Photoshoots Naru e Sasuke


Em maio tivemos o primeiro CMV do ano em parceria com a Kohana de NaruSasu (Naru e Sasuke), com a música Wishing da cantora Nishino Kana (clique aqui). Agora estamos trazendo a fotos desses dois pombinhos tiradas pela Jeny que interpretou a Sakura no CMV e ainda nos ajudou com as filmagens. Como esse é o mês dos namorados, para finalizar Junho com chave de ouro achamos que era a ocasião perfeita para trazer essas fotinhas desse casal mais fofo.













E não pode falta a participação de Jenny como Sakura.



Espero que vocês tenham gostado, se gostam de cosplay veja todos os nosso projetos clicando na abinha de cosplay lá no topo. Obrigada até a próxima.

Kissu

0 comentário

Meu Romance Angelical – Jogo GENIUS


            Ultimamente, tenho falado muito por aqui sobre esses games otomes de aplicativo. Já venho falando, desde o ano passado, do “Is it love?”. Conheçam lendo a postagem (clique aqui).  Esse ano, resolvi falar de cada jogo da empresa GENIUS, antes que eu não possa mais jogá-los, por não estarem mais disponíveis para app story. Então, tenho medo de que, conforme as atualizações no celular, um dia, ele não rode mais, por isso decidi que todo mês irei falar de um. Em abril, falei sobre o “Meu príncipe Elemental” (clique aqui), que foi o meu primeiro. Aconselho a ler essa postagem, porque lá explica como funciona o jogo. Em maio, falei sobre o “Alice inverso” (clique aqui), gostei muito desse. O jogo da vez é um romance angelical. Como irá se desenvolver um romance entre humana e anjo? Estão curiosos? Eu estou!!!
            A história começa com Haruna (MD), que está tendo o mesmo sonho, que tinha desde criança, mais um vez. Desse sonho, tudo que ela consegue lembrar é de uma doce voz que acalma seu coração e de um rosário que continha uma pedra vermelha. Talvez por sempre ter esse sonho, ela virou colecionadora de pedras. Embora ela já tenha reunido todos os tons que tem achado de pedras vermelhas, a cor da pedra do seu sonho é o único que não tem encontrado. Um dia, quando caminhava na rua, alguém esbarrou na garota ao ponto dela cair ao chão. Quando a pessoa que esbarrou se desculpa, a voz parece tão nostálgica, que a garota olha imediatamente para ver quem é, no entanto, assustadoramente, não havia mais ninguém. Atordoada, tentando achar essa pessoa que sumiu feito vento, deixando apenas uma pena branca para trás, a garota acha uma loja de especiarias muito diferente, que chama-lhe a atenção por causa da pedra que parecia exatamente com a dos seus sonhos.


            Quando entra na loja, pede para ver a pedra. Ao tocar, ela escuta um barulho e, quando da por si, está caída em um jardim repleto de flores. Então, acaba sendo atacada por um homem de capuz preto. Temendo pela sua vida, sem força qualquer para se defender, achando que ali seria seu fim, sem ao menos entender o porquê, a garota é salva por um rapaz de corpo forte que, por mais insano que pareça, tem lindas asas. Depois que tudo se acalma, o rapaz explica que a garota está no céu, onde os anjos de Deus habitam. Após conhecer quatro anjos, eles explicam que ela foi escolhida para participar de uma cerimônia que ajudará a derrotar, de uma vez por todas, Lúcifer, que quer destruir a terra dos humanos e o mundo celeste. Enquanto eles preparam tudo para que isso aconteça, pedem para que ela permaneça no mundo celeste, no entanto, por estar sendo caçada pelos seguidores de Lúcifer, que já tem uma ideia de seus planos, a garota tem que escolher um dos anjos que será o principal para protegê-la de perto o tempo todo, até o fim de sua estadia. E agora? Ela aceitará sua missão de salvar o seu mundo e o mundo celeste?


            Minael é um anjo celestial que tem 25 anos. Ele é calmo, inteligente e tem habilidades incombatíveis. Apesar de ter uma aparência doce e meiga, ele pode muito bem ser grosseiro com quem ele não gosta, mas tem um bom coração e, por isso, é sempre muito atencioso, no fim das contas. Ele tem um irmão mais velho, que ele respeita, admira e faria qualquer coisa por ele. O seu passado é um tanto misterioso, mesmo assim, ele faz parte dos arcanjos mais fortes, que lutam pela vontade de Deus. Entre os outros integrantes, ele não se da muito bem com Ray, por isso estão sempre implicando um com o outro. Porém, ainda assim, eles reconhecem a força um do outro.  Eu gostei muito da aparência de Minael. Ele é meu estilo. Sinceramente, fiquei apaixonada. Só achei que as ações dele poderiam ter causado mais impacto.


             Quando ele foi escolhido pela Haruna, pareceu bem satisfeito. Foi muito atencioso e cauteloso. A jovem garota, desde que ouviu a voz dele, questionou se não era ele que ela sempre via em seus sonhos, desde criança, mas ele negou muitas vezes. A Haruna tinha certeza e não entendia por que ele negava tão fervorosamente. Minael escolheu a Haruna para essa missão, mas ele confirma que foi o único contato que teve com ela. No desenvolvimento, temendo pela vida dela, ele pergunta se não quer que a leve de volta para o mundo humano, o que mostra que ele havia se apegado a ela fortemente. Claro que a garota nega, afinal, outra pessoa teria que ser escolhida e, se ela fosse, como saberia se voltaria a vê-lo? Infelizmente, achei o romance bem fraquinho entre os dois, mas achei a atitude final dele admirável.

