Flower Boy next door (K-Drama)


          Já tem quase meio ano que eu estou tentando escrever sobre esse dorama, mas, por alguma razão, sempre travo. Hoje, resolvi dar um fim nisso, mesmo que me custe tempo e alguns cabelos. A razão de eu ficar tão hesitante em escrever sobre “Flower Boy next door” é que eu ainda não encontrei inspiração suficiente para expressar da melhor forma possível os sentimentos que são realmente importantes a serem passados sobre ele. Esse é um dorama antigo,  tem quase uns 10 anos que foi lançado e, embora a produção possa não ser tão boa, a história é muito intrigante e seus personagens realmente são cativantes. Esse dorama aborda um assunto que acho muito importante: como das muitas das vezes alguém que sofreu bullying pode passar a viver por toda sua vida.

            O enredo envolve uma moça que vive confinada dentro do seu pequeno apartamento por ter medo do mundo e das pessoas que o habitam. Entretanto, um dia ela se apaixona pelo seu vizinho que sempre observava pela sua janela. Tudo estava indo em paz. Como todas as manhãs, ela foi ver o que seu amor platônico estava fazendo, quando um rapaz estranho aparece na casa e a vê espiando. Esse rapaz era o irmão mais novo do vizinho, que não perdeu tempo e foi à porta dela pedir satisfação. Aterrorizada, diante da porta sem ter coragem de abri-la e ter que encarar alguém depois de um longo tempo, ela mal podia imaginar que ao abrir a porta, os dias de paz dela iriam acabar.

            Go Dok Mi é uma garota que sofreu bullying na escola, tudo por causa da traição de sua amiga que inventou fofocas terríveis ao seu respeito por causa do seus ciúmes. Depois de muitos anos, ela ainda carrega o trauma e a dor dentro de si, por isso ela vive cofinada em seu apartamento, dia após dia, sem se relacionar com ninguém. Trabalha como editora e escritora terceirizada, só aceitando trabalhos que possa fazer dentro de sua casa. Só sai de dentro de seu apartamento em último caso de não haver outra maneira de resolver certos assuntos.

            E assim são os dias solitários dessa garota que vive com medo das pessoas. Quem pode culpa-la? Quantas vezes já não tivemos vontade de fazer o mesmo que ela? Talvez você seja alguém realmente confiante e forte, mas eu também já quis me trancar. Talvez até mesmo já fiz algo parecido, não completamente, pois as circunstâncias não permitiam. Não estou aqui para falar de mim, mas sim de Go Dok Mi, que vivia de forma tão triste e lamentável, até um certo louco aparecer em sua vida e bagunçar toda a vida pacífica que ela havia programado.


            Ela foi arrancada de dentro de seu apartamento e foi obrigada a encarar a vida. Isso era difícil para ela. Uma pessoa como aquela não podia entender como encarar a vida, era doloroso para ela. Ao mesmo tempo em que ela estava irritada e esperava que ele sumisse logo da vida dela para que ela pudesse voltar a viver como vivia, aos poucos as coisas mudaram. A persistência desse garoto, que era como uma pipoca estourando na panela, acabou tornando algo necessário para ela. Essa criança mimada, que não importa o quanto as pessoas o tratam mal ou falem mal, ele continuava sorrindo.

            Esse é o Enrique, um rapaz imperativo, designer de videogames, prodígio que veio da Espanha à trabalho e estava passando um tempo com seu irmão. No pacote, veio decidido a bancar o cupido para sua amiga de infância, a quem tem um amor não correspondido, pois ela gosta do seu querido irmão. Enrique é alguém muito confiante,  muito sincero e não vê maldade nas pessoas, e tudo isso juntando em pacote faz as pessoas o odiarem muitas vezes. Quando ele conheceu Go Dok Mi, ficou curioso sobre ela, afinal, nunca havia conhecido alguém em uma situação como aquela. Então, ele tornou como objetivo também fazê-la sair de casa.

