Tonari no Kaibutsu-kun



               Antes do anúncio de lançamento desse anime, eu já acompanhava o mangá, que, por sinal, já amava muito. Não sou de assistir nada em lançamento, mas fiz questão de acompanhar episódio por episódio, a cada semana, ansiosamente. Para mim, foi incrível ver os personagens ganhando vida com a animação. No entanto, o final acabou sendo uma verdadeira decepção. Não importa quantas vezes eu assista, eu sempre vou sentir uma leve frustração com esse final tão sem sentindo. Ainda bem que nem tudo estava perdido, já que o mangá ainda estava em desenvolvimento e iria muito além do que vimos no anime. 


            O mangá foi lançado em 2008 e concluído em 2013, com 11 volumes. A ilustração é maravilhosa. A forma como a história foi trabalhada foi fantástica. Eu já li duas vezes e nunca me arrependi. O final é muito bom e, depois, ainda tem uns extras muito legais sobre os demais personagens secundários. O anime foi lançado em 2012. Foram muitos poucos episódios e, talvez, por isso não conseguiram nos dar um final mais agradável.  Mesmo assim, eu amei a qualidade da animação. Os dubladores são maravilhosos. Devo ressaltar que adoro a voz do Haru. Que saudade de ouví-la! Eles seguiram bem a história original, mas não tão detalhadamente. Além de que, ele vai no máximo até o capítulo 15 do mangá. É bem pouco mesmo. Depois disso, temos muito a contemplar.


            Em 2018, foi lançado o live-action. Eu fiquei muito surpresa, porque nem imaginava que chegaria o dia em que veria esse enredo ganhando mais vida, com um filme. Confesso que não tinha nenhuma expectativa em relação a ele, no entanto, me surpreendi mais uma vez. Achei a produção muito bem-feita, mas o que realmente amei foi como os atores se encaixaram perfeitamente em seus personagens. Não saíram nem um pouco do que eu imaginava de como seria cada um. Fiquei muito feliz. Como se trata de um filme com pouco tempo, tiveram que fazer um resumo da história, mas o bacana é que os momentos mais marcantes foram, de fato, trabalhados. Mesmo que tenham faltado várias coisas, consegui me emocionar muito. Devo tirar o chapéu para os atores que fizeram o Haru e a Shizuku, pois interpretaram perfeitamente. Fiquei muito encantada. 


            A história gira em torno de duas vidas distintas. A estudante do ensino médio, muito aplicada, que vive sua vida para estudar obstinadamente, afim de alcançar os seus objetivos. E o seu vizinho de carteira, que foi suspenso no primeiro dia de aula, por se envolver numa briga, mas nunca voltou, mesmo depois de acabar o período da suspensão. Um dia, ela acaba sendo encarregada de levar as tarefas para ele. Assim, acaba o conhecendo, de fato, após uma recepção bem hostil da parte do garoto, que acreditava que a jovem era uma espiã da escola. No entanto, após ela explicar o que foi fazer, o rapaz ficou muito feliz e passa a chamá-la de amiga. Ele começa a perseguí-la, acreditando que a garota era sua amiga. Mesmo a situação sendo problemática, ela acabou sendo levada pelo fluxo, porém, no meio do caminho, se desentendem, devido à sinceridade da jovem em relação a ingenuidade dele. Ela se sente aliviada pelo fato de não ter que lidar mais com essa pessoa problemática.
            Contudo, sua professora a encarrega, mais uma vez, de avisá-lo que, se continuasse dessa forma, seria expulso. Mesmo dizendo que não ia, algum sentimento estranho a levou até o lugar onde ele vivia. Apesar dele supostamente não estar ali, o recado foi dado. Então, ela ouve garotos, que foram a razão do desentendimento anterior, falando mal de seu vizinho. Essa garota, que nunca foi movida por emoções, sem conseguir se segurar, os encara e diz para eles não serem assim, porque o seu colega, honestamente, os considerava bons amigos. Um deles se irritou com sua audácia e fez um movimento violento em direção a ela. Então, o garoto problemático aparece e os expulsa dali. Após uma conversa sincera com sua mais nova amiga, o rapaz decide ir à escola, desde que ela estivesse lá por ele. Agora, seria o começo de uma profunda e estranha amizade entre uma garota fria e calculista e um garoto ingênuo e problemático? Como essa história se desenvolverá?        