            Ray é um anjo celestial de 22 anos. Ele é egocêntrico, otimista e despreocupado. Ele e órfão, seus pais morreram em uma guerra celeste. Por muitas razões, ele é um tanto infeliz com seu sangue, ou seja, não gosta de ser um anjo. Ele diz que anjos são arrogantes por causa de seus poderes, mas, sem eles, não são capazes de fazer nada. Há muito tempo, ele decidiu que apenas combateria o inimigo com seu poder físico e não usaria seus poderes mágicos. Então, assim, ele fica mais próximo de se sentir humano, a raça que ele tanto ama e admira. Ray ama tanto os humanos, que está sempre pesquisando tudo a respeito e estava muito ansioso com a chegada de um humano no mundo celestial. Com seus companheiros, muitas vezes ele era brigão e implicante, em particular com Minael.


            Quando  Haruna chega, ele é o primeiro a dar boas vindas e salvá-la de ser atacada. Ele ficou muito empolgado quando ela o escolheu. Tudo nela o fascinava, então ele queria tocá-la, o que fazia a garota vê-lo como um verdadeiro pervertido. A Haruna não podia baixar a guarda, que ele acabava abraçando-a, querendo roubar um beijo. A menina acabou achando que ele era só um playboy, já que todos faziam entender que seus atos não eram só por ser ela, mas que poderia ser qualquer humano, que ele reagiria do mesmo jeito. Acredito que, ao menos um pouco, ela ficou desapontada. Ray levou Haruna a muitos lugares e perguntou muitas coisas sobre o mundo que ele desconhece. Eu gostei bastante da interação deles, mas achei que a declaração dele foi muito xoxa, esperava mais.


            Garyl é um anjo celestial de 32 anos, um verdadeiro líder que esquematiza estratégias e organiza tudo para que ele e os demais colegas possam ajudar a Deus. Um verdadeiro adorador de Deus. Ele é maduro, bondoso e gentil. Sabe muito bem como tratar uma mulher, nos fazendo entender que tem muita experiência. Será que ele é um playboy, no fim das contas? Ele é encantador, não é de se admirar se houver um monte de anjos do sexo feminino caindo aos seus pés. Como líder, ele trata a todos com muito respeito e carinho, feito um irmão mais velho. Em particular, cuida muito bem de seu discípulo, Jena. Ele vem de uma família distinta, que tem servido a Deus na linha de frente há séculos, por isso seguiu o mesmo caminho, sem pensar muito no que realmente queria fazer. Às vezes, se pega pesando nisso e fica meio para baixo, pensando que talvez não estivesse fazendo esse trabalho do fundo do coração, apesar de amar tanto a Deus.


            Uma vez que ele é o envolvido em trazer Haruna para esse mundo, está sempre se culpando por envolver um humano tão frágil em uma guerra da qual eles é que tinham que protegê-los.  Ao ser escolhido pela menina, ele ficou muito feliz por poder protegê-la de tão perto. Antes de sua chegada, ele estudou muito sobre os humanos, para fazê-la se sentir o mais confortável possível no mundo celestial. Porém, algumas coisas ele entendeu errado, como mimá-la de forma tão íntima, que só pode acontecer mesmo entre casais. O que mais amei em Garyl é o quanto ele é gentil e cavaleiro, como ele não se mede para dizer o que pensa ou sente. Teve muitos momentos funnies logo no começo, nos fazendo shippar totalmente esses dois. Várias vezes ele disse que, se algo desse errado e ela não pudesse voltar, queria que ela permanecesse ao lado dele. Ele estava sempre dizendo palavras doces, que eram de encher o coração. Nossa, me apaixonei. Ele é muito amorzinho. O final foi incrível, diferentemente dos dois primeiros.


            Nao é um anjo celestial de 20 anos. Ele é um comandante muito habilidoso e confiável. Apesar de ser muito jovem, é visto como herói, por ter levado à vitória várias batalhas. Ele é arrogante, tem um temperamento quente-frio e perspicaz. Por conviver entre homens, ele pode ser bem grosseiro diante das mulheres, por não medir sua sinceridade, sendo um tanto inconveniente. Apesar de parecer que ele não calcula muito bem as coisas antes de agir, a verdade é que ele não arrisca sem ter certeza do que irá ganhar. Nao é muito confiante em suas habilidades. Está sempre tomando a frente quando o assunto é batalha e seus soldados realmente confiam, em sua liderança, de olhos fechados. O jovem anjo se da bem com todos e se preocupa muito com cada um, tanto que, em uma batalha em que muitos estavam morrendo, ele demonstrou realmente estar sofrendo por não poder fazer nada, ao ponto de chorar, mostrando seu lado fofo.


            Quando foi escolhido pela Haruna, foi bem grosseiro. Após carregá-la, falou que ela era muito pesada. Vocês sabem bem que isso é um taboo, né? Dizer que uma garota está pesada é um verdadeiro insulto. A garota ficou bem brava com tamanha grosseria, mas não parou por aí, pois várias vezes ele disse coisas ofensivas. Dava para notar que, realmente, ele não sabia tratar uma mulher. Ele não fazia por mal. Apesar da pobre Haruna estar irritada com essas atitudes, o jovem mostrou outro lado por trás de tanta arrogância. A garota passou a notar que, apesar dele ser assim, não era um homem mau. Como soldado e homem, ele estava dando duro para protegê-la de todo perigo. Quando eles saíram para ir até Éden, sabendo que, à frente, entrariam em batalha, para animar seus homens, ele até apelidou Haruna de deusa da vitória e disse que, com ela, eles com certeza venceriam.


