Alice Inverso - Jogo GENIUS



       No mês passado, falei pela primeira vez sobre os jogos de aplicativo da empresa japonesa GENIUS, abordando o jogo “Meu príncipe elemental”. Se você quer entender como funciona esse game, leia nossa primeira postagem, antes de prosseguir com essa (clique aqui). Infelizmente, a GENIUS não está mais disponibilizando seus jogos para a App Store, e não tenho notícias se ainda está disponível para Android. No entanto, tenho vários desses jogos, que eu gostei muito, em meu Ipad. Antes que eu os perca, decidi que deveria falar deles aqui. Dessa vez, o título é muito interessante e a história muito intrigante. Tenho certeza que vão adorar, pois é uma história em que a Rainha de Copas é a mocinha e a Alice a vilã.


            A história começa com a Haruna (MD), que está fazendo uma viagem pela Inglaterra com sua amiga, em comemoração por terem se graduado na faculdade. Enquanto passeava no lugar onde a história “Alice no país das maravilhas” foi escrita, escuta uma voz chamando-a. No entanto, não havia ninguém. Totalmente fascinada pelo lugar e muito ansiosa para comer os diversos tipos de doces diferentes que poderia encontrar ali, sua amiga ri e tira sarro, dizendo que ela prefere encontrar novas comidas a um estrangeiro charmoso e começar um romance. A verdade é que a jovem não tem qualquer confiança em si mesma para conseguir um namorado, por isso, tenta nem pensar muito no assunto. Sua trajetória turística continua. Elas decidem fazer um passeio de barco. Esperando na doca, ela observa algo se mexendo em uma moita, um gato preto, que a surpreende roubando seu saco de doces. Ao fazer um movimento para espantar o gato, ela perde o equilibro e cai no rio. Quando ela chega à superfície, se da conta de que foi levada, para muito longe, pela correnteza. Pensa como fará para pedir ajuda, enquanto um pequeno coelho fica perto de seu pé, tremendo e olhando para algo. Quando olha para sua sombra, ela se separa de seu pé e começa a ter ações estranhas. A garota, completamente assustada, pega o coelho e tenta afugentar a sombra.
            De repente, surge no céu um grande coelho. O rapaz montado nele saca uma grande espada e parte ao meio a sombra, que volta para seu dono como se nada houvesse acontecido. O rapaz agradece por ela ter protegido o seu coelho e escuta o que havia acontecido para ela estar naquele lugar deserto. Ele se oferece para levá-la a alguma aldeia. No entanto, enquanto iam, uma chamada urgente no castelo foi feita e ele teve que desviar o caminho, levando-a junto. Ao chegar ao castelo, um homem sério aparece. Quando a vê, instintivamente se ajoelha, dizendo que ela é sua rainha. Ela, totalmente paralisada, tenta dizer que ele havia errado a pessoa, no entanto, sem chance de ser ouvida, foi levada para se preparar para a coroação que estava para acontecer. Quando chega ao altar, após a cerimônia, é anunciado o noivado dela com o cavaleiro sério que havia conhecido há algumas horas. Apesar de assustada, um homem, que foi apresentado como Eminência, diz bem baixinho saber que ela era uma rainha falsa. Ela deveria escolher fugir ou ficar e lutar contra seu destino de ser morta por Alice. Agora, o que ela fará? Que lugar é esse? Poderia ser um pesadelo? Se não for, o que ela fará?

            Seofiras é um artista de 27 anos que ama tudo que é belo. No castelo, é encarregado de produzir a rainha. É ele quem desenha as roupas e acessórios usados por ela, ou seja, o estilista. Além disso, ele sabe tocar vários instrumentos clássicos.  Seofiras tem um passado muito pesado. Ele é filho de uma prostituta e de um nobre, o qual não conhece. Ele nasceu com um problema em sua perna, por sua mãe ter sido envenenada quando estava grávida, em uma tentativa de aborto. Por isso, usa uma charmosa bengala. Sofreu muito na sua vida, mas como nasceu com um dom para a arte, usou disso para conseguir crescer na vida, até que conseguiu chegar ao castelo. Nesse mundo, apenas nobres conseguem usar magia, no entanto, o jovem cavaleiro, que é apenas um servo, consegue utilizar, o que é uma surpresa para todos que não sabem sobre sua origem. Por ser muito bonito e um artista invejável, está sempre rodeado por várias mulheres, mas ele não as suporta. Ainda assim, mantém um sorriso no rosto e é educado com elas. Acredito que a imagem dele foi baseada no Chapeleiro, apesar de não ter nada da loucura dele.