            “Quero estudar bastante e me tornar logo uma mulher. Ganhar dinheiro é meu sonho.”
            Shizuku Mizutani é uma estudante do ensino médio. Uma garota obstinada, densa, sincera e indiferente. Como seu pai sempre falha em seus negócios, sua mãe decidiu trabalhar em seu lugar, então, passa muito tempo fazendo horas extras, o que a faz não voltar para casa quase nunca. Com isso, a jovem fica encarregada de cuidar do irmão, pai e casa. Após as expectativas da vida a decepcionarem, decidiu se esforçar nos estudos, pois isso definitivamente não a trairia, já que tudo dependia do seu próprio esforço. Então, ela tem estudado duro para alcançar o seu objetivo. Para ela, é de extrema necessidade ser a número um. Quando não alcança, fica muito frustrada e se torna mais severa nos estudos. Shizuku costuma estudar o tempo todo, em qualquer lugar que esteja. Não gosta de se envolver afetivamente com ninguém e costuma ser indiferente aos problemas das pessoas, dizendo que isso é algo que a própria pessoa tem que lidar. No entanto, as coisas começaram a mudar quando conheceu o seu vizinho, Haru, que tornou seus dias uma loucura, apesar de ignorá-lo o máximo possível.


            “Graças a você, fiquei duas vezes mais ocupada, porque deixei de pensar só em mim. Então, eu passei a pensar em outras pessoas.”
            Quem diria que aquela visita que ela fez, sem qualquer desejo, resultaria em uma grande mudança em sua vida? Shizuku nunca sentiu necessidade de se envolver com alguém. Amizade nunca foi algo que que desejara. Sempre esteve segura de si mesma, sempre esteve obstinada a alcançar suas ambições e o resto não era de seu interesse. Porém, ao conhecer o Haru, teve que passar por muitas situações diferentes. Quantas vezes foi levada de um lado para o outro e, mesmo não querendo, tinha momentos agradáveis? Se irritar, se frustrar e se divertir começaram a se tornar frequentes. Esse garoto problemático, que ficava virando sua vida de cabeça para baixo, lhe causando sensações que nunca havia conhecido, às vezes era um incômodo e outras vezes era necessário. No entanto, ao descobrir que ele era um monstrinho estranho, que não estudava, mas era muito mais inteligente que ela, despertou seu lado competitivo. Ele continuava ali, interferido em seu tempo de estudo, enquanto ela perdia seu posto de primeiro lugar, e isso a deixava furiosa, fazendo-a até mesmo ignorá-lo. Dizia não ter tempo para ele, pois tinha que estudar. Contudo, havia esse sentimento desconhecido, que a estava incomodado. O que seria isso?