            Além desses personagens maravilhosos, aparecem outros, mas os que têm forma são apenas mais dois, um dos arcanjos e o vilão: Jena é o mais novo da equipe. Ele é muito poderoso, mas ainda está em treinamento. Admira muito Garyl, a quem tem como mestre. Ele é quem sempre faz as comidas para Haruna. Às vezes, ele pode ser um pouco grosseiro, mas deve ser por causa da idade; Lúcifer odeia os humanos e está despontado com Deus, por ele dar tanta importância para seres tão medíocres, que só fazem coisas erradas, não respeitam a Deus e, ainda assim, são sempre perdoados. Ele não aceita, por isso resolveu entrar em uma guerra para destruir os humanos. 
            Gostei bastante desse jogo, porque eles falam de forma tão linda sobre o amor de Deus, que às vezes me deixava de boca aberta. Achei muito linda a história. Eles também enfatizaram que Deus queria muito perdoar Lúcifer, mas, infelizmente, com essas atitudes impensáveis, ele teria que agir de acordo com a punição, afinal, um pai tem que corrigir seus filhos se estiverem agindo mal. A rota que mais gostei, em questão de romance, é a com Garyl. Ele foi muito fofo gentil, cavaleiro e tivemos mais tempos românticos. Então é isso. Espero que gostem.

2 comentários

My princess (K-drama)


        
   
       Assisti a esse dorama, aproximadamente, há uns 6 anos, bem no começo, quando  descobri esse novo horizonte dos doramas. Como esperado, gostei muito. Não foi uma história que me marcou, algo que, se eu ver uma palinha, irá me dar uma vontade louca de assistir, mas é, com toda a certeza, um dorama que vale muito a pena assistir.  Ele foi lançando em 2011, com um elenco cheio de atores que eu não conhecia e, mesmo depois de tantos anos, não recordo de ter os visto em algum outro enredo que tenha assistido. A produção é de ótima qualidade, mas dá para perceber, facilmente, que não é atual. A história não é nada original. Já vi muitos roteiros parecidos, mas, ainda assim, é muito interessante.
A história envolve uma jovem estudante universitária, órfã, que um dia descobre que é uma princesa, bisneta do último imperador da dinastia Joseon. O presidente do grupo Daehan foi um dos últimos servos a servir com lealdade ao imperador. As suas riquezas, ele conseguiu através de tesouros que ele adquiriu quando o servia. Depois de idoso, ele passou a sentir desespero para devolver toda essa riqueza ao único e sumido filho do imperador. Apesar do infortúnio de não conseguir dar isso ao príncipe, depois de muitos anos procurando, acabou encontrando a princesa que havia sido adotada por uma família de classe média. Estava determinado a devolver todas as suas riquezas para a monarquia e os levantar novamente. No entanto, seu neto é completamente contra, afinal, é sua herança que está em jogo. Ele não está disposto a aceitar de jeito algum uma loucura como essa. Então, está decidido a se livrar da princesa. E agora? A jovem aceitará viver como princesa? Ela conseguirá vencer todos os inimigos que estão se levantando contra ela? Como lidará com o neto do presidente, que insiste em fazer sua vida impossível?


Lee Seol é uma jovem enérgica, esperta e simples. Ela não é muito inteligente, no entanto, tem carisma e consegue ganhar a vida e as pessoas dessa forma. É filha adotada de uma família de classe média, que tem uma pensão, no entanto, seu pai faleceu há um tempo e, agora, é apenas ela, a mãe e a irmã, que também é adotiva. Apesar da personalidade horrível de sua irmã, ela a ama muito.  Lee Seol não tem muita lembrança sobre o passado. Ela acredita, ainda, que seu pai biológico, assim como prometeu um dia, irá buscá-la. Quando descobre sua origem, ela não fica tão animada, por incrível que pareça, mas fica ansiosa por acreditar que, dessa vez, será capaz de encontrar seu pai. No entanto, as notícias vêm como pedras caindo sobre sua cabeça. Ainda assim, ela não é capaz de aceitar o fato de que seu pai, que tanto esperou, nunca irá voltar. Apesar de amar dinheiro, essa é uma riqueza que ela não quer aceitar, afinal, onde eles estavam quando ela e seu pai estavam passando necessidade? Contudo, uma vez que o país passou a ter conhecimento de sua existência e várias notícias ruins sobre seu pai passaram a sair, ela não viu escolha a não ser aceitar virar princesa, para limpar o nome de seu pai.


Park Hae Young é ministro da cultura e neto do presidente do grupo Daehan. É um homem bonito, sagaz e atencioso. É apaixonado por sua noiva, Oh Yoon Joo, no entanto, eles não parecessem ter um relacionamento, de fato. Quando ficou sabendo que seu avô queria dar todos os bens para o país, para levantar novamente a monarquia, ficou irado e inconsolável. Então, ele passou a querer fazer de tudo para se livrar da princesa. Claro que de uma maneira saudável, como enviá-la para fora do país, o que ele tentou muitas vezes, no entanto, todas falharam. Quando ela aceitou virar princesa, tudo dele foi tomado por seu avô, então acabou conseguindo um emprego dentro do castelo, como instrutor da princesa, o que seria perfeito para ele conseguir derrubá-la, de alguma forma. Com tudo, nem ele esperava que a jovem Lee Seol o conquistaria com seu jeito único de ser, o que passou a deixar sua noiva um tanto mais agressiva com suas armações para derrubar a princesa. No desenvolvimento, ele descobre que seu pai foi proibido de entrar no país, por seu avô, que descobriu que há tempos ele vinha oprimindo e ameaçando príncipe e sua pequena filha, o que pode ter levado o infortúnio à vida da garota. No começo, ele era bem hostil e arrogante, mas depois de ter caído nas graças da princesa, ele passou a ficar fofo e adorável, apesar de não poder demonstrar seus sentimentos abertamente a ela.


