidas que as vidas desses dois estavam totalmente ligadas desde quando eles estavam no ventre de suas mães. Sim, eles tinham mais vínculos do que eles imaginavam. Contudo, mais do que palavras,  eles demostravam seu sentimentos com atos, embora não saiba se Haruka entendeu que ela era importante para ele de fato. Mesmo assim, esses dois são a coisa mais amável da vida juntos. Espero que a novel pelo menos dê um final decente para esses dois.

            Detetive Kazutoshi Gotou, quando ainda era só um policial, salvou a vida de Yakumo, impedindo que a mãe dele o matasse. Após descobrir a habilidade dele, depois que ele já estava mais velho, estava sempre pedindo a ajuda dele para solucionar alguns casos de assassinatos. De certa forma, ele criou muito apreço por Yakumo, que era como se fosse parte da família dele.  Yuutarou Ishii é parceiro do Detetive Gotou, é medroso, covarde e muito atrapalhado e tem uma queda por Haruka.  Makoto Hijikata, no anime ela e só uma jornalista “xereta”, no mangá, além de jornalista, foi possuída por um espírito, o qual atacou o Detetive Ishii,  por quem tem uma queda. Entretanto, ele morre de medo dela por não conseguir esquecer aquele acontecimento.

            Nao Saito  é a priminha de Yakumo. Ela é surda, mas entende muito bem o que você diz, se falar diretamente a ela. É uma garota alegre, que ama muito seu primo. É filha adotiva de Ishin Saito, irmão mais novo da mãe de Yakumo, um monge de um templo budista. Ele usa lente de contato vermelha em um olho, para dar um certo apoio ao seu sobrinho. É um homem gentil, que tem tentado com toda força não deixar ser corrompido pelo ódio do homem que fez a vida de sua irmã miserável e tem tentando abrir o mundo de seu sobrinho, orando para que ele possa aceitar sua própria existência. Talvez esses dois sejam uma das maiores razões de Yakumo aguentar tudo até então.

            A história por trás do nascimento de Yakumo tem muitas pontas soltas ainda na história, entretanto, o que sabemos é que, por algum motivo um homem estranho que não sabemos exatamente qual era seu objetivo na época, a sequestrou e abusou sexualmente, deixando-a grávida. Esse homem, cujo nome não foi revelado, mas era chamado do homem dos olhos vermelhos, era a escuridão em pessoa e por onde ele passava havia caos. Tudo de ruim que acontecia na vida de Yakumo tinha a mão desse homem, que queria arrastá-lo para a escuridão.    A mãe de Yakumo ficou assustada quando viu que um de seus olhos era vermelho, entretanto, embora ele não lembre, ela o amava sim e teve alguns momentos de felicidade, que foram esquecidos depois de quase ter sido morto por sua mãe, o que deixou um buraco negro enorme sem seu coração.

            Muitas coisas que não foram exatamente resolvidas nos deixaram em uma situação bem complicada de frustração e curiosidade. É uma história maravilhosa, que merecia muito mais avanços, muito mais profundidade. Ele me deixou frustrada, pois eu queria saber mais. Me restam muitas dúvidas, inclusive em questão de seu pai, pois não sabemos muito sobre ele.  Eu indico com certeza. É uma história que vale a pena assistir e ler. Espero sinceramente que eu consiga ler a novel e que ela esclareça essas pontas soltas. Já assistiram? Leram???
Gênero:   Drama, Sobrenatural, Romance, Ficção policial, mistériopsicológico 
Autor: Manabu Kaminaga
Ilustrador: Katoh Akatsuki

Anime:   13 episódio 


Mangá:   14 Volumes 


0 comentário

Live-actions que quero ver



Nesses últimos anos, saíram tantos live-actions com títulos maravilhosos, a maioria é adaptação de mangás que eu já li ou acompanho. Coloquei alguns (a maioria) em minha lista e não vejo a hora de começar uma maratona. Separei uns aqui que quero muito ver para compartilhar com vocês.


            Ookami shoujo to kuro ouji: eu já lia o mangá, vi  o anime que ficou muito bom, agora veremos como ficou o live-action. Esse conta a história de uma garota que mentiu para suas amigas que tinha uma namorado. Quando elas cobram  dela uma foto,  ela tira a foto de um garoto aleatório, bonito, que encontrou por ai. Só o que ela não esperava era que ele estudava na mesma escola. Ele acaba descobrindo que era alvo das mentiras dela, então faz um acordo que, em troca de sustentar sua mentira, ela viraria seu cachorrinho. Já pensou????

            Kurosaki-kun no Iinari ni Nante Naranai:  eu tinha começado a ler o mangá um tempo atrás.  Fiquei muito empolgada quando descobri sobre o live. Conta a história de uma menina que se apaixona por um garoto chamado “Príncipe Branco”, mas acaba de alguma forma se envolvendo com um garoto que costuma se chamar de “Demônio negro” e  agora seus dias pacíficos em sua nova escola estão contados.