            O jovem artista é quem produziu a jovem Haruna. Apesar dela dizer que não era rainha, ele não acreditou. Ao observar bem, viu que ela não tinha tanto glamour quanto a sua rainha, que ele acompanhou por tanto tempo, tinha. Logo, ele viu que era verdade que aquela rainha na sua frente não era a real. Foi depois disso que Seofiras mostrou uma personalidade diferente. Uma vez que sabia que aquela pessoa na sua frente não era a verdadeira, ameaçou que a entregaria, se ela não virasse a boneca dele e fizesse tudo o que ele mandasse. A garota ficou muito chocada com o comportamento dele, que mudou da água para o vinho. No entanto, ele passou a fazer coisas um tanto íntimas, que faziam o coração dela disparar. Seofiras tinha como objetivo conquistá-la, para usá-la em seus planos junto de outro personagem. Entretanto, ele acaba também se apaixonando por Haruna e pede para ela fugir com ele. Eu gostei muito dessa rota. Teve uns momentos picantes.  


            Cheshire tem a aparência de criança, no entanto, já viveu por alguns séculos. Ele tem um posto extremamente respeitado no castelo e é chamado de Eminência. Ele é ardiloso com suas ações e palavras. Seu hobby é ler. Ele gosta tanto e fica tanto tempo na biblioteca, que acabou virado bibliotecário. Cheshire sabe que a Haruna é a rainha falsa e deixa claro saber disso, porém, não dá a chance para ela recusar o posto que é obrigada a ficar, embora ele dissesse que, se ela fingisse ser a rainha, por hora, ele daria um jeito de encontrar uma maneira de mandá-la de volta ao seu mundo anterior. A Eminência é quem fez a cerimônia de coroação, e foi ele quem ensinou a Haruna a usar a chave da rainha para enfrentar Alice. Cheshire consegue se transformar em gato preto, então, somente pelo nome, já dá para imaginar em quem ele foi inspirado, né?


            Eminência estava sempre provocando Haruna, colocando-a em posições sérias, com um sorriso astuto no rosto. Parecia que tudo aquilo não passava de uma brincadeira para ele. Além dele saber que ela é uma rainha falsa, sabe de muito mais coisas a respeito da moça. No desenvolvimento do jogo, ele revela a verdade: a conhecia há muito tempo e Haruna não era uma pessoa comum, além de que esse era seu mundo de origem. Cheshire diz que ela é a irmã gêmea da Rainha de Copas, que, por causa de uma superstição estúpida, teria sido isolada e mantida em segredo do reino. Depois deles passarem muito tempo juntos, a jovem se apegou muito a ele. Não gosto muito dessa rota, pois o romance é escasso. Só no final eles revelam seus sentimentos, e nada de tão intenso acontece. Não gostei muito.


            Henry é um conde de 22 anos. Além de ser o médico da rainha, ele também é comandante de uma tropa de cavaleiros. Suas habilidades de combate são excelentes. O sonho dele era apenas ser médico, no entanto, por causa de seus status, sua família o obrigou a ter um posto de alta patente dentro do castelo, sendo um comandante. Ele ama animais e vive cercado por eles, cuidando dos feridos. Henry é amigo de infância e irmão adotivo da rainha. Eles dividiram a mesma ama, por isso costumavam ser muitos unidos. No entanto, depois que ela passou a viver na torre, eles perderam contato. Na rota de Cheshire, ele revela ter tido uma queda pela rainha. Já na sua rota, ele diz ter ficado chateado por ela ter excluído-o da sua vida. Henry é muito amigo de Quentin, o noivo da rainha, e por mais que, talvez, tenha interesse nela, ele não deseja trair o seu amigo. Por isso, está disposto a manter certa distância, embora falhe.


            Foi ele que encontrou a Haruna e a salvou de ser atacada no rio. Acabou levando-a para o castelo, por acaso. Como há muito tempo não via a rainha, ficou surpreso quando Quentin declarou que ela era sua preciosa amiga. Por alguma razão, naquele momento, ele manteve distância. Depois, curioso, acabou procurando-a escondido, e depois de ouvi-la, acreditou que, de fato, ela não era a verdadeira rainha. Ainda assim, não a condenou por isso e, mais que isso, disse que a ajudaria a passar por tudo. Contudo, ele não poderia conversar com ela sempre quisesse, afinal, era apenas um cavaleiro e a rainha era noiva. Seria complicado se as pessoas achassem que a rainha estava sendo infiel. Mesmo assim, por maior distância que ele queria por entre eles, o jovem não conseguia. Mesmo não querendo trair seu amigo, estava difícil conter seus sentimentos por essa pessoa, que conheceu há pouco tempo, mas já estava apaixonado.   Sinceramente, essa foi uma das melhores rotas. Foi intensa e profunda, uma pena terem estragado o final, o qual não gostei nadinha.