  Os dois se conheceram por acaso, se envolveram em várias situações juntos, antes de saber que um seria inimigo do outro no futuro. Quando o Park Hae Young descobriu que aquela garota atrapalhada era a princesa, ficou um tanto chocado, afinal, não havia nem um pingo de nobreza no modo dela ser. Ele a convenceu que seria melhor, para ela, ir embora por um tempo do país, mas não deu certo. Apesar dele ficar querendo se livrar dela, por alguma razão, ele não conseguia deixá-la sozinha. Foi assim que, pouco a pouco, seu coração começou a mudar. Então, ao invés de prejudicá-la, passou a ajudá-la, mesmo que isso fosse contra sua noiva. Logo, ele viu que estava apaixonado por Lee Seol, mas ele não poderia aceitar seus sentimentos, pois se ela realmente quisesse ser princesa, ele nunca poderia ficar com ela. Quanto a jovem princesa, também foi desenvolvendo sentimentos por ele, afinal, apesar dele dizer ser seu inimigo proclamado, acabava que Sr. P. a protegia, a tratava com gentileza e ela via que, através de toda aquela hostilidade, ele era uma pessoa muito boa. Ela não está disposta a largar seu posto. E agora? Como eles irão vencer essa rivalidade e status para ficarem juntos?

Oh Yoon Joo é a diretora do museu dos tesouros antigos da monarquia e quem coordena certas coisas dentro do castelo, relacionadas à princesa. É noiva de Park Hae Young, casamento arranjando entre sua família, no entanto, não são completamente imunes aos sentimentos pelo outro. Desde o começo, ela foi totalmente contra ao levantamento da monarquia e passou a odiar muito a princesa Lee Seol. Uma mulher ambiciosa, pulso de ferro e arrogante. Ela tem um caso com o professor de história, Nam Jung Woo, um relacionamento que eles têm desde a faculdade. Sim, ela tinha um relacionamento com ambos os homens e ainda acha que é dona dos dois. A diretora Oh acabou traindo os ideais do professor Nam, o que o levou a ficar desapontando com ela.  Oh Yoon Joo detesta Lee Seol e quer tirá-la de campo de todo o jeito, não só por ela ter roubado a atenção dos seus dois homens, mas por ela não querer que toda a herança seja tomada de Park e querer que a história fique no passado. Essa mulher gananciosa fez todo tipo de coisas terríveis. Pensa em uma mulher detestável!


Nam Jung Woo é o professor universitário de história. Ele ama sua profissão. É professor admirado e crush de Lee Seol. Quando descobriu que sua aluna fazia parte da história que ele tanto ama, ficou maravilhado e ficou disposto a ajudá-la, não importasse o que. É um homem apaixonado pela história, honesto e carismático. Ele amava muito a Oh Yoon Joo e aceitou tudo dela por um bom tempo, até que, um dia, ela praticamente passou a perna nele em uma descoberta que o magoou muito. Nam estava disposto a terminar tudo, mas ele realmente a amava muito. Mesmo assim, se ela estava tentando prejudicar parte da história com sua ganância, tentando se livrar da princesa, ele iria contra ela, não importasse se isso a machucaria. Professor Nam é uma pessoa maravilhosa. Graças a ele, muitas coisas deram certo. Ele foi o segundo a ver a princesa com bons olhos e torcer muito para que o país a aceitasse.
Esse dorama é muito bom. Passei muita raiva, porque não vejo o porquê odiar tanto a pobre Lee Seol. Ela não tem culpa de ter nascido com sangue real e, do nada, alguém vir falar que ela era princesa. Ela até mesmo perdeu seu pai por causa disso. Indico muito esse dorama, porque ele tem um enredo muito bom, uma história cativante. Não sei vocês, mas adoro ver aquele casal de inimigos que acaba gostando um do outro, o desenvolvimento é tão empolgante! Então é isso. Assistam, pois é muito bom. INDICADÍSSIMO!!!


Gênero:   Comedia romantica

Dorama : 16 episódios  

1 comentário

Reimei no Arcana


 Há mais ou menos uns seis anos, encontrei esse mangá e simplesmente me apaixonei. Naquela época, os capítulos estavam em lançamento, então, lentamente, estava acompanhando cada momento. Quando finalmente chegou ao fim, sinceramente, fiquei triste. Queria que o desenvolvimento fosse bem mais amplo, no entanto, foi suficiente para se tornar um dos meus favoritos. Esse mangá foi lançado no Japão em 2003, tem uma ilustração muito linda e uma história maravilhosa e bem diferente. Sou simplesmente apaixonada pelos personagens. Acredito que foi a partir desse enredo que começou a febre das heroínas de cabelo vermelho. Digo isso porque, a partir daqui, lançaram várias histórias em que as heroínas têm cabelos vermelhos. Por sinal, são histórias incríveis, que também conquistaram meu coração.


A história envolve uma princesa de cabelos vermelhos, do reino de Senan, que é obrigada a se casar com o segundo príncipe do reino inimigo, para que eles possam traçar uma suposta paz entre os dois reinos. Então, por causa do casamento, ela e seu servo vão viver em Belquat, onde conhece seu arrogante marido, que, logo de cara, a trata com desprezo e ainda a discrimina por causa da cor deu seu cabelo, já que, entre a realeza, apenas era visto como alto valor ter cabelos negros. Durante esses dias sendo sempre tratada com indiferença por todos no castelo, seu único companheiro era seu servo, que tinha a origem de um Ajin, que são metade humano e meio animal, mais conhecidos como subpessoas e que, geralmente, são desprezados, maltratados e obrigados a trabalhar como escravos. Nesses tempos, apenas esperando o dia em que seria, a qualquer hora, descartada e, na pior hipótese, morta por estar em um ambiente em que a cada esquina só havia inimigos, acaba descobrindo que possuía um poder chamado Arkana do tempo, que a permite ver o presente e o futuro. Em meio a todas essas mudanças em sua vida, logo ela se vê envolvida em um triângulo amoroso com seu esposo e seu servo e, ainda mais, na luta entre Belquat e Senan. O que ela fará, uma vez que consegue prever o futuro? Que tipo de preço ela terá que pagar por carrega tal sabedoria? Qual dos dois homens ela irá escolher no final?