            Heroine shikkaku: eu leio esse mangá há tanto anos. Só tenho uma coisa a dizer: é muito bom. Estou muito animada com a ideia de ter saído o live.  Ele conta a história de uma menina que tem complexo de heroína. Assim como nos mangás e filmes, ela sonha que um dia será correspondida pelo seu amigo de infância, entretanto, ele acaba por namorar uma garota com o padrão de beleza mediano e pior: parece ser um caso sério. Sofri lendo o mangá, espero sofrer vendo o live também.

            Orange: aqui no Brasil foi lançando o mangá. Eu já até li tudo e escrevi sobre (leia aqui). Ano passado saiu o anime, que ainda não assisti. Estou me preparando para a onda de sentimentos que ele me trará. Só posso dizer que é extremamente fantástico, lindo, maravilhoso e espero que  o live esteja à altura. Leiam a história na postagem que escrevi.


            Ore monogatari:  aqui no Brasil também foi lançando o mangá. Recentemente, tenho acompanhado. Também saiu o anime, o qual ainda não assisti. A história envolve um estudante do ensino médio que não aparenta ter a idade que tem por causa de seu físico: ele é muito alto e forte, a maioria das pessoas tem medo dele. Ele está sempre se apaixonando pelas garotas meiguinhas que estão sempre se apaixonando pelo seu melhor amigo que é muito popular, por causa da sua beleza padrão. Um dia, ele salva uma menina sendo assediada no metrô e desde então essa garota que é totalmente o tipo dele está arrumando desculpa para vê-lo. Ele começa a gostar dela, mesmo tendo quase certeza que o interesse dela é por seu amigo. Gosto desse porque foge bastante do shoujo padrão.

            Senpai to kanojo: li o mangá um tempo atrás.  Achei muito fofa a história, por isso estou bem empolgada para ver em live. Conta história de uma menina que se apaixona pelo seu senpai, entretanto, ele tem um amor por uma outra pessoa.

            Strobe edge: já li tantas vezes o mangá que perdi a conta. Tem uma história bem intensa, uma parte de mim gosta muito da protagonista outra não muito. Conta a história de uma menina que nunca havia se apaixonado, entretanto, ela acabou por se apaixonar por um garoto, o qual descobriu ter namorada. E agora? O que ela fará com os seus sentimentos??

            Peach Girl: quem não tá perdendo a cabeça com esse novo live??? Me diga??? Seriamente, estou indo a loucura do desespero por ele. Foi um dos primeiro animes de romance da minha vida, que me deu mais dor de cabeça também.  Ele conta história de Momo, que sofre um certo preconceito por ser um pouco bronzeada, mas tudo bem, ela tem uma amiga que é totalmente a menina do padrão da beleza japonesa, que por sinal, é um invejosa e cretina. Momo não fazia ideia, até ela  finalmente conseguir namorar o garoto dos seus sonhos, sua amiga da onça faz alguma coisa e rouba de alguma forma o namorado o seu namorado. É uma situação bem louca, contei por alto, mas acredite: vai arrancar os cabelos aí para assistir a esse live.


Hirunaka ryuusei: eu devorei o mangá desse mês passado, juntamente depois de ver o anúncio do live-action, até escrevi sobre ele (leiaaqui). Essa história envolve uma estudante que acaba se apaixonando pelo seu professor, para mais detalhes, leia a postagem. Sério, essa história é maravilhosa, fiquei apaixonada.


            P to JK: quando eu vi o anúncio desse live-action, eu não pude acreditar. Primeiro  porque  o ator que irá atuar como o policial é um dos meus favoritos. Segundo porque amo essa história. Eu acompanho o mangá há um tempinho aí. Esse conta a história de uma estudante que conhece um policial em um encontro de adultos. Ambos acabam tendo interesse um pelo outro, mas aí ele descobre que ela é uma estudante, não uma universitária. Gente, essa história é muito fofa. É um amor tão puro e fofo que me faz ver coraçõezinhos.

            Esses aí não são nem a metade de live-actions que estão saindo por aí, mas esses são os que mais me atraíram no momento. Se vocês conhecem algum outro que não esta aqui, me indique, por favor. Eu  quero ver todos que eu puder, com certeza. Espero que vocês tenham gostado. Quem sabe vocês também se interesse por algum desses. Muitos já estão disponíveis para ver aqui, outros estão para lançar. 
2 comentários

Descendants of the sun ( K-drama)

            