            Então, todos os dias ele ficava batendo na porta dela, fazendo graças. Foram tantas vezes, que ela não teve mais como ignorar, afinal, estava incomodando os vizinhos. Ele estava sempre inventando pretextos para fazê-la sair para passeios com ele, acho que nem passou na cabeça dele que acabaria se cativando por ela de forma romântica. Na verdade, ele demorou muito a perceber que ela não era mais só alguém que ele queria ajudar, era muito mais que isso.  Eu shippei, afinal é Enrique, meu povo. Esse rapaz é tão fofo e cativante que, se eu pudesse, colocava ele dentro de um potinho só pra ficar olhando para ele o tempo todo
.
            Oh Jin-rok, o rapaz que vive no apartamento que e vizinho de porta de Go Dok Mi, vive junto de seu assistente. Ele é escritor de comics da web. É apaixonado pela Dok Mi, que nem sequer imagina que ele faz quadrinhos baseado em como ele a vê. Jim-rok se apaixonou à primeira vista e, como percebeu o modo que ela vivia, ele estava sempre cuidando para que a vida dela continuasse pacífica, então tentava a proteger como podia. Ele nunca tentou uma aproximação direta, com medo de assustá-la e, de repente, um cara surgiu do nada e a arrancou de casa, aquilo o deixava louco.

            Muitos outros personagens interessantes aparecem, como Watanabe, que tem andando pelo mundo  para aperfeiçoar sua culinária e está na Coreia, aprendendo novos pratos. Uma das vizinhas que está sempre de casinho com o porteiro, talvez role um romance secreto ali. O irmão do Enrique, que é um médico muito bonito e era o amor platônico de Dok Mi, mas nunca ficou sabendo disso. E, para nos fazer muita raiva  e fazer com que nossa queridinha volte para aqueles dias de terror, a causadora dos traumas da nossa protagonista: Cha Do-Whee, essa mulher é uma verdadeira cretina, metida à fina. Depois de ver que o homem que ela tinha interesse estava caído por  Dok Mi, ela passou a fazer coisas ruins de novo com a coitadinha, vontade de dar na cara dessa mulher.
          Eu queria ter escrito de forma muito melhor sobre esse dorama, porque ele tem assuntos que realmente merecem ser expressados da melhor forma possível. Infelizmente, não posso continuar adiando a escrita, e eu não estou  conseguindo achar onde foi parar minha inspiração. Entretanto, quero que vocês saibam que esse dorama é maravilhoso. Eu já disse, mas tenho que repetir:tem uma história maravilhosa, personagens cativantes e eu indico com toda certeza. E aí? Já assistiram? O que acharam?

Gênero: Comedia,  Romance, Drama

Dorama:   16 episódio 


Onde Ver


DramaFever 

0 comentário

Especial dia das sogras – sogra boa e sogra ruim de doramas


Há quem diga que sogra é o bicho mais ruim que existe. Vamos ouvir várias piadinhas destinadas às sogras, mas, qual é o motivo de sogras terem uma fama tão ruim assim?! Você pode me dizer?
            Nesse especial do dia das sogras, eu resolvi escolher duas sogras: uma boazinha e a outra má. Quem assiste dorama sabe muito bem que a maioria das sogras que se destacam são sempre as ruins, que fazem o maior inferno na vida das mocinhas. E não são poucos doramas, são muitos.

            A primeira sogra é nossa querida Machiko Irie (Itazura na Kiss). É uma mãe bem controladora, mas ela demonstrou ser mais do que sogra, uma verdadeira fada madrinha na vida de Kotoko, que é a garota que gostava do seu filho, mas que não era correspondida. Por gostar muito dela, a ajudou de todas as formas possíveis. Seu filho ficava muito aborrecido e, embora a intenção dela fosse boa, no final, ele ficava mais distante. Entretanto, pouco a pouco, enquanto a fada madrinha abria o caminho, as coisas passaram a acontecer.