            Haru Yoshida é um estudante do ensino médio. Apesar de apresentar um comportamento intimidador e violento, na verdade, é um garoto inocente, ingênuo, honesto e sem noção. No desenvolvimento, entendemos que a sua agressividade é sua autodefesa, que surgiu após um grande trauma, que o fez não querer mais frequentar a escola. Passou uma boa parte estudando em casa, onde, devido à sua alta inteligência, seus estudos estavam muito mais avançados. Apesar de não saber se comunicar com as pessoas, a verdade é que ele deseja, profundamente, estabelecer laços, fazer amigos e ter dias normais, como um estudante qualquer. No entanto, por não saber controlar sua agressividade em certos momentos, acaba afastando as pessoas, que passam a olhá-lo de forma estranha. Isso lhe faz ter medo de encarar as pessoas, o que o faz retribuí-las com olhar e comportamento intimidador. Haru vem de uma família muito rica. Quando criança, foi abandonado, junto de seu irmão mais velho, pela sua mãe. Morou um tempo com um familiar. Por causa de sua inteligência, foi levado para morar com seu pai. Aí, o relacionamento com seu irmão passou a mudar. A única pessoa que ele tinha apego e amava passou a evitá-lo e a falar coisas ruins, o que o feriu muito e o fez ser uma pessoa problemática. Até que foi expulso de casa e passou a viver com uma tia cientista, que foi quem ensinou tudo sobre a vida. Hoje, ele evita seus pais e irmão. Vive aos cuidados de seu primo, após o falecimento de sua querida tia. Logo no primeiro dia de aula do ensino médio, mais uma vez ele cometeu um erro, sendo violento com uns gangsters da escola, que estavam extorquindo um dos alunos dali. Porém, obviamente, como ele acabou com eles, foi suspenso, o que gerou outro trauma e não quis mais voltar à escola mais. No entanto, as coisas mudam quando uma colega de classe foi visitá-lo. Foi a primeira vez que alguém, que não fosse professor, havia feito algo como isso para ele. Isso realmente o deixou muito feliz. Que sentimento novo é esse que surgiu em seu coração?


            “Quando eu te encontrei, eu pude me encontrar também.”
            Esse garoto problemático e ingênuo nunca havia feito uma amizade genuína, de fato. Ainda que Shizuku fosse indiferente, mesmo negando, não havia como fugir de algo que havia se tornado. Eles eram melhores amigos. Todos ficaram espantados em como eles eram diferentes, mas se davam bem. Haru sempre obedecia às repressões de sua nova amiga, e queria tentar de tudo, as coisas boas que bons amigos fazem, junto dela. Sua professora lhe deu um livro de como tratar garotas, já que ele também parecia não saber diferenciar o tratamento de homens para mulheres. Ele havia dito à Shizuku que gostava dela, mas nem ele mesmo sabia diferenciar esse sentimento. Gostar? Que tipo de gostar era esse? Sem ainda conseguir se relacionar com os demais, sempre trazendo problemas para sua melhor companheira, entre brigas e desentendimentos com ela, sua relação foi ficando mais forte. Novos amigos, que o entendiam e reconheciam seu lado bom, foram começando a entrar na vida de ambos, que estava mudando. Em meio tempo, Haru descobriu que o gostar dele era diferente do gostar da Shizuku, que havia se declarado. Quem esperaria que a fria e calculista garota fosse se apaixonar? Tiveram que acontecer algumas coisas, para ele, finalmente, entender seus sentimentos em relação a ela. Não era só amizade. Ela era a pessoa mais importante da sua vida. Seria tarde demais para voltar atrás e expor seus sentimentos, depois de ter dado um fora?


            “Nós já sabemos do que é preciso para ficarmos juntos. Sinceridade e igualdade. Não ter medo de olhar nos olhos.”
            Ter descoberto esse sentimento de amor não foi algo fácil de aceitar. Não pela pessoa ou sentimento em si, mas pelas consequências disso para seu estudo e futuro. Essas emoções diferentes vinham surgindo como tempestade. Quando se declarou, foi algo que não havia previsto. Foi algo que saiu, levado por um momento agradável. No entanto, acho que não esperava que levaria um fora. Naquele momento, ela pensou que, se o gostar deles não fosse igual, ela transformaria isso em mútuo, o fazendo se apaixonar por ela. Porém, o que era necessário para isso? Em meio a esses dilemas, mais uma onda de emoções desconhecidas continuava surgindo. Cansada disso tudo, vendo que isso estava atrapalhando seus estudos, o que afetaria seu futuro, ela entrou em acordo consigo mesma: “Para mim, a coisa mais importante é estudar, para assegurar o meu futuro. Se é algo que afeta o mais importante para mim, eu não preciso disso.”. Assim, ela desistiu dos seus sentimentos por Haru. No entanto, parece brincadeira, foi bem quando o próprio também percebeu os seus verdadeiros sentimentos em relação a Shizuku, tornando difícil, para ela, ser firme sobre isso. Mesmo assim, persistiu até onde deu. Até o ponto em que decidiu ser sincera, pois ainda gostava dele. Não começaram um relacionamento de cara, mas eles passaram um tempo juntos. Em meio às muitas situações, eles tiveram um relacionamento mais sério. Muitas coisas aconteceram, sobretudo aquilo que era gostar. A paixão acabou virando amor, conforme essa relação amadurecia.