            Eu evito muito assistir lançamentos, pois não tenho paciência para aguardar episódio ser liberado. Na época eu tive a péssima ideia de começar a ver esse, mesmo sabendo que ainda estava nesse processo. Entretanto, eu fiquei completamente apaixonada. Esse não é um dorama de romance que corre como os demais. Eu diria que está muito mais para um romance real e que foge bem do clichê, tendo sua própria identidade sem  ter como se comparar com os demais. A única coisa que eu tinha certeza quando comecei a assisti-lo, era que eu ia sofrer. Eu disse que não tenho paciência para esperar, né? Dito e feito! Perdi a paciência e acabei não assistido mais. Só agora que saiu na Netflix eu decidi rever e, finalmente, terminar 
            A produção é maravilhosa, tem um elenco simplesmente fantástico, na verdade, não eram atores que estavam tão ativos, mas são alguns que eu já conhecia, em especial o Song Joong-ki. Já o tinha visto como personagem terciário nos doramas e eu sempre fui encantada pelo seu sorriso tão doce e cativante. Esse dorama fala muito sobre o patriotismo e a lealdade dos soldados coreanos. E uma coisa legal é que os personagens são maduros, não deixam ser guiados só pelas suas emoções, são lógicos e decididos, não ficam de joguinhos de conquista. Se se gostam, falam logo. Se podem ou não ficar juntos, não vai ser algo decidido por emoção, mas sim com a razão, ou seja, nunca vão terminar por motivos banais.

            O enredo envolve duas vidas que estão destinados a se encontrar. O soldado, líder das forças especiais, fica atraído à primeira vista por uma médica cirurgiã que ele acaba conhecendo na sala de emergência de um hospital. Mesmo depois de algumas eventualidades, ela finalmente aceitou sair com ele, só que todas às vezes que eles marcavam algo, antes mesmo ou durante, eram interrompidos, pois ele tinha missões a cumprir, as quais ele não podia dizer a ela. Depois dela revisar a situação do relacionamento deles e o conflito de ponto de vista sobre a vida humana, ela decide que o melhor é terminar.
Oito meses se passou e muitas coisas mudaram. A médica nunca mais viu aquele homem cuja única lembrança que tinha dele era o raio X  do seu tórax que ela guardava. Por causa de alguns desentendimentos com o presidente do hospital, ele a manda para ser líder dos médicos que foram enviados para serem voluntários na URK. Quando eles chegam, no meio dos soldados que foram os buscar, lá estava aquele homem com que ela mesmo terminou,  mas não conseguia esquecer. Era como se o destino estivesse brincado  com aqueles dois jovens que acabaram se reencontrando novamente.

            Yoo Shi Jin  vem de uma família de militares, possui excelentes habilidades acadêmicas e físicas. Formado na academia militar, hoje ele é capitão do exército, líder das forças especiais da Coreia do Sul, um verdadeiro honroso soldado, pronto para defender a honra de seu país.  Fora dos seus deveres como soldado, ele é um cara alegre, social e muito brincalhão. Como está sempre em missões, não tem muito tempo livre para se divertir, paquerar, fazer coisas que pessoas normais fazem.  O motivo que o levou a ir naquela sala de emergência de hospital foi por causa de um ladrãozinho que roubou o seu parceiro, mal ele sabia que iria conhecer o amor da vida dele.


            Ele ficou  tão atraído por aquela mulher! Se ele não acreditava em amor à primeira vista, provavelmente naquele momento ele viu que tudo era possível. Foi como imã: um sendo atraído pelo outro. Ambos eram ocupados e, querendo ou não, ambos eram diferentes. Ele tinha missões supersecretas que nunca poderia contar para ninguém, tinha que sumir de tempos em tempos, sua vida estava sempre em risco e ele tinha que tirar muitas vidas para proteger alguma coisa. Por mais que ele quisesse conhecê-la melhor e estar com ela, mal conseguia ter um encontro em que não tivesse que deixá-la.

            Kang Mo Yeon é uma médica especialista em  cardiotorácico. Está trabalhando duro na cirurgia para mostrar suas capacidades e conseguir um cargo como professora  na faculdade de medicina. Ela acredita firmemente que seu esforço terá frutos. Entretanto, ela cai em uma dura realidade em alguém que não é tão boa quanto ela, mas tem boas conexões, consegue o cargo que ela tanto lutou para ter. É uma mulher de pé no chão, não deixa as emoções atrapalharem suas decisões. Sendo assim, age com a razão, mantendo firmemente seus princípios. Ela não tem medo de assumir seus erros, o que a faz ser uma mulher única. 

            Depois que conheceu aquele homem incrível, ela teve que tomar uma decisão não só sobre ele, mas como sua vida como médica também. Ela gostava dele, mas antes de que eles mergulhassem em um amor que poderia levá-la a sofrer, ela preferiu dar um basta, mesmo antes de começar. Só que mesmo a vida dela seguindo, ela nunca o esqueceu, nem por um momento. Como médica, ela seguiu outro rumo, virou uma médica famosa na televisão, passando a cuidar da ala vip do hospital. Toda essa realidade a fez mudar muito. Quando eles se reencontraram, foi algo mágico (para mim foi mágico), algo longe do normal, pois ela achou que nunca mais o veria novamente.