            Quentin é um duque de 24 anos e o braço direito da rainha, o cavaleiro mais forte do reino. Ele é nato nas artes literárias e militares, por isso, é ele que fica encarregado de cuidar dos assuntos governamentais pela rainha. Aparentemente, ele é serio e frio, seu jeito rígido põe um pouco de medo nas pessoas. No entanto, na verdade, Quentin é muito atencioso, carinhoso e tímido. Seu hobby é pintar quadros, mas ele não tem dom para tal coisa, pois seus desenhos parecem mais de uma criança do primário. Apesar de ter vergonha de mostrar seus trabalhos, ele ainda gosta de se dedicar a isso, mesmo sabendo que não leva jeito para o negócio. Quentin é um cavaleiro fiel à rainha, e decidiu noivar com ela para protegê-la, porque o que mais a colocaria em risco era sua posição. Se a rainha não existisse, ele seria o rei, então, seus pais já tinham atentado contra a vida dela, o que foi inaceitável. Como ele ama a sua família, para proteger ambos, cogitou que era a melhor alternativa.


            Por causa do seu jeito desajeitado de expressar como se sente, estava crente que a sua rainha não gostaria da ideia, mas, ainda assim, ele queria forçá-la nesse casamento, mesmo que ela não viesse a gostar dele, tudo para protegê-la. Parece que, para ele, tudo que existia em seu coração era a proteção e lealdade dele pela rainha que decidiu servir há muito tempo. A Haruna já ficava incomodada, porque toda essa dedicação não era por ela, mas pela rainha verdadeira, e isso passou a ficar mais difícil para a jovem. Quando estava tão encantada com o verdadeiro Quentin, tudo que ela imaginava que ele era, à primeira vista, estava totalmente fora do quão maravilhoso aquela pessoa era de fato. Todo o carinho e atenção que recebeu dele tomaram totalmente seu coração, e isso a fazia sofrer, porque de quem ele realmente gostava era a verdadeira rainha. Dizer a verdade foi difícil, porque o Cheshire tinha lhe dito que, se ele descobrisse a verdade, por causa de sua lealdade, ele com certeza a mataria e, depois, se mataria. Depois dela descobrir quem ele era, não acreditava que ele a mataria, mas provavelmente se culparia por jurar lealdade à falsa rainha e ainda perder a verdadeira. Não querendo vê-lo sofrer, ela não conseguia dizer a verdade. Essa foi uma das rotas mais amorzinho. Eu fiquei muito surpresa. Apaixonei-me pelo Quentin, porque ele é tão carinhoso...nem imaginava que eu ia gostar tanto dele.


            Tem mais dois personagens que aparecem que, praticamente, participam como vilões da história. Primeiro a Alice, que nessa história é uma travesti, que fica tentando atacar o castelo para matar a rainha. Ela tem a ajuda de umas coisas que são chamadas de Deformações. Também tem o Heiya, que é o irmão gêmeo do Henry. Ele é um tanto amargurado e tenta arruinar as coisas, por sofrer por ser o excluído, pois uma lenda antiga dizia que o segundo gêmeo era um espírito maligno que trazia o mal para a família. Acho um tanto triste a forma que tratam-no. Na rota do Cheshire, a Haruna o ajuda a ter uma vida melhor e a ser aceito.
 É isso. Essas são as rotas. Eu, praticamente, gostei de todas, embora ache muito fraca, em termos de romance, a rota do Cheshire. Ainda tenho vários desses jogos e vou trazer um por mês. Resolvi falar deles logo, pela razão que expliquei: não da mais para baixá-los e estou com medo de perdê-los antes de vir aqui falar de cada um. Para ser sincera, quero jogar mais uma vez antes de ter que fazer uma limpeza no meu Ipad.  Então, é isso. Espero que vocês tenham gostado. Quem sabe, vocês consigam encontrar esses jogos em seus celulares.


0 comentário

Postar um comentário