            Machiko-san tratava sua querida nora como se fosse uma verdadeira princesa. Mesmo Kotoko tendo muitas falhas, a sogra sempre estava apoiando ela, a lembrando que, embora ela fosse falha, havia muitas coisas boas em si. Quando finalmente ambos resolveram namorar, de fato, ela não perdeu tempo e partiu logo para organizar um casamento. Você que já foi noiva, já viu alguém organizar um casamento em uma semana? Pois é, a nossa fada madrinha fez surpresa ao casal e fez uma linda festa de casamento com direito a viagem  de lua de mel para o Havaí.

            E não parou aí não. Mesmo depois de casada, ela estava sempre de olhos bem abertos para proteger o relacionamento de seu filho, afinal, ele era tão frio que muitas vezes machucava nossa Kotoko-chan. Mesmo que alguém roubasse sua nora querida, ela estava sempre afiada, era quase uma perseguidora. Sim, ela é uma sogra bem louca, mas é muito querida, afinal de contas, com a nora que ela gosta. Algumas outras meninas que apareceram atrás do filho dela foram tratadas com indiferença, então digamos que Kotoko é, com certeza, uma nora de sorte, tendo alguém que é quase como um anjo, evitando que ela caia ou se machuque o tempo todo.

            A segunda é uma das sogras que conseguiu atiçar ódio de muitas pessoas, principalmente de mim. Kaede Doumyouji (Hana yori Dango), essa mulher que é podre de rica, arrogante, que olha as pessoas de classe baixa como se fossem menos que uma barata. Já consegue imaginar que tipo de sogra ela é? Seu filho se apaixonou por uma garota de família humilde, e quando ela descobriu, fez o que todas as pessoas que acham que podem comprar tudo com dinheiro fez: foi oferecer muito dinheiro à família dela, em troca da filha deles se afastasse do filho dela. O que ela não sabia era que,  apesar de serem pobres, eles tinham orgulho e mesmo que isso garantisse o futuro da família deles, eles jamais seriam comprados dessa forma. Afinal, o que seria alguns milhares de dólares comparado com o que a filha deles poderia ter se casasse com o filho dela? De bobo eles não tinha nada, botaram a arrogância da mulher para correr. 

            Foi aí que as coisas ficaram realmente sérias. Como de forma pacífica, sob o ponto de vista dela, não havia dado certo, então ela resolveu mexer os pausinhos. A começar deixando os dois pais desempregados, depois perdendo sua moradia. Como via que, mesmo assim, Makino não se afastava, ela começou a tocar em seus amigos, deixando desempregados os familiares e fechando o estabelecimento onde ela trabalhava. Já deu para sacar o quanto essa mulher era poderosa e cretina? Até mesmo humilhar a menina em pleno público, quando apresentou uma noiva adequada no aniversário do seu filho, ela foi capaz de fazer. E isso é só o mínimo do mínimo que ela fez, a nora dela passou pelo inferno.
            Como essa última sogra, tem muitas em doramas. Claro que não tão poderosas quanto ela, mas tão ruins quanto. Principalmente dessas famílias ricas, que querem alguém adequada ao gosto delas para seus filhos.

            Então, e vocês? Me falem das sogras megeras e das boas que mais marcaram os doramas para vocês!
0 comentário

Boku ga Utau To kimi wa warau kara

         Este é um mangá de oneshots. São exatamente cinco histórias diferentes, com suas semelhanças, que abordam quase o mesmo assunto. Não carrega histórias profundas, mas que mesmo assim podem aquecer o nosso kokoro (coração). A autora deste mangá é a mesma que fez o Fruits Basket, um dos mangás mais maravilhosos que já li. A ilustração não é uma das minhas favoritas, confesso, entretanto, suas histórias sempre são capaz de nos tocar.