            Esses dois tem um imã, uma química tão grande e intensa, que não tem como não torcer para eles. Ela estava ciente de todas as dores e sofrimento que iria passar por amar e namorar alguém como ele, é por isso que ela estava indo contra esse sentimento. Só que conhecer por alguns dias e não conviver juntos, pode ser fácil evitar certos sentimentos, mas estando juntos, vê-lo todo dia, sendo protegida e apoiada, todo aquele sentimento poderia muito bem a tomar. Não tem como não gostar desses dois, não torcer, não chorar, não se divertir, ficar preocupada, afinal, ambos correram tantos riscos juntos.

            Seo Dae Young é um sargento, bom amigo e parceiro  de missões do Shi Jin.  É um soldado muito leal e orgulha-se de proteger com sua vida a sua pátria. Ele é um homem durão e tem grande dificuldade de expressar seus sentimentos, só que dentro  de toda essa capa, existe um homem de coração muito bondoso. Nesse momento, existe apenas uma coisa que tem  o incomodado: o fato dele não poder estar com a mulher que ama porque o pai dela, que é um superior dele, o proibiu.  Ele, como um soldado leal, não é capaz ir contra, nem mesmo pela mulher que ama.

            Yoon Myung Joo é a médica do exército. Tem uma alta patente, é filha do Tenente General, comandante das forças especiais. É uma mulher que não hesita em correr atrás daquilo que deseja, gosta muito do que faz. Seu pai estava disposto a fazê-la casar com o Shi Jin.   Conheceu Dae Young na academia militar e  eles se tornaram mais próximos depois que ela o ajudou em um momento difícil, em que ele estava de coração partido pois sua ex namorada ia se casar. Ela fingiu ser sua nova namorada em troca dele dizer que era namorado dela para o Shi Jin.  Depois disso, ambos começaram a ter sentimentos um pelo o outro, o que foi impedido pelo o pai dela.


            Depois disso, Dae Young vivia sendo mandado para longe dela, mas ela não desistia e continuava indo atrás dele. Myung Joo ficava brava com ele, furiosa por ele não ir contra o pai dela para ficar com ela. Ele guardou tudo que sentia, não dizia nem uma palavra,  acho que mais que ela, ele sofreu muito, pois pelo menos ela era capaz de por para fora, mas ele estava guardando à sete chaves em seu coração. Só que tudo começou a mudar quando Myung Joo quase perdeu sua vida. Esse casal secundário é tão importante quanto o primeiro. É tão linda a história deles que não tem como não amar e torcer muito.

            Os médicos e enfermeiros que foram  como voluntários foram personagem de muita importância. Além da história de amor, muita coisa aconteceu além disso. Essas pessoas que sempre tiveram  em seu conforto, trabalhando em um hospital, aprenderam muito nesse lugar. Estiveram diante de uma tragédia que levou muitas vidas, arriscaram suas vidas, alguns que não foram capazes, mas aprenderam com seus erros.  Acredito que, depois daquilo, eles mudaram muito sua forma de ver o mundo, vendo que as coisas não são tão fáceis assim. Teve muitos momentos descontraídos também, em que eles nos levaram a rir.

            Os soldados com seus corpos esculturais arrancaram muitos suspiros das médicas e enfermeiras. São muito importantes, acho que deu para ver muito bem o quão empenhados muitos desses soldados são, o quão dedicados. É certo que alguns vão por completa obrigação, mas esses que vimos, a maioria estava por escolha própria. Acredito que deu para ter uma boa ideia de patriotismo da parte deles. Acredito que da para ter uma boa ideia sobre se voluntariar para ajudar países mais pobres, que estão passando por situações difíceis. Havia um personagem chamado Daniel, que era coreano, formado em medicina, rico, que vivia pelo mundo ajudando. Ele era até mesmo proibido de entrar em alguns países por causa da sua causa. Achei muito interessante isso.

             Os vilões da história são, claro, aquelas guerras e missões perigosas. Entretanto, teve um inimigo mais direto que envolveu a nossa médica em perigo e quebrou o coração do nosso Yoo Shi Jin. Agus, um personagem americano que era soldado muito admirado por  Shi Jin, a quem eles salvaram a vida em uma missão há muitos anos. Ele saiu do exército e virou contrabandista do mercado negro.  Como ele estava atuando, isso em URK, acabou que o destino deles se entrelaçaram da pior forma possível.

            Eu só posso dizer que esse dorama é fantástico, maravilhoso e cheio de ações, coisas que estão bem perto da realidade da vida coreana e dos outros. É um romance com o pé no chão, não tem melhor. Chorei às pitangueiras em algumas partes, fiquei ansiosa e fiquei triste porque acabou, pois é um dorama espetacular.  É claro que eu indico, sem dúvidas.  Está na Netflix, então se você tem assinatura, assista, não vai se arrepender.  E aí? Já assistiram?