“Sou apenas um sacrifício. Me pergunto quando este sangue será derramado.”
Princesa Nakaba, apesar de carregar esse honroso título, na verdade é uma princesa renegada. Desde criança, viveu dentro de um simples quarto em uma torre, de onde não tinha permissão para sair. Tudo isso para esconder a verdade que nem ela mesma sabia ao certo, só sabia que era a vergonha da família real e que seus lindos cabelos vermelhos eram prova de tudo isso. Tudo que ela sabe é que sua mãe se apaixonou por um plebeu e fugiu. Depois de muitos anos, seus pais foram mortos e o Loki, seu servo, a levou de volta ao castelo, como último pedido deixado por sua mãe. No entanto, não foi recebida de braços abertos pelo seu avô, ao contrário, acabou sendo desprezada e trancada em uma torre, onde mal sequer era alimentada. Tudo o que ela conhecia e via era através de livros ou de sua pequena janela. Quando foi decidido que iria ser casada com o príncipe do reino inimigo, ela sabia que era apena um sacrifício e que, a qualquer momento, provavelmente, acabaria morrendo por lá e ninguém se importaria com essa perda. Apesar de tudo que Nakaba passou desde criança, sua personalidade não é de uma pobre coitada. Na verdade, é uma mulher destemida, inteligente, justa e bondosa.


Mesmo que as pessoas a tratassem com desprezo, ela não abaixava a cabeça, mas olhava orgulhosamente nos olhos das pessoas e demonstrava que não estava sendo abalada. Quando conheceu seu esposo, Cesar, sua primeira impressão sobre ele foi péssima e, assim como ele mostrava odiá-la, Nakaba também o odiava. Sendo tratada como objeto, algo que definitivamente não estava disposta a aceitar, Nakaba não ia se sujeitar a ser submissa. Depois de muito tempo de convivência, seu esposo passou, de alguma forma, a ser mais gentil, mas Nakaba não estava disposta a aceitar isso, afinal, não queria ser enganada e traída à beira do caminho. Então, o feitiço caiu contra o feiticeiro. Agora, quem estava sendo desprezado não era mais ela, mas seu esposo. Porém, Nakaba é uma boa pessoa e não demorou muito para que ela desse uma chance para conhecê-lo melhor e, com isso, seu servo Loki, que sempre a protegeu e fez tudo por ela desde quando eles ainda eram crianças, passou a não gostar dessa aproximação, deixando isso claro. Nakaba não sabia o que fazer a respeito dos seus sentimentos por ambos.


Príncipe Cesar, ou Caesar (não sabemos a forma correta), é o segundo príncipe do reino de Belquat. Ele herdou os lindos cabelos negros, o que elevou seu prestígio, até mesmo diante de seu meio irmão, que nasceu com cabelos loiros e é o príncipe herdeiro. Cesar, desde criança, amava muito seu irmão e nunca quis tomar a sua posição, no entanto, por causa de seus cabelos e por sua mãe ter status de nobreza, as pessoas cogitavam que ele fosse o herdeiro. Com isso, seu irmão passou a desprezá-lo e, para ver se conseguia conquistar a confiança de seu irmão, ele passou a tentar se diminuir em tudo. Mesmo assim, seu amado irmão continuou ignorando-o. Então, depois de adulto, ele simplesmente passou a provocá-lo o tempo todo, tomando a frente de tudo, até mesmo conquistando as mulheres que ele tinha interesse. Cesar é um rapaz lindo, arrogante, inteligente e imaturo. Ele despreza e odeia os Ajin. Quando conheceu sua esposa, ele a tratou com muito desprezo. Para ele, Nakaba era apenas um objeto que ele iria usar e depois se livrar.


“Essa mulher enriquece meu mundo. O que eu devo fazer para fazer com que esta mulher permaneça ao meu lado?”
            No entanto, ele não fazia ideia de que o seu desprezo, um dia, viraria admiração. No começo, ele sempre puxava os cabelos de Nakaba e dizia o quanto ela era feia, por causa daquela cor de cabelo desagradável. Quanto mais ela demonstrava ignorar suas ofensas, mais ele queria provocá-la. Cesar pode ser bem possessivo, mesmo com os brinquedos que ele despreza. Uma vez que observou o relacionamento de sua esposa e o seu servo, Ajin, ficou meio enciumado. Nessas tentativas de fazê-la ter mais atenção nele do que em seu servo, ele passou a ver como ela era uma mulher incrível e logo se viu apaixonado pela princesa que ele tanto desprezava e que o fazia ver a vida de modo diferente. Não, mais que isso, ela preenchia todo o vazio que há tempos ele carregava dentro de si. Por isso, ele queria fazer de tudo para mantê-la para sempre ao seu lado. Então, ele fez de tudo para conquistá-la, mostrando ser um cara muito fofo. Até mesmo cortou seus lindos cabelos longos, para dizer a todos que estavam desprezando o lindo cabelo vermelho de sua amada que a cor do cabelo não importava. Ele estava diante de uma situação um tanto intensa, afinal, seu rival no amor era alguém de extrema importância na vida de sua amada. Mesmo assim, ele não iria desistir e faria qualquer coisa para mantê-la ao seu lado, feliz, mesmo lidando com o desprezo que sentia pelo Ajin e enfrentando seu próprio reino precioso.