“ Se a ferida do coração de alguém é visível, talvez então todos deixassem de perturbar os outros...”
            O primeiro oneshot envolve Atsushi, um estudante e vocalista de uma banda que está sempre sendo mal interpretado por causa de sua expressão sombria. Está sempre fazendo as garotas chorarem e arrumando brigas sem procurar; E Anzu, uma estudante que está sempre andado olhando para chão por causa da sua má experiência no seu antigo colégio, onde sofria bullying por ser uma garota bonita e meiga. Ambos têm mais em comum do que imaginam. Um dia, após muito tempo, acabam se conhecendo melhor e Atsushi descobre que Anzu já era admiradora de suas músicas por um longo tempo e, diferentemente das outras pessoas, mesmo sem o conhecer de verdade, ela o entendia. Ela via aquilo que ninguém via, mesmo através dessa expressão sombria que atraía medo e brigas.

            Por outro lado, Anzu também não sabia, mas Atsushi sempre tinha sido atraído pelo seu belo sorriso que ela acostumava ter há um tempo. Esse sorriso, que era como o sol, que havia sumido, ele queria ver ele mais um vez. Ele passou a entender como ela havia se tornando uma menina cabisbaixa, que não sorria, não tinha amigos e mesmo com toda essa dedicação em não se mostrar, acabava por ser mal vista pelas outras pessoas. Então, se suas músicas fossem capazes de extrair mais uma vez aquele sorriso, ele decidiu que daria o melhor dele para animá-la através de suas canções. “ Por favor, sorria, ainda que não possa te animar com palavras, ao menos, se minhas canções puderem te ajudar a sorrir de novo, eu escreverei e cantarei até não poder mais”.

            O segundo oneshot envolve Chisato, uma estudante que perdeu recentemente seu pai e agora vive com sua madrasta, uma boa mulher. Entretanto, é uma mulher nova, por isso ela acha que a qualquer hora, ela irá abandoná-la. Porém, esse não é um dos seus maiores problemas. Embora ela tente mostrar que está indo bem para superar essa perda, ainda existe muitas coisas que a incomodam. Chisato acredita que seu pai não a amava. Ela nunca foi capaz de conhecê-lo de verdade, por causa da distância que ele sempre manteve. E agora? Ela vai ficar completamente sozinha? E qual é a verdade por trás da distância de seu pai?

“ Se eu pudesse ser como a pureza da cor branca, se eu fosse mais honesto comigo mesmo, poderia minha voz e meu som chegar a todos?”
            O terceiro oneshot envolve o estudante Inagaki, um violinista prodígio que, embora esteja sempre ganhando prêmios e sendo elogiados por algumas pessoas, sofre com as críticas de seus veteranos e colegas, que dizem que o seu êxito vem pelo fato de seus pais serem músicos famosos. No começo, isso não o afligia, entretanto, com o tempo, isso passou a incomodar, até mesmo o fazendo desacreditar em seu próprio som; E a estudante Futaba, que está sempre sendo perseguida pelas suas veteranas, que estavam sempre querendo rebaixá-la, dizendo que ela copiava o jeito delas de tocar. Embora isso a incomodasse, ela encarava isso de frente, mesmo que com medo, e continuava tocando como gostava.

            Um dia, Inagaki escuta um som  que ele diz ser puro e sincero, e lá estava Futaba, tocando com sua sinceridade e sendo acusada por plagiar sua veterana, mas ela não deixou isso barato e disse que aquele era o próprio  som dela. Ele ficou realmente admirado, afinal, não havia ninguém que tocasse como ela e mesmo passando por tudo isso, ela continuava indo em frente. Aquilo o inspirou a enfrentar seus próprios problemas, afinal, ele não era o único passando por um momento ruim. Ele resolveu dar seu melhor e melhorar ainda mais seu som para que pudesse atingir o coração das pessoas.

            O quanto oneshot envolve Tachibana, um garoto. Ele é considerado meio estranho (ou afeminado?) por causa do seu interesse em costurar e criar coisas delicadas que são mais vistas como passatempo de garotas. Por gostar tanto disso, ele escolheu isso como sua profissão e foi expulso de casa pelo seu pai por causa de sua escolha.  Um dia, sua sobrinha foge para sua casa e passa uns dias fazendo-o companhia. Ele tem interesse por uma mulher, a qual seu amor não é correspondido. Em meio a todos esses problemas, ele se vê sendo apoiado por uma criança a tomar novas atitudes, até mesmo conquistar a mulher que ama enquanto ela tenta entender o motivo dele ter escolhido essa profissão.

