Super lovers


         

   Em meus tempos de fujoshi, existiam alguns títulos pelos quais eu tinha muito amor e, entre eles, estava “Super lovers”, um yaoi (love boy) muito amorzinho, que fazia meu coração derreter. Quando descobri que havia saído o anime, quase surtei de vontade de ver, mas eu ainda não estava preparada para encarar, então adiei por um longo tempo. Agora, finalmente, eu pude assistir e, como eu já esperava, estou derretida de tanto amor pelos protagonistas e pela história em si. Tanto que, até agora, meu coração está muito agitado. Estou tendo que me conter para não assistir mais uma vez.
            O mangá foi lançado, no Japão, em 2010. Tem uma ilustração muito bonita e uma história muito cativante. Digamos que é o tipo de história que me atrai totalmente. O anime foi lançado em 2016 e, logo no ano seguinte, saiu a segunda temporada. A produção é simplesmente perfeita e as vozes se encaixaram bem com cada personagem.  Eu confesso que chorei em várias partes. Acho que a história de cada personagem soou bem profunda em meu coração. Só posso dizer que existe muito carinho em meu coração por essa obra.



            O enredo evolve um rapaz que tem vivido bem com sua família, no Japão. No entanto, depois de 9 anos, foi convencido a ir ao Canadá visitar a sua mãe biológica. Ao chegar, se assusta com um garotinho que havia pulado no teto do carro. Esse foi o primeiro encontro que iria marcar, para sempre, sua vida. Naquele momento, ele ainda não fazia ideia da profundidade daquele primeiro encontro. Depois de ouvir a respeito do garoto, sua mãe o coloca responsável de educar o menino selvagem, que não deixava ninguém se aproximar, a não ser os cachorros. Dia após dia, mesmo entre mordidas e arranhadas, ele não desistia do garoto, que pouco a pouco ia se abrindo para ele. Até que, um dia, chegou ao ponto de eles estarem tão apegados, que o rapaz fez uma promessa: quando se tornasse responsável por si mesmo, iria busca-lo para morar com ele, no Japão. Contudo, na volta para sua casa, esse rapaz perdeu os seus pais, sua memória e, com isso, todas as suas promessas de verão.


            Agora, 5 anos se passaram e o rapaz tem trabalhado duro para bancar os estudos dos seus dois queridos meios-irmãos gêmeos. Então, ele recebe uma ligação da advogada que tem o ajudado por um longo tempo. Ao chegar ao escritório, ele recebe um DVD, mandado por sua mãe biológica, que continha suas memórias esquecidas do verão que ele havia passado no Canadá. Junto disso, uma notícia de que seus pais, 3 meses de antes de falecerem, haviam adotado um garotinho. Assim, aquele garoto, cujos momentos vividos e as promessas haviam sido esquecidas, estava na sua frente, dizendo que, ainda que ele não se lembrasse, estava tudo bem, porque ele veio para que aquela promessa fosse cumprida. Ainda que em negação e hesitante, ele aceitou que o garoto fosse viver com ele em seu apartamento pequeno e praticamente vazio. E agora? Será que ele conseguirá aceitar o garotinho como seu novo irmão? Com essa aproximação, ele conseguirá se lembrar daquilo tão precioso que havia esquecido? Que tipo de relação esses dois vão começar a partir de agora?


            “Eu encontrei algo precioso, pensei...No entanto...Em um instante, perdi toda a base da minha felicidade. Foi quando percebi que eu era o maior covarde do mundo inteiro.”
            Haru Kaidou, quando começou a história, era um adolescente de 17 anos. Depois, já com 22 anos, se transformou em um belíssimo homem, que trabalhava como anfitrião em um host club, que tinha o posto de número um entre os mais requisitados. Ele é amigável, inteligente, gentil e superprotetor. Quando está com raiva, é facilmente explosivo e pode ser muito assustador. Seu lado protetor é genuinamente gentil e mais direcionado aos seus amados irmãos. Além disso tudo, é muito prendado. Mantém a casa sempre muito limpinha e adora cozinhar (seria o marido dos sonhos. Quero). Haru é um homem que se sente facilmente solitário ou, melhor, ele carrega dentro se si uma profunda solidão. Por isso, tem dificuldades para dormir sozinho. Contudo, ele não aprofunda a relação com ninguém e está sempre colocando seus irmãos em primeiro lugar. Quando recebeu a notícia de que tinha um novo irmão, custou a aceitar, ainda mais que esse novo integrante fizesse parte das suas memórias esquecidas. No começo, o tratou como um desconhecido. Aos poucos, ele começou a trata-lo com mais gentileza, até que, então, começou a se cativar cada vez mais. Algumas atitudes ruins de sua parte, no decorrer do enredo, levaram o Ren a decidir ir embora, sem aviso prévio, mas o garoto ligou do aeroporto e se declarou para ele, dizendo que o amava. Aquelas palavras quebraram todas as paredes que ele havia construído em seu coração.