Gênero:  Romance, Drama medico , ação

Dorama:   16 episódio 

2 comentários

Baby Pop

          

  Quando li esse mangá, há alguns anos, eu esperava seriamente que a história corresse para o lado proibido da vida. Até mesmo fiquei receosa em o ler. Afinal, por mais que eu tenha uma queda pelo o proibido, há certos limites para tudo na vida. Se bem que, pensando nisso, até eu fico confusa sobre quais são meus limites quando envolve história. Deixando isso à parte, esse mangá tem uma história realmente interessante. Me fez ficar com uma sensação estranha várias vezes, mas só no final eu realmente  consegui concluir os meus sentimentos em relação a eles. A ilustração não é  uma das melhores, mas tem traços bons sim.

            A história envolve uma adolescente, filha de uma modelo e escritora famosa que, recentemente, se casou com um fotógrafo que é mais novo.  Só que em um trágico acidente, veio a falecer, deixando sua filha e seu esposo. Entretanto, estão correndo várias polêmicas entre os familiares de sua esposa e algumas pessoas de fora, que acham que não seria bom uma menina adolescente morar com um homem tão novo com o qual não tem vínculo de sangue. Ainda mais ele que parece ser irresponsável e um verdadeiro playboy. Em meio a muitas confusões, a adolescente decide dar uma chance, viver com ele e, quem sabe, conseguir entender o motivo de sua mãe ter o amado tanto.


            Nagisa é uma estudante até que muito madura para sua idade, talvez por sua mãe ser muito ocupada com o trabalho, ela acabou por se tornar bem independente. Sua relação com sua mãe era muito boa: mais que filha e mãe, eram bem amigas, então perder sua mãe foi um choque que ela não conseguiu expressar no funeral e, por isso, as pessoas ficavam falando o quanto ela era fria.  Aquele cara que ao seu ver não tinha nada de realmente útil nem apareceu no funeral. Ela não gostava nem um pouco dele, mas tinha curiosidade sobre o por quê de sua mãe  se casou com homem daquele, que não inspira confiança alguma.

            O seu pai, que não aparecia há anos, estava decidido a levá-la com ele, mas naqueles poucos momentos em que ela esteve com aquele cara, ela pensou que talvez seria melhor ficar ali. Ele a tratava como a filha preciosa dele, mas era estranho, incômodo. Na maioria das vezes, ela que tinha que cuidar dele como se ele fosse o adolescente, estava sempre rodeado de mulheres. Entretanto, mesmo ele sendo um estranho louco e inconsequente, havia um certo conforto em estar morando com ele.  Com o tempo, ela começou a compreender muitas coisas a respeito dele, mesmo ele sendo um playboy, talvez totalmente irresponsável, não havia dúvida que ele amava muito a mãe dela.


            Ryu é um fotografo, sua área é mais fotos sensuais. Ele tem uma história bem longa com a mãe de Nagisa. Ele a ama há mais tempo do que ela imagina.  Muitas coisas aconteceram na vida dele. Ele é de fato um mulherengo e irresponsável, mas com a morte de sua  amada esposa, ele tentou ao máximo ser um pai de verdade. Ryu não parecia estar sofrendo nem um pouco, mas isso estava bem longe da verdade. O que acontecia era só que ele não queria aceitar o que aconteceu, mas camuflava muito bem isso.

            Para ele, Nagisa era  o bem precioso que sua amada deixou. Ele estava disposto a protegê-la, mesmo que isso mudasse seu modo de vida.  Então, ele se tornou bem coruja e superprotetor, era quase um perseguidor, mas a apoiava muito, em tudo, até mesmo em sua primeira relação com um garoto. Às vezes, parecia que ele via a esposa na Nagisa, afinal, elas eram bem parecidas. Por isso, a protegia tanto, mas creio que me enganei: ele amava muito sua esposa, por isso que ele estava disposto a amar e proteger como sua própria filha o único tesouro de sua amada. Eu fico curiosa em saber como seria a vida deles. Ele parece não estar sofrendo, mas na verdade ele esconde muita dor dentro de si.

            Não é meu tipo de mangá, mas tem uma história bem interessante. Eu não leria novamente, mas se gostam desse tipo de gênero, fiquem à vontade. Já leram?