            O quinto oneshot é uma comédia que envolve uma jovem que é conhecida como branca de neve, devido a sua grande beleza. Entretanto, diferentemente do que conhecemos sobre essa princesa, essa tem uma personalidade ruim, por isso, as escondidas é chamada de “princesa obscura”. Odiada por todos a sua volta, até mesmo seu pai, o rei pervertido, que, junto da madrasta, arma um plano para matá-la e se livrar da imagem ruim que ela tem atraído para família real. Então, contrataram um caçador apara matá-la, só que a nossa princesa, que não era tão fraca assim, conseguiu fugir em liberdade daquele castelo, que a fazia a se sentir tão sozinha, e correr direto para seu sonho, que era encontrar um príncipe que amaria profundamente.

            Eu gostei muito do primeiro e do terceiro, esse último tem uma história muito bizarra e engraçada. Seriamente, até que talvez poderia ter dado certo. Eu não vou dizer que esse foi um dos melhores que li. Apesar de ter um teor profundo, de alguma forma, não consegui sentir a profundidade no andar da história. Então, isso me incomodou um pouco. Eu gosto de que os sentimentos do personagem me suguem ao ponto de eu sentir o que eles estão sentido, mas pode ser que eu só não estava muito concentrada enquanto lia. E aí? Já leram esse?

Gênero:  Romance, Shoujo, Comedia, Drama, Fantasia 

Autor: Takaya Natsuki
Mangá: 1 Volumes 


Onde ler: 
0 comentário

True Tears



            Quando comecei a assistir, pensei seriamente que eu não ia gostar nenhum pouco, afinal, como estou cansada de dizer, eu não gosto de harém. Entretanto, esse anime me prendeu e me mostrou que é sim um bom anime. A sua história é muito boa, é bem calmo, com uma história cotidiana que deve acontecer muito com as pessoas por aí. Embora eu tenha ficado extremamente ansiosa e frustrada com o protagonista, no fim das contas, fiquei realmente aliviada pela grande virada. A qualidade da produção pode não ser tão boa pelo fato de ser um anime de quase 10 anos. E bem...tentei achar se tem mangá dessa história, mas não encontrei nenhuma informação sobre.
            Esse enredo envolve um estudante que passou a viver dias de frustrações desde que uma das meninas mais lindas e populares do seu colégio, filha de um falecido grande amigo de seu pai, passa a morar em sua casa. Por causa do jeito frio que ela age quando está em casa, ele não consegue falar diretamente com ela. Embora na escola ela seja ter sempre hesito em tudo que faz, ele sabe que ela tem um segredo que ninguém mais sabe e, no fundo, a sua frustração pela presença dela são os sentimentos que ele não consegue entender quando está diante a ela.
            Fora isso, um dia ele conhece uma menina muito estranha que, por alguma razão, o deseja “má sorte para sua vida”.  Rolam vários rumores sobre ela na escola, mas de alguma forma, ele passa a ter curiosidade sobre ela e descobre várias coisas que o faz querer estar sempre perto. Agora, ele tem que saber como lidar com seus sentimentos confusos diante dessas moças e ainda de sua amiga de infância que acaba se declarando para ele.

            Shinichiro é um garoto com muita capacidade artística. Em alguns momentos, ele ficou frustrado e cansado de fazer as coisas que seus pais o induziam a fazer. Então, acabou tendo todo aquele momento de situações difíceis com seus pais que quase todo adolescente passa quando está tentando se encontrar. No final, ele tinha jeito mesmo para a coisa e acabou descobrindo por si mesmo o quanto gostava.  Sua frustração maior era mais por ele querer se relacionar com a menina que, na verdade, ele tinha sentimentos desde muito tempo, mas não conseguia. Como ela vivia em sua casa, era como se ele nunca pudesse ser ele mesmo, pois parece que estamos sempre queremos mostrar que somos mais perfeitos do que realmente somos quando estamos diante da pessoa que gostamos.