Loki é um Ajin, uma subpessoa, que protege e cuida da Nakaba, desde quando ela ainda vivia com seus pais. Ele era um adolescente e ela uma criança.  Ele a levou para o castelo e, apesar de ser uma situação limitada, ele trabalhou por baixo dos panos para mantê-la segura. Quando ela casou, Loki ficou constantemente irritando com a forma que ela estava sendo tratada, não só pelas pessoas que viviam no castelo de Belquat, mas pelo seu próprio esposo. Assim como aquelas pessoas odiavam e desprezavam os Ajin, Loki também os odiava, no entanto, Nakaba era a única pessoa que ele se importava de fato. Estava disposto a dar sua vida, se fosse necessário, para seu bem. Quando tanto o príncipe quanto a princesa pareciam estar ficando mais juntos, ele passou a ficar realmente alerta. De certa forma, começou a trabalhar com o psicológico de Nakaba, usando o fato da devoção e da importância dele na vida dela, para não permitir que ela desenvolvesse sentimentos por Cesar.


Então, no desenvolvimento da história, descobrimos que o fato de Loki odiar tanto os Belquat era porque o rei mandou dizimar a sua tribo, onde ele e Nakaba viviam. Loki tinha seus próprios planos a cumprir ali, por isso ele não poderia deixar que sua amada princesa se envolvesse e se importasse com aquelas pessoas. Havia um forte laço entre Nakaba e Loki. Sempre que Cesar questionava a aproximação deles, ela dizia que o Loki era especial. A garota nunca havia percebido os sentimentos de seu servo. Nakaba não era só a princesa que ele jurou lealdade, era notável que seus sentimentos iam além de servo e mestre. Ele não sabia o que fazer com seus sentimentos, ainda mais vê-la sendo levada por outro homem. No final, Loki faz algo extremamente inesperado e coisas realmente chocantes são reveladas sobre ele.
Muitos personagens realmente interessantes e importantes aparecem, mas resolvi falar apenas dos três mais importantes dessa história maravilhosa. Você já desejou que pudesse prever o futuro?  Eu já. Porém, ao ler essa história, podemos sentir que ter tal poder não é bem uma benção. Mudar o futuro exige um preço que pode ser caro demais. Eu simplesmente amei essa história de mais uma princesa que mostrou ter muita garra, digna de muita admiração e respeito. Um casal que, apesar de suas diferenças, passou a amar tanto um ao outro. Sério, sou apaixonada pelo o Loki, mas Cesar e Nakaba são maravilhosos juntos. Uma pena não haver anime desse enredo magnífico. Superindico. É uma história que merecia ser bem longa. Quando começarem a ler, vão gostar tanto, que vão devorar. INDICADÍSSIMO!!!
Gênero:   Romance, Shoujo, Aventura, Drama, Fantasia, Sobrenatural, Tragedia
Autor: Toma Rei

Mangá: 13 Volumes

Onde ler : Redisu (Download)
0 comentário

Natsuyuki rendez-vous


          
 
       Esse mangá tem um enredo maravilhoso e é cheio de emoções, mais tristes do que felizes. Quando amamos muito alguém, nos casamos, passamos a viver dia após dia juntos e nos acostumamos com a presença, com o cheiro e as manias daquela pessoa, fica mais difícil imaginar nossas vidas sem ela. Quanta tristeza e solidão sentiremos se, por uma fatalidade da vida, essa pessoa desaparecesse? A morte é algo que tememos, mas, para ser sincera, perder alguém que se ama para a morte é muito mais assustador do que morrer, pelo menos é o que sinto. Quem sofre mais? Quem fica? Quem vai? A pessoa que fica, de alguma forma, um dia, tem que seguir e começar a viver. Irá se apaixonar mais uma vez e, com isso, ter mais alguém que tema perder. Na história que está prestes a ver, notamos todos esses lados. 


            O anime foi baseado no mangá, que foi lançado em 2009. A ilustração é muito bonita. Como esperado, é mais detalhado, mas não muda muita coisa em relação ao anime, não. Não consegui lê-lo todo, infelizmente, porque não estava concluído e estava extremamente difícil carregar as páginas. O anime foi lançando em 2012, um pouco depois da conclusão do mangá. A qualidade é ótima. Acho os personagens muito bonitos, inclusive, um dos personagens ficou muito mais bonito na arte da animação do que no mangá. Achei as dublagens muito agradáveis, dão uma ideia muito boa de cada personagem. Agora, o que eu mais amei, sem dúvida, foi a trilha sonora. Tanto a música de abertura, que é a “See you”, do cantor Yuya Matsushita, e a de encerramento, “Anata ni Deawanakereba”, da cantora Aimer, são muito perfeitas. Nossa! Dava uma vontade louca de chorar toda vez que as escutava, porque caem muito bem com os sentimentos dos personagens. Essas canções já estiveram em minhas playlists por aqui.


A história envolve um jovem rapaz que, um dia, se apaixona por uma mulher que é dona de uma floricultura. Por dias, tudo que ele sabia fazer era comprar alguma plantinha para que, por um breve momento, mesmo como cliente, pudesse se sentir mais próximo a ela. No entanto, um dia, surge uma grande oportunidade de trabalhar por meio período na floricultura, uma ótima ocasião para poder se aproximar de sua amada. Tudo estava indo bem. Apesar dele não ter feito nem um avanço significativo, só de estar mais perto e saber que ela não era comprometida com ninguém, já era motivo de felicidade plena. Um dia, quando ele sobe ao apartamento dela para ajudar organizar a festa de despedida de uma funcionária, acaba se deparando com um homem só de cueca na entrada. Se sentindo totalmente ofendido com a forma indiscreta dela dar um fora nele, antes mesmo de ter tentado algo, ele vai embora. À noite, quando a festa começou, o jovem estava com mil pensamentos sobre querer sair do trabalho, já que seu único motivo era conseguir se aproximar dela, mas, se ela já era comprometida, não tinha por que continuar. 