            Asako Natsume é estudante do ensino médio. É uma garota excêntrica, folgada e antissocial. Não é antissocial porque quer, pois, na verdade, ela quer muito ser sociável e ter muitos amigos. Porém, devido à sua beleza, desde o fundamental, sofreu uma forte exclusão entre as garotas, por ser aquelas que os garotos cogitam. Por isso, também criou raiva de garotos e os evita com tudo. Sem amigos na vida real, ela passa muito tempo na internet, fazendo amigos virtuais, onde não é tratada com desprezo ou diferença. Por não ser boa nos estudos, estava para ficar de recuperação, o que atrapalharia seu primeiro encontro com os amigos virtuais. Então, pediu a ajuda da Shizuku, que ignorou totalmente. No entanto, Haru resolveu ajudá-la, para ir ao encontro também. Foi assim que os três acabaram amigos. Asako tem muita admiração pela Shizuku, que se tornou sua boa amiga. Também se tornou muito amiga de Haru, por sofrerem o mesmo: são solitários, sem amigos. Além dele ser um garoto que só tinha olhos para Shizuku, o que não o levaria a gostar dela. Asako torcia muito pelos os dois, embora tivesse medo de que, uma vez que fossem um casal, ela seria largada sozinha, novamente. Então, se sentia dividida. No desenvolvimento, ela acaba se apaixonando pelo primo, responsável pelo Haru.


            Souhei Sasahara é um estudante do ensino médio. É um garoto extrovertido, gentil, realista e amigável. Ele faz parte do clube de beisebol. Está sempre cercado por muitos amigos. Passa, estranhamente, a ter interesse por Haru e Shizuku. Isso porque, no passado, no fundamental, estudou com o Haru, que salvou um amigo. Na época, ele não foi capaz de fazer o mesmo. Porém, depois disso, nunca mais Haru voltou à escola e, assim, ele sempre esteve em sua mente. Ao ver que Haru estava fazendo amizades e estava indo à escola, ficou feliz por ele. Logo se entrosou ao grupo dele, se tornando amigo de Shizuku e Asako também. Ele tinha o costume de dizer que só gostava de meninas que gostavam dele, pois era problemático demais gostar de alguém que não tivesse os mesmos sentimentos. Isso tudo porque, no fundo, nunca havia apaixonado profundamente por ninguém. Mesmo dizendo que Asako não era seu tipo, após prestar muita atenção nela, acaba se apaixonando, o que foi considerado uma traição por Asako, que tinha trauma de garotos que gostam dela. Então, disse que não poderia ser amiga de um garoto assim.  