“Eu amo a ____, mas quando eu te vejo, me sinto totalmente abalado.” (Essa frase realmente me incomoda muito, mas eu consegui entender e deve ter sido realmente difícil e doloroso esse sentimento.)
            Quando ele conheceu a Noe, ele acabou se cativando por ela por ser uma menina meiga (mesmo sendo doida) e ele se sentia completamente a vontade quando estava com ela, então seus sentimentos acabaram ficando abalados. Eu tive muitos momentos em que eu tive raiva dele, até cheguei a criticá-lo, mas acabou que tudo isso me fez pensar e lembrar que eu mesma já estive em situações como essa. Naquele momento em que eu não entendia as mudanças dentro de mim, e foi muito difícil para mim, quase cheguei a fazer escolhas erradas, mas assim como ele, que foi capaz de superar isso, eu também superei.

            Hiromi é uma garota que não demonstra muito seus sentimentos. Aparentemente, não parece ter nada de errado acontecendo com ela: é muito bonita, popular na escola, boa em tudo que faz. Contudo, como todas as pessoas, ela tem seus próprios segredos, suas próprias sombras e sentimentos que ela mesmo não é capaz de expressar para ninguém. Mesmo não mostrando o quanto sofre com a perca de sua única família, a verdade é que ela sofre sim, mas está sempre mostrando ser forte e as pessoas ao seu redor acreditam. Vivendo sozinha, morando na casa dos outros, sendo sempre tratada com indiferença pela dona da casa e ainda nutrindo sentimentos pelo filho dela. 

            Embora ela só tenha passado a querer se aproximar dele depois de o ver dando atenção demais para uma garota só, um dia Hiromi descobre que ela poderia ser irmã dele. Por isso, tenta afastar seus sentimentos arrumando um namorado que é irmão da Noe. Só que não foi tão fácil assim. Quando mais ela tentava novamente ficar longe dele, mais ele mostrava ações que não permitiam a ela usar o fato de terem o mesmo sangue, e isso a fazia sofrer. Eu, particularmente, shippei os dois desde o começo e o fato de dizerem que eles poderiam ser irmãos de sangue mesmo me deixou frustrada.

            Noe é uma garota que já perdeu muito em sua vida. Quando perdeu sua avó, ela decidiu dar suas lágrimas e não é mais capaz de chorar. Como não tem pais, quem cuida dela é seu irmão mais velho, que também é um estudante. Por ser uma garota estranha, não tem amigos a não ser uma galinha que tem no galinheiro da escola. Ela conheceu Shinichiro após não conseguir descer de um árvore e ele ajudar ela a descer. No começo, ela não gostou dele, então ela o maldiçoou. De alguma forma eles acabaram se aproximando depois disso e chegaram até a aprofundar sentimentos um pelo outro. Entretanto, ele ainda tinha Hiromi bem viva em seu coração.

            Enquanto assistia esse anime, li muitos comentários de pessoas que estavam assistindo. A maioria das pessoas torciam para Noe, o que não critico, pois ela é muito fofa e eu não desgosto dela, ela é só um pouco louquinha mesmo. Eu, quando shippo alguém, é muito difícil eu mudar de opinião.
            Mudando um pouco de assunto, preciso fazer esse comentário: a relação dela com irmão dela era bem estranha. Ele tinha claramente ela mais do que uma irmã e quando ele teve certeza disso, ele tentou arrumar uma namorada também. Hiromi e ele estavam no mesmo barco, hein? De certa forma, ele e Hiromi até que combinavam. Ele é bonito e ela muito bonita, um perfeito casal, só que um dos motivos maiores para ele pedir ela em namoro foi mais para deixar o caminho livre para sua irmã ser feliz com Shinichiro.