Gênero:  Comedia, Drama e Josie

Autor: Agawa yayoi
Mangá: 2Volumes 


Onde ler: 
0 comentário

Karin- Chibi Vampire Karin

           


                  Encontrei esse anime há muito tempo e o coloquei em minha lista. Esse ano finalmente eu o assisti. A sua produção não é das melhores, já que tem no mínimo uns 10 anos desde que foi lançando. O anime em si achei fofo, mas não fui cativada, pois focaram bem na parte comédia e deixaram pontas soltas, o que deixou a história meio sem graça. Eles não foram fieis ao mangá, seguiram uma linha bem diferente da história original,o que pode ter sido um erro. Mesmo assim, somos conquistados pela protagonista, o que pode nos induzir a assistir, mesmo o anime não sendo tão bom.
            Em compensação, o mangá é maravilhoso, a história flui de modo limpo, mais detalhado, aprofundado nos sentimentos dos personagens, o que com certeza me cativou por completo. Mais que isso: fiquei apaixonada, por isso, agora que terminei, tudo o que sinto é uma solidão terrível. Talvez você não vá gostar muito do anime, mas algo tenho certeza: o mangá não tem como não gostar, pois não segue uma historinha só pro lado do humor e engraçado, vai muito além disso. Ele foi lançado aqui no Brasil em 2012. Eu não tenho a coleção, mas meu irmão tem e por isso eu consegui ler todos os volumes. Esse título também tem uma novel de suspense, com a mesma protagonista. Sinceramente, parece bem interessante, acredito que eu gostaria muito de ler, se a oportunidade surgir.

            A história envolve uma jovem que é de uma família tradicional de vampiros ocidentais que há muitos anos imigraram para o Japão.  Entretanto, essa moça não é uma vampira comum. Diferentemente dos demais, que vagueiam apenas pela noite e bebem sangue para sobreviver, ela pode perfeitamente andar de dia, se alimenta com comidas humanas e a única coisa que a faz tão diferente dos humanos é seu segredo vergonhoso: ela produz sangue em excesso uma vez por mês, e, ao invés de sugar sangue, ela faz transfusão do seu na pessoa que é mordida. Por isso, ela pode viver normalmente no meio dos humanos, sendo assim, por ser ainda uma adolescente, ela frequenta a escola como qualquer um de sua idade.

Vivendo entre dois mundos, ela tem levado uma vida tranquila, sem muitas preocupações, até que um dia em que um novo aluno é apresentado para sala. Por alguma razão, quando ela o viu, seu sangue começou a aumentar o volume de modo rápido, mesmo estando no dia certo. Depois de acordar de um desmaio, ela fica desesperada por não entender por quê isso aconteceu. Toda vez que estava perto dele, seu sangue aumentava, ela pensou que estaria tudo bem desde que ficasse longe dele. Para se livrar do excesso de sangue, ela encontra alguém em um parque e o morde, só que ela não esperava era que, bem naquele momento, aquele garoto estranho a viu. E agora? Ele vai descobrir a identidade dela? Por que o sangue dela aumenta quando está próximo a ele?
(Atenção!! Daqui para frente pode conter spoiler.)

            Karin Maaka é uma vampira muito diferente dos demais, além de ser como já foi dito na sinopse, ela é uma garota muito doce, meiga e familiar. Por ter esses segredos e viver nessa condição, ela se sente muito solitária, pois tem que esconder sobre si para seus amigos e em sua casa não fica muito tempo com sua família, por eles viverem em horários diferentes.  A única pessoa que ela ainda pode contar é sua irmã mais nova, que ainda não despertou como vampira, então ainda come comida e acorda de manhã, embora não se adapte ao mundo dos humanos como ela. O problema que surgiu quando seu novo colega entrou na escola, logo foi descoberto. A verdade é que cada vampiro tem uma atração especial por um tipo de sangue e o seu colega tinha exatamente o tipo de sangue que a atraia, por isso seu sangue aumentava.

            O tipo de sangue que a atraia era de pessoas infelizes, ou seja, aquele garoto era tão infeliz que fazia o sangue dela aumentar, mas por que ele era tão infeliz? Era o que ela ficava se perguntado toda vez que o via. Karin pensou que desde que o evitasse, poderia conseguir controlar essa situação, só que além dele estar na mesma sala que a dela, para não facilitar nada, eles trabalhavam no mesmo lugar. Acabou que ambos estiveram em várias situações. Ela o evitando, ele descobrindo sobre sua descendência, mas, no final, ele disse que não contaria o segredo dela para ninguém.  Por isso, ele passou a ajudá-la e, para que ela pudesse ter uma vida sossegada ao lado do seu novo amigo e confidente, ela estava pensando em maneiras de o fazer feliz para que seu sangue não aumentasse, e foi assim que as coisas começaram a mudar.

            Kenta Usui é um estudante responsável, inteligente e um tanto maduro em algumas partes da vida e muito puro em outras. É um garoto lamentável, que sofreu muito desde criança por estar sempre sendo tratado como estorvo por sua avó e vendo sua mãe sendo maltratada por ela.  Agora ele e sua mãe estão começando uma vida nova nessa cidade, com intuito de serem livres de toda aquela situação miserável. Contudo, a situação deles não é muito boa. Sem dinheiro, vivendo em um apartamento velho,  ambos tem que trabalhar duro para se sustentar. Mesmo assim, não tem sido fácil, já que sua mãe não consegue parar em um emprego, o que a deixa angustiada e acaba o deixando também.