            Kenji Yamaguchi é um estudante do ensino médio de uma escola de elite. É um garoto inteligente, orgulhosos e arrogante. A sua família é rica e tem grande influência na sociedade. Eles têm um hospital e são gerações de bons médicos. Obviamente, ele deseja seguir o mesmo ramo. Apesar de parecer não ter nenhum defeito, ele não tem senso de direção e anda com colegas da escola que parecem mais gangsters que ficam arrumando briga por onde vão. Ele diz que é divertido olhar pessoas idiotas como eles. Mesmo não sendo algo tão necessário, ele faz cursinho no mesmo lugar que Shizuku. Só foi prestar atenção nisso após conhecê-la como amiga do Haru. Kenji conheceu Haru quando estavam no primário. Ele, com sua arrogância, era indiferente ao garotinho, porém, após perceber que Haru era mais inteligente que ele, acabou fazendo bullying. Foi pego pelo irmão mais velho de Haru e, desde então, tem medo Yuuzan. Depois que ele parou de ir à escola, só foi reencontrá-lo agora, no ensino médio. Eles voltaram a ser amigos e rivais, devido ao Kenji ter se apaixonado por Shizuku. Acho muito fofo, atraente e engraçado como ele e Shizuku se dão muito bem. Ela revela que o considera um de seus melhores amigos, o único que ela pode conversar de igual para igual.


            Mitsuyoshi Misawa é primo de Haru. Um homem jovem que administra a Masawa Batting Center, um local onde as pessoas vão para atingir bolas de beisebol, jogadas por uma máquina. Depois do falecimento de sua mãe, ele passou a criar Haru, por quem tem muita afeição e cuida como filho. Ele sempre acompanha o grupo em suas atividades, quando necessário. Por causa de sua gentileza e cavalheirismo, fez Asako se apaixonar. Demorou a perceber, por ser muito avoado, nesses termos. Apesar de ter dado um fora, a garota continuou persistindo, até que ele teve que ser mais duro, o que o deixou também chateado, porque ela passou a evitá-lo. Até agora, não acho que ele era indiferente ao amor dela. Acho que ele gostava dela, mas a sua responsabilidade de adulto falava mais alto. Bem, não dá para saber, pois ele é meio ilegível, mas era esse pensamento que tinha a respeito dele.


            Yuzan Yoshida é universitário e futuro herdeiro da família, irmão mais velho de Haru. Apesar de ser popular por sua beleza, ele desconfia de qualquer mulher e diz que são todas cobras. No entanto, também é facilmente conquistado e pode ser realmente tímido diante de mulheres. Ele e o irmão foram abandonados pela mãe. Apesar do Haru não dar nenhuma importância à mãe que nem conheceu, Yuu foi diferente. Ele a conheceu e sempre desejou ser amado por ela, mas foi ignorado. Quando Haru nasceu, mesmo que ela tenha ido embora e causado muita dor nele, o irmão era seu presente. Ele fazia de tudo pelo seu irmão, que amava muito. Contudo, após mudar para a casa do seu pai, começou a mudar. No começo, queria fazer um mundo perfeito para seu irmão, mas, ao saber que o motivo de estarem ali era mais por causa do Haru, que não valorizava isso ou, melhor, não conseguia se encaixar. Começou a ficar complexado e a se distanciar cada vez mais do seu irmãozinho, o que foi um baque muito grande para Haru, que o tinha como único em sua vida. Os irmãos se tornaram cada vez mais distantes e, agora, Haru foge toda vez que Yuu aparece. Algumas dúvidas ficaram em meu coração sobre eles. Talvez isso tenha ficado claro, no mangá, mas eu não percebi. Tenho muitas dúvidas sobre essa relação.
            Tem alguns outros personagens, mas, falando só dos principais já deu tudo isso. Sei que dei MUITO spoiler e nem avisei, desculpe. Porém, foi assim que eu quis escrever sobre “Tonari no Kaibutsu-kun”. Eu gosto muito dessa história. Gosto do pé no chão que os personagens têm. Gosto dos sentimentos que vão surgindo de forma desconhecida. E amo muito todos os personagens, mas, claro, muito mais o Haru. Ele é um personagem estranho. Parece ter vindo de outro mundo, mas é um ser realmente adorável. Mangá, anime e live-action: INDICADÍSSIMOS!!!!


Gênero:   Comedia romântica, SHoujo
Autor: Robiko
Mangá:  12  Volume + 1 especial
Anime:  13 episódios + 1 Ova
Live-action:  1 

0 comentário

Postar um comentário