            Esse é um bom anime. Há outros personagens, como a amiga de infância que se declara para ele, e um outro rapaz que gostava dela e os dois têm um relacionamento após ela ser rejeitada. Acontecem muitas reviravoltas mesmo. Eu gostei desse anime, mais do que eu esperava. Indico ele com certeza, se você gosta de animes com histórias comuns (mas não tanto assim). Achei um amorzinho, sofri junto, fiquei 

Gênero: Romance, Drama, Slice of life
Autor:  Mari Okada

Anime:   13 episódio 

  


Onde assistir

AnimeQ ( Online)

0 comentário

Mangás lançados no Brasil: Romance – JBC

          

         Lembro que, alguns anos atrás, eu nem fazia ideia como o mundo dos mangás aqui no Brasil era tão intenso. Afinal, a última vez que eu tinha ido em uma banca de revista foi em 2001. Sim, muito tempo. Naquela época, não lembro de ter tantos mangás disponíveis, mas pelo menos tinha bastante revistas sobre os animes mais famosos no momento aqui no Brasil. Isso me lembro bem, pois eu tinha muitos. Meu mundo veio se abrir quando meu irmão mais novo me deu um mangá do Colegio Ouran Host Club ( publicado pela Panini). Eu amava o anime, então meu irmão achou e me deu. Naquela época, o último volume estava sendo lançado. 
       Foi depois disso que me bateu curiosidade de ir nas bancas e ver o que achava e, por incrível que pareça, o meu segundo mangá foi Tsubasa Chronicles. Nem em sonho eu imaginava que esse mangá havia sido lançado aqui no Brasil. Eu simplesmente surtei, passei a procurar tudo que estava sendo lançado no momento, e foi aí que a minha coleção começou a ganhar vida.  Hoje não estou aqui para falar sobre a minha coleção, mas eu acredito que, assim como eu, tem muitas pessoas que também não fazem ideia de quantos mangás bons já foram lançados ou estão sendo lançados aqui no Brasil. 
        Não irei falar de todos. Hoje, darei exclusividade para  o gênero que eu mais gosto,  em principal os que contêm romance, e de apenas uma editora para não ficar muito grande a postagem, como já imagino que ficará. Então, vamos conhecer os mangás que a JBC nos trouxe para nossa felicidade (ou não).
Cardcaptor Sakura (2001 – 2012)

            Logo de cara, claro, tenho que falar da minha primeira coleção completa. Como podem ver, esse manga foi lançado e relançado.  Em 2001, foi a primeira edição em um formato pequeno. Se não me equivoco, foram 24 volumes. Nessa época, eu cheguei a comprar, mas acabei perdendo nas mudanças que tive na vida. Depois, foi relançado com um formato maior e muito mais bonito, com direito à páginas coloridas ,com 12 volumes. Lançado novamente em 2012, justamente o ano que comecei a colecionar para valer. Quem não conhece a história da Sakura, clique aqui.

Anohana (2016)

            Ou “Ano Hi Mita Hana no Namae oBokutachi wa Mada Shiranai”. Esse emocionante mangá contém três volumes e tem um nome enorme, mas usamos “ Anohana” para abreviar.          Esse mangá é lindo, eu o tenho na minha coleção e ainda não pude ler, afinal, estou preparando meu coração. Como sei que é lindo? Bom, eu assisti o anime.

Nana (2008)

            Esse é um dos mais preciosos da minha coleção.  No momento, ele está parado com 22 volumes. Infelizmente, a autora está parada por alguns anos e não nos deu final dele. Então, esperamos ansiosamente que ela tenha pelo menos um pouco de consideração e termine esse mangá antes de morrer ou que eu morra pelo menos. Nana é um mangá josei ( se não entende gêneros, clique aqui). É maravilhoso! O anime só vai até uma parte da história, então nossa saída vai sempre ser ler. Como posso dizer? Essa história é maravilhosa, é um dos melhores títulos que a JBC lançou e um verdadeiro tesouro que todo mundo devia ler.