Quando ele vai à varanda para fumar e ficar perdido em seus pensamentos depressivos, acaba encontrando o homem que havia visto mais cedo.  Essa pessoa, que era tão pálido e magro, o encarou e fez várias perguntas estranhas e invasivas. Então, revela que, na verdade, ele é o falecido marido e está ao lado dela, dessa forma, desde que morreu. O jovem não sabia como processar tal coisa. Nos primeiro momentos, ele achou que só estava sendo zoado, então não conseguiu sentir medo ou qualquer coisa, mesmo quando teve certeza de que era verdade. Um pedaço dele estava feliz em saber que, na verdade, sua amada não era comprometida com ninguém, no entanto, era viúva e o falecido a rondava. Sentindo-se livre para poder, finalmente, conquistar o coração solitário e sofrido de sua chefe, ele passa a dar duro em suas investidas, declarando guerra ao falecido marido ciumento, que não estava disposto a permitir isso de jeito algum. E agora? O jovem conseguirá conquistá-la e ganhar do marido fantasma?


Ryuusuke Hazuki é um jovem universitário de 22 anos que vive sozinho. Ele é bonito, tem olhos meio sérios, é caprichoso e cuidadoso. Pode ser um pouco covarde, por ficar rondando tanto tempo uma mulher sem ter coragem de avançar, no entanto, uma vez que ele se apaixonou por Rokka, não importava sua idade nem nada, pois tudo nela o encantava. Antes de trabalhar na floricultura, ele ia todos os dias comprar apenas uma plantinha, tantas que seu apartamento parece mais uma estufa do que uma moradia.  Não da para entender por que ele não sentiu nem um pouquinho de medo ao ver um fantasma, mas acredito que é porque, como ele mesmo disse, parecia tão perfeito na sua frente, que parecia realmente um ser humano de carne e osso. Apesar dele ficar com raiva ao ver que, depois de tantos anos, o marido falecido não a deixava seguir em frente, uma parte dele se simpatizou com o pobre homem. Ainda assim, ele não iria ceder, pois não iria deixar que a mulher que ama viva para sempre apegada a alguém que se foi. Estava disposto a encarar tudo para ficar com ela e lhe dar felicidade.


Rokka Shimao é uma mulher bonita, forte e íntegra. Tem 30 anos. A sua força vem de superar tantas dores, angústias e solidão. Quem a vê, não consegue imaginar que ela passou por tanto sofrimento, que foi sua perda. Seu esposo foi seu primeiro e único homem, até então. Mesmo sabendo que ele era um homem com saúde complicada, ela o amava, então se casaram e construíram seus próprios bens, no caso, a floricultura. Depois de quase 10 anos juntos, sua doença ficou em evidência. Ela estava sofrendo, mas queria acreditar que tudo iria passar e tudo daria certo no final. Você pode imaginar o tamanho da dor que é perder a sua metade? Só de pensar, eu já sinto uma vontade louca de chorar. Apesar dos anos, Rokka não está disposta a seguir em frente. Ela não quer esquecer qualquer evidência da existência do homem que amou. No entanto, solidão é algo muito assustador. A vontade de amar e ser amada, ser tocada e ter alguém que possa sentir o calor, uma hora vem, e essa necessidade passou a ficar em destaque quando passou a ser cortejada. Ainda assim, mesmo que se sentisse dessa forma, as memórias com seu amado esposo era algo que ela não conseguia deixar de lado. Ela conseguirá apenas guardar esses bons momentos vividos com seu falecido marido e, mais uma vez, viver um novo amor?


Atsushi Shimao era um homem que sempre teve a saúde um tanto complicada. Na sua infância, passou a maioria do tempo internado em hospitais. Depois de adulto, conseguiu um tanto mais de resistência e passou a viver como uma pessoa normal, indo à faculdade, se formando e até mesmo se casando. Ele tinha um dom incrível de fazer arranjos de flores, e foi o que cativou sua amada esposa quando ainda nem sequer haviam se conhecido. Por sua esposa e irmã, ele é sempre descrito como uma pessoa estranha, fria e sem tenacidade. Isso deve ser porque, na frente das pessoas, mesmo estando em estado crítico, ele não queria demonstrar estar sofrendo. Ele chegou a dizer, várias vezes, que queria se divorciar antes que morresse e para ela se livrar de tudo que pertencia a ele, mas esse não era um desejo sincero. Shimao era mais apegado do que demostrava, tanto que, depois de morto, não foi capaz de seguir, por isso permaneceu ao lado de sua amada, sofrendo por ver que, a qualquer momento, alguém tomaria seu lugar, tanto em seu coração quanto em sua vida. Ele queria que ela fosse feliz, mas era muito difícil vê-la amando outra pessoa, tanto que ele não conseguia permitir isso.
 Sinceramente, sofri pelos dois lados, tanto como a pessoa que ficou quanto a que foi. Seria tão bom morrer junto, foi o que eu acabei pensando. Acho que isso mexe muito comigo, porque meu esposo também tem uma saúde complicada. Então, sempre que ele fica doente, fico como a Rokka: pensando positivo, acreditando, mas, no fundo, com um pouco de medo. Seguir em frente é difícil e, ao mesmo tempo, não, depende de cada personalidade, né? Gosto muito do Hazuki. Acho-o uma pessoa maravilhosa. Então, eu torci para que ele vencesse tudo isso. Infelizmente, alguém tem que se machucar.  É como dizem: nós temos que saber qual é a hora de nos retirar e, no caso, era a hora do Shimao. Esse anime está mais que indicado. Acho uma pena ser uma história tão curta, mas, ainda assim, foi perfeita. INDICADÍSSIMO!!!


Gênero:    Romance, Sobrenatural, Drama

Autor: Haruka Kawachi
Mangá:  4Volume  
Anime:    11 Volumes
0 comentário

Vídeo- Experimentando comidas diferentes com SNK - parte 3


Konnichiwa Nekotachi!!
Hoje saiu a terceira parte do “Experimentando comidas diferentes” e tá muito legal, esse com toda certeza vocês não podem perder. Se você não tem acompanhando essa série, veja os primeiros vídeos para depois prosseguir com esse (cliqueaqui), no entanto se estiver com preguiça não tem problema algum prosseguir com esse. Ainda teremos duas partes, então fiquem de olhos nos próximos vídeos.