            Quando ele conheceu a Karin-chan, ele a achava uma garota estranha e que ela não gostava dele, o que incomodava e o fazia mais triste ainda, porque ele viveu a vida toda sendo rejeitado. Ver uma pessoa que mal o conhecia o rejeitando, era doloroso.  Só que logo tudo foi revelado (nem tudo). Ele compreendeu a situação dela  e exatamente por ele já ter vivido como viveu, ele decidiu guardar segredo e ajudá-la. Em troca disso, ela fazia marmitas no almoço dele e ele ficou muito feliz, o que era bom, pois assim controlava a sua infelicidade, embora não fosse o suficiente o tempo todo. Ele não fazia ideia o quanto ela sofria fisicamente por estar perto dele, mas de alguma forma, ambos passaram a cada dia se tornar a felicidade do outro, embora isso não apagasse o restante que fazia o Kenta-kun infeliz.

            Eu amo, amo esse dois. Eles começaram de um jeito atrapalhado, viraram amigos, demoraram a descobrir os sentimentos um pelo o outro. A primeira a dar conta foi a Karin, só que ela resolveu que, para felicidade dele, era melhor ela nunca contar, achando que seria suficiente poder apenas estar ao lado dele. Isso até uma garota estranha aparecer e ambos ficarem muito sociais. Não demorou muito, mas Kenta, que já desconfiava dos sentimentos dela, também logo se deu conta dos seus próprios. O que achei mais fascinante e fofo, foi que ele teve atitude, o que juro: não esperava de alguém tão puro quanto ele. Mesmo ela sendo uma vampira diferente, tem muitas coisas que podem impedir deles ficarem juntos, até mesmo o tempo.

            Henry Maaka e Carrera Maaka, os pais de Karin. No anime não conta a história deles, mas no mangá tem detalhes de como eles se casaram, que é muito fofa por sinal.  A preferência deles por sangue é bem peculiar. O pai gosta de sangue de pessoas orgulhosas e a mãe gosta de sangue de homens mentirosos.  Ambos amam muito seus filhos e se preocupam muito com a situação de Karin, que diferente deles, também não tem nenhum poder para poder se cuidar pela manhã. O senhor Henry é um verdadeiro pai coruja que morre de ciúmes da filha, muitas vezes ele fica se corroendo por não poder evitar a aproximação dela com o Kenta, mas fica grato por ele poder ajudá-la também.

            Anju Maaka, essa é a irmãzinha mais nova de Karin. É uma descendente de vampiro prodígio. Não despertou como vampira ainda, mas tem um poder em especial em que ela consegue invocar espíritos e o seu hobbie é pegar esses espíritos e colocar em suas bonecas. Ela tem um boneco favorito, Boogie, que ela anda sempre com ele. Além disso, ela consegue controlar morcegos e apagar a memória das pessoas. Ela acostumou seus morcegos com o sol para vigiar sua irmã, caso ela esteja correndo qualquer risco. Embora Anju também frequente a escola, só vai quando está nublado, pois não suporta muito o sol.


            Sua maior preocupação é que, quando despertar como vampira, não poderá mais  proteger sua irmã pelo dia. Ela tem um amor incondicional por Karin. Acho que mais que todos da casa, ela é quem mais fica preocupada e faria qualquer coisa pela felicidade de sua irmã. Por isso, ela resolveu  testar o Kenta, foi ela que permitiu com que ele descobrisse sobre a verdadeira identidade de sua irmã. E mesmo que fosse doloroso ver sua irmã sendo levada para longe por aquele garoto, desde que ele a fizesse feliz, ela suportaria. Um dos personagens que mais me cativou foi a Anju-chan. O amor dela pela irmã era a coisa mais linda que já vi entre duas pessoas que tem o mesmo sangue. Ela era uma criança de 13 anos e sua irmã tinha 16 anos, mas ela parecia muito mais adulta  e lógica, e embora não fosse de muitas palavras, mostrava seu amor com atos.

            Ren Maaka, o irmão mais velho de Karin. Sua preferência por sangue é de mulheres estressadas. Somente mulher, ele odeia ficar perto de homens. No anime conta uma história sobre ele ter sentido atração primeiro por sangue de um menino que parecia muito uma garota, por isso ele odeia homens. Entretanto, no mangá, não acontece nada disso, ele só não gosta mesmo de homens. Ele ama mulheres e as usa tanto para satisfazer sua sede quanto seus desejos sexuais, ou seja, ele é um verdadeiro playboy.