Fruits basket ( 2005)

            Encontrei esse mangá por acaso. Fiquei muito surpresa, pois é mais um título maravilhoso. Quando o achei, já tinha terminado de ser lançado, por isso tive que mexer uns pausinhos para encontrar alguns volumes. Toda vez que leio, eu falo: meu Deus, como e esse mangá é bom! Sim, ele é maravilhoso! Acho que todos deveriam ter eles em sua estante. Já falei sobre ele,clique aqui.

Full Moon (2009)

            Outro título para aplaudir de pé. Essa história é emocionante e maravilhosa. Outro também que, quando encontrei, já havia terminado de lançar, mas consegui achar todos os volumes em São Paulo e, claro, é meu tesouro.

Chobits

            Não lembro o ano que foi lançando, mas não faz muito tempo. Eu gosto muito dos trabalhos da Clamp, e, embora eu não gostei muito do anime, o mangá foi diferente: me fez ter uma visão bem diferente da primeira vez que vi o anime, então gostei muito. Falei dele, cliqueaqui.

Kobato (2011)

            Esse é mais um título feito pela Clamp. É um dos mais fofos que eu conheço. Sabe um mangá todo amorzinho? Tanto o anime quanto o mangá são maravilhosos, embora, como sempre, o mangá seja mais completo.
Orange (2016)

            Foi um dos títulos recém lançados. Eu não fazia ideia se era mesmo bom, mas quando eu li, simplesmente me apaixonei.  Já falei dele, clique aqui.
Socrates in love (2007)

            É um dos títulos maravilhosos que contém apenas um volume, muito romântico e triste. Faz parte da minha coleção. 

Wish

            Não lembro quando foi lançado também. É mais um título feito pela Clamp. Um mangá yaoi, mas é tão fofo e puro, que acabei gostando.

Sailor Moon (2014)



            Esse mangá, sem dúvidas, faz parte da minha coleção, afinal é um clássico, mas devo confessar que não é uma leitura fácil, me da muito sono.

Guerreira magicas (2001 e 2013)

            Esse título tem apenas uma pequena pitadinha de romance, mas foi feito pela Clamp e é  shoujo. Eu cheguei a comprar ele no relançamento, e tenho que dizer que gostei muito dessa história, só queria que tivesse um pouco mais de romance.

 Inu yasha  

            Esse é um título maravilhoso. Ele vai ser relançado ainda esse ano, se der tudo certo. Estou louca para ler, assisti o anime e amei, estou muito ansiosa para tê-lo em minha coleção.

RG Veda (2012)

            Eu não tenho esse, mas meu irmão faz coleção dele. Embora seja uma história confusa, eu gostei muito.

Love Hina (2002-2013)

Muitas pessoas amam esse titulo, eu não faço coleção também, mas meu irmão tem o relançamento e ele ama essa historia, não comprei por ser harem não gosto.

Rosario Vampire II

            Esse tem a primeira temporada também, mas o romance dele só começa, de fato, na segunda, por isso coloquei a segunda aqui. Ainda não tive o privilégio de ler, mas meu irmão tem, então com certeza uma hora dessas lerei.

 Gravitation

Esse é um mangá yaoi, tem uma história muito boa, mas eu não tenho. Já falei dele, clique aqui.
Os demais títulos, são títulos que não conheço muito bem, mas foram lançados aqui ou estão sendo, eu nem fazia ideia.
Video  Girl Ai

Utena

Tokyo Babylon

Saber marionette

Onegai Twins

Onegai Teacher

Love in the hell

D.N Angel (2010)

A princesa e o cavaleiro

To love Ru

            Eu posso ter deixado algum ou outro passar, me desculpe, mas por hora são esses.  A JBC lança muito pouco romance, o que me deixa triste, pois eles tem uma qualidade ótima. É uma pena eles não lançarem muito mangá shoujo, que contenha um bom romance.  Entretanto, tudo bem, eles tem ótimos outros títulos de outros gêneros que, em breve, trarei aqui também.  Mas quero muitoooo mais romance Onegaiii....
0 comentário