Kissu

0 comentário

Meus mangás favoritos Yaoi


           


 (Atenção!! A postagem de hoje contém conteúdo homossexual, se você não curte então passe para a postagem passada que esta bem legal.)


       Na postagem de hoje, quero compartilhar com vocês os meus mangás favoritos do gênero yaoi. Se você não faz ideia do que é yaoi, te convido a ler a postagem sobre gêneros (clique aqui) para ter uma ideia melhor, mas irei explicar de forma direta. Esse termo é usado quando o anime, mangá e cia contêm romance homossexual. Houve um tempo em que eu era muito viciada, como já disse em algumas postagens, mas como todo vício faz mal, esse vício também me fez. Como não sei diminuir nada, tive que dar um basta por um tempo. Passados sete anos, me sinto um pouco confortável para poder ver de forma calma, sem me deixar ser excessiva. Então, nesse ano, resolvi ao menos começar a ver os títulos que mais gosto, desde aqueles tempos de fujoshi.



            O primeiro é esse mangá que já falei aqui nessa semana, “Love stage” (clique aqui). O primeiro depois de sete anos. Foi amor à primeira vista. Lembro como se fosse hoje quando ele foi lançando no site que eu o acompanhava. Eu ficava muito ansiosa com os lançamentos, apesar de tão demorados. Fiquei surpresa e desapontada por saber que, durante todos esses anos, somente 23 capítulos haviam sido traduzidos e que os sites praticamente abandonaram o projeto. Não entendo o motivo. Ele é maravilhoso.  Se você está no começo, superindico começar com o anime, que é superlight. Não posso dizer que o mangá também é, pois você irá ver cenas bem calientes. Então, esteja preparado.


            O segundo é o mangá “Super Lovers”. Saiu o anime também, ainda não vi, mas está previsto para ele aparecer aqui esse ano ainda. Vamos ver como esse coração irá lidar com tudo isso. Ele foi lançando no site que eu acompanhava, na mesma época de "Love stage". Viraram meu xodozinho. A história, no começo, é bem light, e até onde cheguei a ler ainda estava bem calmo. Meu amor por esse mangá começou porque ele é extremamente fofo, e vocês sabem que romance e fofura para mim são duas coisas necessárias para viver, que nem ar. Não sei como a história está se desenvolvendo no momento. Estou muito curiosa para saber.


            O terceiro mangá é “Junjou Romantica”. O anime dele foi o meu gatilho para amar yaoi e me levar ao vício. Na época, assisti cinco vezes no mesmo mês, de tanto que eu gostei. Ele é um dos melhores, então, se tem interesse no gênero, assistam. É claro que comecei pelo anime, depois fui ler o mangá. É claro que amei, afinal, a história estava além do anime. É um mangá bem longo, mas vale muito a pena. Não tem como você não se apaixonar pelos três casais distintos que nascem nesse enredo.


            O quarto mangá é “Sekaiichi Hatsukoi”, criado pelo mesmo autor de "Junjou Romantica". Eles praticamente se completam. Eu vi o anime primeiro e também assisti umas cinco vezes, porque é muito apaixonante. O mangá é tão maravilhoso quanto.  Esse também envolve três casais muito fofos. Só de falar fico me coçando para ler. Alguém me segura, por favor! Devo alertar que, em ambos os títulos, apesar de não haver sexo explícito, tem altas cenas picantes. Então, prepara o coração.


            O quinto mangá é “Okane ga Inai”. O ova desse mangá foi o meu primeiro yaoi da vida. Foi o que me levou a ter coragem de encarar outras histórias e simplesmente me afundar nesse horizonte. Apesar de estar falando para você, que está começando agora, começar com um mais light, eu não comecei pelo o mais calmo. Pelo contrário, comecei com um bem tenso. Confesso que fiquei chocada e disse mil vezes para parar de assistir naquele momento, mas eu não consegui, pois a minha curiosidade venceu minha razão e me vi totalmente perdida. Esse envolve um homem que compra um universitário, pelo qual ele havia se apaixonado há muito tempo. Tem muitas coisas tensas, nem consigo dizer. O mangá vai muito além. Eu acabei gostando, porque o protagonista, que é o menino que é comprado, é tão fofo, e a história bem intensa, que fui tentada a segui-la até o fim, o que tornou esse mangá pesadão (no meu ponto de vista) um dos meus favoritos. Se for ver, já aviso: tem cenas bem pesadas.


O sexto mangá é “Dog Style”. Esse é o único que não tem anime e não sei dizer o porquê, mas ele virou um dos meus favoritos mangás, tanto que li umas 10 vezes, na época. Claro que hoje nem lembro mais direito os detalhes da história. Em breve quero muito ler novamente.
 Esses são os que meu mais gosto, nesse momento. Desconheço qualquer novo título, então todos esses são bem velhos. Quando meu vício estava em alta, em meio ano eu já tinha lido todos os mangás que instigavam meu interesse desse gênero. Isso são mais de 300 mangás. Pode imaginar isso? Entre todos, esses seis foram os que marcaram, para mim. Para mim, é sempre difícil falar sobre esse gosto meu. Antes de conhecer o yaoi, eu era bem preconceituosa e ver esses animes e ler esses mangás me fez entender melhor as situações dos homossexuais, o que me fez respeitar. Eu sou louca por romance, isso vocês já sabem, e, por essa razão, não posso evitar amar as historias desse gênero, porque elas carregam tudo que amo: um bom romance, intenso e profundo, que me faz sentir cada sentimento dos personagens. Então é isso, se vocês veem esse gênero, quero saber quais seus os favoritos!

0 comentário