            “Eu tenho medo de pessoas gentis. É por isso que, de todas as pessoas que conheci, Haru é, definitivamente, definitivamente, o mais assustador.”
            Ren Kaidou é um garoto órfão que vivia em um orfanato. Foi acolhido por Haruko, mãe biológica do Haru, e depois adotado pela família Kaidou (pai e madrasta de Haru).  Como era um garoto um tanto selvagem, que não se aproximava de humanos, acharam que seria conveniente chamar o paciente Haru para o ajudar a se habituar, sem saber qual era, de fato, a intenção. Então, quando a história começou, Ren tinha 8 anos. Tinha muito medo de seres humanos, mas o motivo ninguém sabia ao certo, pois ele não tinha memórias do passado. Depois de sua confiança ter sido conquistada por esse rapaz, que ele mesmo dizia dentro de si que era uma das pessoas mais assustadoras que havia conhecido, por causa da sua excessiva gentileza, Ren começou a aceitar, a aprender e, aos poucos, a se civilizar. Se apegou profundamente a essa pessoa, que demonstrava ser tão solitária quanto ele. Ren é um garoto inteligente, inexpressivo, extremamente honesto e direto. Apesar de ser inexpressivo, ele demonstra, sem hesitar, como se sente com ações ou falado. É muito maduro para sua idade e indiferente com a maioria das pessoas, mas se dá muito bem com animais. Quando reencontrou o Haru, depois de 5 anos, já sabia que havia sido esquecido, porém, tudo que queria era poder ficar o seu lado, mesmo que, para isso, tivesse que usar o nome de Kaidou e virar o seu irmão, o que não era seu interesse.


            “O amor é misterioso. Mesmo que eu já esteja tão perto, quero estar ainda mais perto de você, tanto que é insuportável.”
            Essas duas almas solitárias estavam destinadas a se encontrarem. Em poucos dias, naquelas férias de verão, eles fizeram um laço muito profundo. Ren, que sempre sentiu como se não tivesse nada, deu a única coisa que tinha, que era seu tudo para a única pessoa que ele amava genuinamente. Já Haru, que tinha tudo, mas perdeu seus amáveis pais e ainda a sua memória, sentiu que havia perdido tudo. Se culpou por tudo isso, se sentiu ainda mais no fundo do poço e a solidão que tomou conta de todo o seu ser o fez viver na escuridão por um bom tempo. Apesar dele ter voltado a viver novamente, a solidão ainda estava lá, tomando conta de seu ser. Então, quando reviu o Ren, nunca imaginou que esse garoto franzino, de 13 anos, seria a luz que ele ansiou por tanto tempo. Pela primeira vez, ele se sentiu bem em uma noite de sono, quando dormiram um ao lado do outro. Antes mesmo de recuperar a memória, Haru se tornou profundamente apegado ao Ren, se tornando muito dependente da sua presença a todo instante. Se ele já era protetor com seus irmãos gêmeos, com o Ren ele ficou insuportavelmente protetor. Estava sempre enciumado das pessoas que se aproximavam. Para Haru, Ren, era seu precioso irmãozinho mais novo. Mas qualquer um que estivesse próximo notava que essa relação estava indo além disso, afinal, Ren nunca escondeu que, na verdade, não o via como irmão, porém, se para ficar ao seu lado era essencial fazer esse papel, ele achou que conseguiria. Era o que ele pensava, mas quanto mais os anos iam passando mais ele amava Haru, e quanto mais se ama mais você deseja a pessoa. Ren chegou a deixar claro seus sentimentos, porém, Haru não sabia diferenciá-los. Isso chegou a machucar e deixar o Ren inseguro várias vezes, pois desejava não ser visto como irmão. Ren queria que Haru pertencesse somente a ele, não como irmão. Todavia, o Haru também entendia que a situação não era favorável, já que só conseguia vê-lo como uma criança, por causa da diferença de idade. Ele sentia que Ren era insubstituível e o amava profundamente, não queria compartilha-lo com mais ninguém. Como irá se resolver essa relação tão incerta, mas tão cheia de amor?