            Como irmão, da para ver que a Anju é o xodozinho dele, só que com a Karin, ele a trata muito diferente. Ele a trata com bastante indiferença, está sempre sendo rude e batendo nela. No começo, isso me incomodava bastante, até porque no anime ele  parecia ser mais cuidadoso com ela. Continuava dando os cascudos, mas era mais carinhoso e ciumento. No anime, parece que ele não da a mínima para ela e a trata como problema, só que o motivo dele ser indiferente com ela é por causa do trauma que ele tem da avó que é idêntica a Karin. Não é que ele não ame, meio que ele a evita um pouco por causa de seu trauma. No final do mangá, ele até diz a ela: "eu não bato em você porque não gosto de você". Sinceramente, não me agrada o jeito que ele é com a Karin.



            Elda Maaka é a avó  de Karin.  No mangá, conta a história de como ela conheceu seu esposo vampiro, que ela ama muito, mas no anime ele muda totalmente a história dela , acho que para justificar melhor o ódio dela por humanos. Eles inventam que ela foi apaixonada por um humano que a atraiu e por isso ela fica dizendo que humanos e vampiros não podem se relacionar. Entretanto, ela não suporta o Kenta, e fica tentando separar sua neta dele. No começo, esconderam a verdade sobre Karin para ela, só que ela acabou descobrindo. Ela não se da bem com sua nora por ciúmes mesmo,  mas tem um grande apreço por sua família. Ela é muito poderosa, até agora não entendi o tipo de sangue que ela gosta. Muitos vampiros a temem muito, o que e a maior carta da família Maaka.


            Fumio Usui é mãe do Kenta, finalmente  alguém da família dele.  Ela é uma mãe bem novinha, engravidou quando tinha 15 anos. Sua mãe enlouqueceu com isso e quis que ela abortasse e ela até pensava no começo em fazê-lo. Entretanto, quando ela viu a ultrassom, não conseguiu fazer isso com o seu bebê. Mesmo sua mãe não querendo, ela implorou para que poupasse a vida de seu filho. Depois disso, ela viveu no verdadeiro inferno, apanhava todos os dias, era humilhada pela sua severa mãe. E o pai do bebê simplesmente sumiu para aumentar ainda mais sua infelicidade.


            Ela fugiu de casa com seu filho, pois ela podia suportar ser maltratada por sua mãe, mas ver ela fazendo o mesmo com seu filho, ela não suportava. Então fugiu em busca de viver feliz em uma nova cidade. Só que sua mãe colocava detetives atrás deles para os procurar, no anime não conta basicamente nada desses detalhes. A senhora Fumio não consegue parar em um emprego, o que a deixa muito infeliz, tudo porque, por alguma razão, ela acaba sendo assediada pelos homens em seus trabalhos e outras por ser um pouco desastrada. Com o tempo, no mangá, muitas coisas são esclarecidas sobre o pai do Kenta-kun, que não os deixou porque quis, e ela encontra um emprego em uma escola católica de meninas, sendo assim, conseguiu manter o emprego. 

            No anime, os vilões são os caçadores que estão atrás da família Maaka, até mesmo um dos caçadores estuda na escola da Karin e acaba apaixonado por ela.  Porém, no  mangá, os vilões são os próprios vampiros, que  sabem tudo sobre o segredo do tipo de vampiro que a Karin é, e então eles vivem a buscar por muitos séculos por uma vampira como ela para seus próprios planos.  Então, eles passam a investigar a família Maaka, mandando uma meio-vampira para a cidade, Tachibana. Ela é filha de vampira com humano, totalmente exilada dos demais vampiros que odeiam o tipo dela. Ela pode viver durante o dia, e apenas uma vez ao mês tem necessidade de sugar sangue e se esconder do sol.
            No começo, fiquei bem irritada com ela, mas ela que colocou lenha na fogueira para o Kenta e a Karin definitivamente se confessarem. Por não saber o que os outros vampiros estavam procurando, ela não disse nada sobre a Karin para eles, mas depois, mesmo a Karin sendo tão boa com ela e a família dela, tendo a deixado morar no território deles, ela os traiu. Fiquei com muita raiva, foi muito triste ver nossa Chibizinha mais kawaii do mundo sofrendo tanto, e saber ainda mais qual seria o seu destino era muito mais doloroso.

            Sinceramente, o final desse mangá foi lindo demais  e triste na mesma medida, só que foi maravilhoso mesmo assim. O final do anime foi estranho e totalmente diferente do mangá. Por mais que seja maravilhoso ver os personagens que gostamos ganhando vida, tenho que dizer que o mangá é MIL vez melhor que o anime,  principalmente pela diferença de como a história segue. Só que o anime não é ruim, mas acredito que nem todo mundo irá gostar dele, mas já acho que todo mundo gostaria do mangá. E aí? Já leram? O que acharam?

Gênero:  Comedia, Drama, Sobrenatural
Autor: Yuna Kagesaki

Anime:   24 episódio 


Mangá:   14 Volumes 

0 comentário