            Aki Kaidou é o meio-irmão de Haru, o mais velho dos gêmeos. É um rapaz bonito, com atitudes tsundere. É muito apegado aos seus irmãos e rejeitou fortemente quando descobriram que o Ren seria o seu novo irmão, deixando isso bem claro para o garoto, no começo. Porém, mais tarde, nota-se que ele, na verdade, gosta muito dele, mas não sabe como expressar isso. Quando seus pais faleceram, ele culpou o Haru. Hoje, ele se arrepende disso, porque sabe que não é verdade. Porém, sabe que não dá para voltar atrás com suas palavras, porque o estrago já havia sido feito. Aki e seu irmão Shima foram morar com seus avós maternos, enquanto Haru ficou em um abrigo, mas depois acabou desaparecendo por um tempo. Passados uns anos, os irmãos voltaram a ter contato. Os dois davam duro nos estudos, enquanto o irmão mais velho trabalhava para conseguir pagar a faculdade deles. Depois de Haru trabalhar muito, finalmente conseguiram dinheiro para viverem juntos, os quatro.


            Shima Kaidou é o meio-irmão de Haru, o mais novo dos gêmeos. É um rapaz bonito, responsável, maduro e respeitoso. Foi o primeiro a descobrir sobre o Ren, sem o Haru falar, e não rejeitou a ideia. Na verdade, mais tarde, ele revela pro Ren que gostou muito de saber que teriam mais um irmão. Ele não gosta muito de falar, gosta mais de observar as situações. Às vezes, quando as coisas saem do controle, ele coloca a cabeça do mais velho no lugar. Shima e Aki são muito apegados, mas não são como Haru e o Ren. Cada um vive sua vida. Por mais estranha que seja a relação do mais velho com o mais novo, eles não ligam mais, mas sabem muito bem que os sentimentos de Ren não são apenas fraternos, já que o garoto sempre deixou claro, mas nunca se incomodaram com isso. Eles costumam dizer que os apoiarão nas decisões que tomarem por conta própria. Além disso, sabem muito bem que o Haru ainda não entendeu, de fato, os sentimentos do Ren, nem os seus próprios. Então, vivem jogando indireta, para ver se ele acorda e toma uma atitude logo, antes que um dos dois se machuque profundamente.


            Natsuo Shiba é o primo de Haru. Eles são muito parecidos e têm a mesma idade. É um homem bonito, suave e extrovertido. Na maioria das vezes, ele pode ser desagradável, escondendo seu lado amável. Trabalha como anfitrião desde que voltou do Havaí. Depois de sempre ser comparado a um anfitrião que tinha o mesmo nome que ele, e ainda parecia muito com ele, foi em busca de saber se era o seu primo. Era muito apegado ao Haru quando criança. Acho que sempre desejou ser irmão dele e serem parceiros um do outro, mas se sentiu magoado quando Haru começou a abandoná-lo, dando mais atenção aos seus irmãos mais novo. Então, quando foi a casa deles, acabou conhecendo o Ren na porta, mas acabou indo embora sem dizer quem era. Mais tarde, acaba encontrando novamente o Ren, e o levou à força para um passeio. Ren diz que só o seguiu por ser tão parecido com o Haru. Depois de muitas confusões que causaram problemas na relação de Ren e Haru, ele se revelou e passou a estar sempre presente na vida dos irmãos.
            Tem outros personagens, mas acredito que esses são os mais importantes. Muitos outros apareceram mais tarde. Confesso que foi difícil escrever sobre esse anime, porque estou com uma sensação horrível que é inacabável. Eu quero tanto mais dessa história, que não consigo controlar os meus sentimentos. Só de pensar que vai demorar tanto para sair os próximos capítulos do mangá, estou em crise. Estou muito apaixonada por essa história e pelos personagens, tanto que meu coração não para de se agitar (sei que já disse) Não sei se consegui passar a profundidade desse enredo aqui, mas tem vários pontos importantes, que me tocaram muito. INDICADÍSSIMO para quem não tem preconceito!!!




Gênero:   Romance, Yaoi

Autor: Miyuki Abi 
Mangá:  10 Volume (em andamento)
Anime:   20 episódios + 1 ova

1 comentários: